Inverno saudável: 7 dicas para prevenir resfriados na escola

Aulas presenciais retomadas em muitas cidades evidenciam importância dos cuidados com a saúde, higiene e distanciamento social no inverno

As aulas presenciais foram retomadas na rede particular de quase todo o Brasil após quase um ano longe das salas de aula. O retorno, que pode trazer alegria para crianças e adolescentes, também é marcado por cuidados com a saúde, higiene e distanciamento social. As temporadas mais frias do ano trazem também preocupação com relação aos resfriados e gripes na escola.

Antes da pandemia, essa seria a época em que as crianças em idade escolar mais sofrem com doenças respiratórias em virtude da grande socialização. No entanto, profissionais da Saúde alertam que o protocolo usado agora para prevenir a Covid-19 também previne o contágio de outras doenças. “É preciso salientar que o protocolo contra o coronavírus veio para intensificar as medidas preventivas contra as doenças infectocontagiosas”, explica a enfermeira Meira Marques, do Colégio Marista Santa Maria.

As maneiras de manter a comunidade escolar segura no retorno às aulas já são bem conhecidas do público. Viviane Hessel, infectologista do Hospital Marcelino Champagnat orienta: “É preciso usar máscara, manter distanciamento, cuidar com a higiene das mãos, evitar aglomerações e manter os ambientes arejados com ventilação natural”, conclui a médica.

Para Hessel, as medidas de prevenção não podem relaxar. “A Covid-19, assim como os resfriados, são transmissíveis por via respiratória ou mãos contaminadas em contato com as mucosas. Porém, como estamos em pandemia, estes sinais poderão também podem significar covid-19 e terão que ser investigados para confirmar”, afirma.

Confira as dicas:

No dia a dia, as medidas adotadas durante o período de isolamento social precisam ser reforçadas. A enfermeira Meira Marques preparou uma lista para ajudar os pais na orientação das crianças e adolescentes nas escolas:

Proteger a boca e o nariz ao tossir e espirrar, utilizando preferencialmente lenços descartáveis. Quando não houver lenços disponíveis, recomenda-se utilizar a dobra do cotovelo;

Realizar sempre a higienização das mãos, principalmente após tossir ou espirrar e antes de se alimentar;

Não tocar nos olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam devidamente higienizadas;

Não compartilhar alimentos e objetos de uso pessoal, como copos e garrafinhas;

Usar agasalhos adequados ao clima, principalmente quando a temperatura estiver mais baixa;

Investir na alimentação saudável e na hidratação com líquidos (água e sucos naturais, por exemplo), que ajudam na manutenção da saúde;

Estimular a prática de exercícios e atividades físicas.

Cuidados com as doenças sazonais

O aumento de casos de gripes e resfriados é notado no início do outono, podendo se estender até o final do inverno. Dias com pouca umidade e temperaturas mais frias contribuem para o surgimento desses problemas principalmente nas crianças. Com a pandemia de Covid-19 o risco é ainda maior, pois os sintomas são similares.
“Pais e responsáveis devem ficar atentos aos sintomas que sugerem tanto a Covid-19 quanto as doenças sazonais como gripes e resfriados e procurar o pronto atendimento em caso de dúvidas. Os mais comuns são tosse, coriza, febre, cansaço e dores no corpo, falta de ar e, em alguns casos, náuseas e vômitos”, explica Fabianne Carlesse, infectologista pediátrica.
O Sistema Único de Saúde (SUS) iniciou a campanha anual de vacinação contra gripe paralelamente à vacinação de Covid-19. O Ministério da Saúde pretende vacinar, até o dia 9 de julho, 90% dos grupos prioritários, inclusive crianças com idade acima de 6 meses e menores de 6 anos. Sobre a imunização, a especialista afirma que as crianças devem tomar a vacina contra a gripe (vírus influenza).
“Ainda não temos vacinas para a população pediátrica, mas a proteção contra influenza é mandatória, pois, além de proteger a criança e consequentemente os familiares desse importante vírus, diminui a procura pelo hospital e, portanto, a exposição ao SARS CoV-2”, afirma a Dra. Fabianne.
Ainda segundo ela, são necessárias ações preventivas com foco maior na população mais vulnerável às infecções em geral, além da Covid-19, como os pacientes oncológicos. “Eles podem apresentar complicações graves, dependendo do nível de imunossupressão, principalmente quando os pulmões são acometidos”, comenta a médica do Hospital do GRAACC, especializado em casos de alta complexidade de câncer infanto-juvenil.

Dicas importantes

• Nunca é demais lembrar da importância de usar máscara (trocar a cada duas horas e se estiver suja ou molhada), respeitar o distanciamento social e evitar aglomerações.

• Procurar o pronto atendimento caso sintomas como febre, tosse, cansaço e dores no corpo persistirem por mais de dois dias.

• Hidratação também é uma maneira de prevenir gripes e resfriados, por isso beba de 1,5L a 2L de água todos os dias.

• Inalação com soro fisiológico é uma boa opção para limpar as vias respiratórias.

• Evite tocar em paredes, maçanetas e corrimãos, coçar olhos e nariz e levar a mão à boca e contato com pessoas resfriadas.
Com Assessorias
Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais