II SuperAÇÃO: a inovação como aliada em tempos de crise

Tarcísio Melo, o Doutor Inovação, é um dos palestrantes do evento organizado pelo ViDA & Ação. Conheça um pouco mais sobre a sua história

Rosayne Macedo

Ligado na 220. Esta é a expressão que mais se associa ao engenheiro que atende pelo apelido de Doutor InovaçãoTarcísio Melo, que inventou uma solução tecnológica para combater roubo de cargas e muitos outros crimes contra o patrimônio, tem uma rotina agitada. Pai de dois filhos, deixou o emprego estável numa grande empresa, onde trabalhava há 11 anos, para se dedicar ao seu maior projeto: criar soluções inovadoras.

O ritmo frenético é o combustível para fazer seus sonhos – e os de muita gente – voarem longe. Mas a rotina estressante, que se divide entre família, palestras, eventos, reuniões com parceiros e a criação de projetos inovadores, lhe rendeu uma gastrite, tratada com alimentação equilibrada e outros cuidados. As 44 anos, Tarcisio continua investindo a cada dia em novas invenções para romper paradigmas e inserir a inovação no dia a dia dos empreendedores brasileiros. 

Doutor Inovação é um dos convidados especiais do II SuperAÇÃO, a roda de conversa sobre saúde, bem-estar e atitude sustentável que o Portal ViDA & Ação promove no próximo dia 15 de maio, a partir da 17h30, no Espaço Ideal Eventos, no Centro do Rio (as inscrições ainda pode ser feitas pelo link). Ele vai compartilhar sua experiência  ao lado de outros importantes palestrantes –  o coach financeiro Alexandre Prado (Núcleo Expansão), o consultor em Vendas e Marketing Humberto Gondin, o especialista em produtividade digital Raoni Luna (Cerebrando) e a psicóloga Renata Viegas (Equipe Saúde Plena).

Veia empreendedora começou ainda na infância

A veia empreendedora de Tarcísio começou a se desenvolver bem cedo. Quando criança, o menino franzino gostava de bolar ideias criativas para resolver pequenos problemas do dia a dia. Consertava tudo em casa, inclusive a própria bicicleta, e até faturava uns trocados ajudando os amiguinhos a recuperar suas ‘magrelas’. A própria solução da tela de bloqueio foi criada meio que “por acaso”.

Engenheiro mecânico formado pela Uerj e de Segurança do Trabalho pela UFF, com MBA em Gestão Ambiental (Coppe-UFRJ), o especialista em segurança do trabalho, meio ambiente e qualidade tentou achar uma solução para um problema que atormentava uma tia sua: a invasão da casa de um familiar por bandidos, pelo portão da garagem. Trabalhou dias e semanas na ideia de uma tela de bloqueio para revestir a entrada do estabelecimento.

Incentivado por amigos, resolveu inscrever o projeto  ‘tela de bloqueio’ – aplicado no combate ao roubo de cargas – no Acelera Start Up da Fiesp. Dentre quase 5 mil concorrentes, faturou o grande prêmio, no final de 2015. De lá para cá, a agenda de Tarcísio mudou radicalmente.  Passou a ser procurado por empresas e empreendedores interessados em desenvolver novas tecnologias.

Meu telefone não parava mais de tocar desde que um protótipo do que chamamos inicialmente de ‘tela de bloqueio’ foi parar nas redes sociais. Eram interessados em contratar o nosso produto para diversas aplicações”, relembra.

A partir daí, Tarcísio passou a conquistar notoriedade e credibilidade. Hoje, além de acompanhar o passo a passo do desenvolvimento de seus novos produtos, se divide entre diversas reuniões de negócios com clientes, fornecedores e parceiros, palestras sobre empreendedorismo e consultorias a empresas. E já tem na agenda convites para apresentar a solução fora do país.

Indústria da Solução: ajudando marcas a superar a crise

Criada por Tarcísio, a Indústria da Solução (www.industriadasolucao.com.br/) tem a proposta de fazer a conexão entre empresas que, mesmo na crise, precisam de serviços e estão dispostas a contratar quem possa atender suas necessidades.

Isso parece ser algo fácil em tempos de internet, mas atividades específicas, e soluções inovadoras não são conhecidas e nem encontradas facilmente por uma busca na internet. É preciso network e conhecimento em diversas áreas”, destaca o engenheiro.

Ao mesmo tempo em que busca soluções sob medida para os mais diversos problemas de seus clientes, o “turbinado” Tarcísio mantém o radar ligado 24 horas para tudo que está ao seu redor. E vem se dedicando a pensar em novas soluções para problemas que afligem a vida das pessoas. “Já temos outras quatro ideias em fase de registro de patente”, diz o Doutor Inovação, que é discreto sobre os novos projetos.

Para este sonhador com os pés bastante fincados no chão, a crise no Brasil deve ser enxergada como desafio para abrir muitas oportunidades. “O Brasil precisa de mais empreendedores e empreendimentos inovadores. Empreender não é fácil. Mas juntos sempre podemos encontrar a solução”, ressalta.

Hoje, além de acompanhar o passo a passo do desenvolvimento de seus novos produtos e as patentes que criou, se divide entre diversas reuniões de negócios com clientes, fornecedores e parceiros, palestras sobre empreendedorismo e consultorias a empresas. E já tem na agenda convites para apresentar a solução fora do país.

Ao ViDA & Ação, Tarcisio respondeu algumas questões:

Por que você decidiu deixar o emprego estável para investir numa ‘carreira solo’?

Trabalhei por mais de 11 anos em grandes obras, tendo grandes desafios como parte da minha rotina. Esses desafios sempre me estimularam a buscar soluções e acabei percebendo que tinha facilidade para pensar “fora da caixa”. Com o tempo passei a ser reconhecido e valorizado por essa característica, mas foi após participar de um grande evento de inovação que a minha vida realmente mudou. No início de 2016 pedi demissão do meu trabalho e assinei o meu primeiro contrato para desenvolver soluções inovadoras e passando a viver única e exclusivamente das minhas ideias.

Como está sendo hoje  sua nova vida como o Doutor Inovação?

Nesse novo momento profissional comecei a servir de inspiração para as pessoas que me procuravam para saber como colocar em prática os seus projeto pessoais. Percebendo como a velocidade das mudanças vem ocorrendo no mundo, sendo pai de duas crianças, comecei a estudar como inspirar as crianças e os jovens a manterem os seus potenciais criativos vivos, estimulando a todos que não existe idade mínima para empreender. Hoje também venho dividindo um pouco da sua história através de palestras para fomentar não apenas o empreendedorismo, mas principalmente o auto conhecimento para a busca da satisfação pessoal das pessoas.

Como você acha que a crise está impactando as pessoas?

Todos nós estamos tendo a nossa saúde afetada com o momento atual que estamos vivendo. A insegurança gerada pela crise nos faz viver em um estado de alerta permanente que, com certeza, traz consequências. Eu vivo há dois anos me planejando para a queda, para o problema, para o pior. Não que eu seja um pessimista que acha que tudo pode dar errado, mas me preparar para o pior parece me dar uma certa proteção para manter a minha estabilidade emocional.

Como a inovação pode ajudar as pessoas nesse momento de crise?

Acredito que da mesma forma que ajudou a minha vida. As pessoas precisam entender realmente que inovação não pode ser apenas uma bela palavra usada em comercial de TV e revistas, ou em um belo discurso. Tem que ser uma realidade, uma obrigação para quem quer viver no mundo atual. Assim como as pessoas, as empresas também inovam menos do que deveriam e a história comprova quando vemos a falência de grandes grupos que não se atualizaram aos novos tempos.

Você acha que ser criativo, inovador, pode representar alguma ‘vantagem competitiva’?

Em tempo de crise os profissionais criativos e inovadores e abertos às mudanças são sempre melhores vistos do que os que são avessos a elas, e na grande maioria das vezes são sempre os últimos a serem atingidos com a crise. Vi médias e grandes empresas que, mesmo reduzindo drasticamente os seus quadros, tentaram manter os profissionais mais dinâmicos, criativos e inovadores.

Você sofreu algum impacto na saúde por conta da crise que atingiu a todos?

Sim, os meus projetos foram indiretamente impactados porque as muitas empresas que queriam desenvolver as soluções comigo estava passando por momento financeiro delicado, e isso fechou muitas oportunidades. Com isso o meu nível de estresse também foi maior do que o previsto. Acredito que tanta preocupação tenha ajudado para o aparecimento do início de uma gastrite. Mas já estou cuidando disso, afinal a saúde tem que estar em dia para dar conta de tantos desafios.

 

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.