Jantar beneficente pela igualdade racial tem ingresso a partir de R$ 1.850

Evento dia 17 no luxuoso hotel Copacabana Palace e projeto social com crianças de antigo lixão são destaques do nosso roteiro de Boas Ações da semana

Jardim Gramacho vista por pequenos moradores O Jardim Gramacho, sob o olhar das crianças que ali vivem, vai virar documentário a ser exibido no Rio e em Londres (Foto feita por uma criança)

É isso mesmo que você leu: um jantar beneficente pela “bagatela” de quase 2 mil reais! E detalhe: este é o valor mínimo do convite, que já começa a ser vendido. Com presença de famosos, o evento criado para celebrar a igualdade racial vai acontecer no Copacabana Palace no dia 17. A apenas 33 quilômetros do luxuoso hotel da Zona Sul carioca, centenas de crianças – na maioria, negras – que vivem em um antigo lixão, terão a chance de mudar o olhar sobre sua realidade local.

O projeto Olhares da Rua, que chega pela primeira vez no Rio de Janeiro, quer empoderar os pequenos moradores do Jardim Gramacho – onde funcionava o maior aterro sanitário da América Latina, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense – a partir da fotografia e uma ação educativa sobre sustentabilidade. O resultado esperado é uma exposição fotográfica e um documentário a ser apresentados no Rio e em Londres. Para isso, a iniciativa lançou uma campanha para arrecadar fundos pela internet ( veja aqui.)

Estes são os destaques do nosso roteiro de Boas Ações, que também traz Corrida Social em Niterói e os preparativos para a Virada Sustentável, que acontece pela segunda vez no Rio de Janeiro no mês que vem. Saiba também sobre a doação de ovos solidários por uma marca carioca para hospital que atende doentes de câncer em São Paulo.

Jantar beneficente pela igualdade racial no Copacabana Palace

luana-genot-Mario-Epanya-divulgacao
Ex-modelo Luana Génot é a fundadora da ong que luta por igualdade racial (Foto: Divulgação)

Apenas 5% dos cargos executivos das 500 maiores empresas do país são ocupados por negros, sendo 1% mulheres, diz o Instituto Ethos. Em homenagem aos 130 anos da Abolição da Escravatura, celebrados no dia 13 de maio, e para abrir espaço para inserir mais os negros no mercado de trabalho o ID_BR Instituto Identidades Brasil vai ocupar o luxuoso Copacabana Palace no dia 17 para o terceiro jantar Sim à Igualdade Racial. Para participar e fazer parte da causa, é preciso desembolsar pelo menos R$ 1.850 pelo convite, que é vendido pelo site www.ingressorapido.com.br

A organização sem fins lucrativos com foco na luta pela igualdade racial traz desta vez como homenageada da noite Ruby Bridges, a primeira negra a frequentar uma escola de brancos nos Estados Unidos em 1960. Um dos mais prestigiados eventos beneficentes da cidade,  o jantar é uma iniciatsiva do ID_BR,  criado em 2013 por Luana Genót (foto), uma ex-modelo negra que foi para os EUA estudar raça, etnia e mídia. Na volta, trouxe uma série de projetos para empoderar jovens negros brasileiros.

Hoje o instituto reúne 50 empresas e tem o apoio de muitas personalidades. A edição 2018 traz uma importante premiação de empresas que se destacam na causa em três principais esferas: cultura, empregabilidade e educação. O jantar, elaborado a quatro mãos, leva a assinatura do chef convidado Henrique Fogaça e de David Mansaud, chef gastronômico do Copa. A cantora Iza faz show para agitar a noite.

O jantar recebe todos os anos grandes nomes envolvidos na causa racial. Neste ano, os apresentadores são Regina Casé, Glória Maria, Luis Miranda que anunciam os premiados da noite. Outros nomes envolvidos são Cris Vianna, Bruno Gagliasso, Giovanna Ewbank. Os premiados receberão uma imagem exclusiva do artista plástico Vik Muniz. O evento tem apoio das empresas Aegea, Novelis, Itaú, Thomsom Reuters, PayPal, Bayer, Cisa Trading, Estácio, Solvi, Sicredi e Aon.

Na Baixada, projeto revela a realidade de antigo lixão

Foto feita por criança do antigo lixão de Gramacho

O Jardim Gramacho ficou mundialmente conhecido pelas lentes do documentário ‘Lixo Extraordinário’ (2011), fruto do trabalho do artista plástico Vik Muniz e último filme de Stephen Daldry (Trash, 2015). Mesmo após o encerramento das atividades, cerca de mil famílias, incluindo centenas de crianças, continuam a conviver às margens do lixo acumulado por quase 40 anos que ainda se decompõe.  Entretanto, esta decomposição de matéria e vida não é vista nos olhos e sorrisos das crianças e jovens que circulam pelo local.

Oferecer voz e afeto e descortinar de forma criativa e lúdica o estigma de pobreza e exclusão que envolve crianças e jovens moradores da comunidade, possibilitando um ambiente de reflexão crítica sobre a sua dura realidades. Esta é a proposta do ‘Eyes of The Street (Olhares da Rua, em português), que chega pela primeira vez no Rio de Janeiro.  A iniciativa quer empoderar os pequenos moradores do antigo lixão em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a partir da fotografia e uma ação educativa sobre sustentabilidade. O resultado esperado é uma exposição fotográfica e um documentário a ser apresentados no Rio e em Londres.

Para encorajar a criatividade e os sonhos enquanto constroem valores comunitários, as crianças receberão câmeras para capturar sua rotina em primeira mão para que, a  partir do seu próprio olhar,  possam reimaginar um futuro diferente do que fora o aterro, antes de seu fechamento em 2012. Evelin Silva, 19 anos, mãe solo de Kevin, 5, vê no ‘Olhares da Rua’ uma janela para mostrar como é a realidade de quem vive no Jardim Gramacho. “O projeto é algo diferente. Vai mostrar um pouco da gente, como vivemos. Sofremos muito preconceito por morar aqui na comunidade. Aqui tem muita gente com sonhos, de bem”, conta ela, que vive na comunidade com mais duas amigas.

O início das atividades do projeto está previsto para setembro de 2018. Durante a jornada criativa, que tem duração de duas semanas, serão realizadas oficinas de fotografia e uma intervenção de arte com o objetivo de reposicionar a relação com o lixo do local.

O objetivo é construir, através do poder da fotografia e valores sustentáveis, laços e melhoria da autoestima dos envolvidos em relação a si mesmos e sua própria comunidade. A imagem fotográfica funcionará não apenas como janela para um novo mundo, mas como um espelho que reflete os interesses e inquietudes dos jovens participantes”, destaca Giselle Barboza, empreendedora social, antropóloga e uma das idealizadoras do projeto.

Por estar sem patrocinador oficial, o projeto Eyes for the Street começou com uma campanha de financiamento coletivo (para contribuir com a campanha, acesse https://www.eyesofthestreet.org/). A iniciativa conta com o apoio para viabilizar as atividades da ONG Resgate da Infância Social (Riso), permitindo que o projeto se torne localmente sustentável, da Mairarê Produtora e também da organização social Plastic Bank, que acaba de ganhar um prêmio da ONU pela sua proposta de reposicionamento do lixo em moeda. Em 2016 o projeto foi desenvolvido com jovens das comunidades de Santo Amaro e Arruda, na periferia do Recife.

Corrida Social mobiliza moradores de Niterói

corrida

Niterói recebe neste domingo, dia 6, mais uma edição da Corrida Social, que pretende conscientizar o público sobre a importância da questão da ecologia e sustentabilidade na vida das pessoas. De acordo com a organização, a renda será revertida a “projetos que beneficiem a causa verde diretamente”, mas não foram divulgados quais serão.

Marcada para as 7h30, a corrida de 10km conta com três kits distintos e trajetos inéditos na cidade. Sai de frente ao Museu de Arte Contemporânea e a de 5km em frente do Skatepark, no bairro de São Francisco. Todos que cruzarem a linha de chegada receberão medalhas e também serão premiadas diversas faixas etárias e as três equipes com mais integrantes.

Organizado pela Lóco Produções e Eventos (www.loco.net.br), o projeto estimula as pessoas a praticar atividades físicas e ainda ajudar uma causa, pois doa parte de sua arrecadação em prol de um objetivo específico. A iniciativa já teve dez edições,, reunindo milhares de participantes em três cidades e dois estados. Informações sobre kit, percurso e regulamento, além das inscrições, estão no site www.corridasocial.com.

Virada Sustentável: como fazer um grande evento sem papel

Virada Sustentável Rio 2018

Estão em ritmo acelerado os preparativos para a Virada Sustentável, que vai acontecer pela segunda vez no Rio de Janeiro de 8 a 10 de junho, na Semana Mundial do Meio Ambiente. O festival reúne atrações culturais, apresentações musicais, atividades infantis, oficinas, shows, performances, atividades zen, rodas de conversa e cerca de dez painéis de conhecimento com temas relevantes no cenário atual da sustentabilidade, conduzidos por formadores de opinião reconhecidos nacionalmente.

 A Virada Sustentável Rio 2018 se orgulha de ser um projeto paperless, ou seja, não utiliza papel em sua divulgação. Além disso, os projetos apresentados durante a programação não podem ter conotação partidária, doutrinária religiosa ou que estimulem qualquer forma de discriminação. O conteúdo apresentado pelos participantes, escolhidos em edital, será analisado pela equipe de curadoria do festival.

Voltadas para todas as idades, as atividades vão ocupar pontos estratégicos como a Praça dos Arcos da Lapa, o Museu de Arte do Rio – MAR, a Lagoa, o Parque Madureira e algumas comunidades da Maré. Assim como em suas últimas edições, todas as atividades têm entrada gratuita. Em junho de 2017 o festival promoveu mais de 400 atrações e ocupou 39 bairros em 84 locais do Rio de Janeiro.

Os projetos são ligados a pelo menos um dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU (Organização das Nações Unidas), tais como Igualdade de Gênero, Erradicação da Pobreza, Boa Saúde e Bem-Estar, Cidades e Comunidades Sustentáveis, Consumo e Produção Responsáveis e Água Limpa e Saneamento.  Podem participar projetos que, além de estarem alinhados com a cultura da sustentabilidade, sejam autossuficientes, em sistema de colaboração coletiva (“crowdsourcing”), e não dependam de aporte financeiro da Virada para serem realizados.

Como colaborar – Celebridades que se dedicam à causa da sustentabilidade também participarão da Virada Sustentável, aumentando a visibilidade e o engajamento da sociedade neste tema tão urgente e importante para o planeta. A Virada Sustentável conta com o apoio institucional do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Brasil.

No site www.viradasustentavel.org.br existe a opção “Quero apoiar a Virada!”, onde possíveis parceiros podem se inscrever para ceder um espaço, ajudar na divulgação e/ou apoiar ou patrocinar. O festival também abre oportunidade para os interessados em trabalhar como voluntários nas atrações. Para ser voluntário é necessário se inscrever pelo site oficial e participar de pelo menos um dia de capacitação oferecida pela Virada Sustentável.

Design de móveis com sustentabilidade e consumo consciente

Fernanda Paes Leme comanda o Missão Design

A preocupação com a sustentabilidade invade a telinha. A partir de 7 de maio, de segunda a sexta-feira, às 19h, a atriz Fernanda Paes Leme estará à frente de Missão Design, seu novo programa no GNT. “Diferente de outros programas de decoração do canal, Missão Design incentiva o consumo consciente, o bom uso dos materiais, do tempo e do dinheiro. Temos o intuito de mostrar que é possível criar espaços lindos e funcionais reaproveitando objetos e gastando pouco”, avalia a diretora de Conteúdo do GNT, Mariana Koehler.

Por isso, será preciso criatividade e talento para se dar bem no final.  A cada semana, três designers se enfrentam no reality show e devem criar um cômodo dentro de um contêiner de 3x4m, usando objetos – novos ou usados – com uma verba limitada. Um selecionado time de jurados fica responsável por avaliar e decidir quem será o vencedor. “Uma competição leve, consciente, divertida e com participantes envolventes e muito criativos! Quem assistir, sem dúvida, vai se inspirar para fazer em casa o que ver no programa”, conta a apresentadora.

EM SÃO PAULO

Ovos solidários com amor para doentes de câncer

Hospital do Amor em Barretos

O Hospital de Câncer de Barretos, agora rebatizado de Hospital de Amor (foto) passa a receber o projeto Ovos Solidários, da Granja Mantiqueira. O projeto, que nasceu no Rio de Janeiro há dois anos, destina 10% da venda dos ovos para instituições voltadas para causas sociais.  A primeira edição paulista, que será comercializada em todo o Estado de São Paulo, foi batizada de “Ovos Solidários com Amor”, numa alusão ao novo nome do hospital. A instituição atende cerca de 7000 pacientes por dia, entre consultas, exames, cirurgias e outras formas de prestar serviços ao público, com 380 médicos, 120 leitos de internação e mais de 9000 refeições servidas diariamente.

Essa é a terceira instituição a ser contemplada com a linha de ovos sociais da Mantiqueira: a primeira edição, em 2016, batizada de “Ovos Solidários Para Atletas”, contemplou o Instituto Mangueira do Futuro, reconhecido pela Unesco, como um dos maiores programas sociais do mundo na formação de atletas. Em 2017 foi a vez dos “Ovos Solidários do Coração”, em prol do Pro Criança Cardíaca, que já atendeu mais de 24.000 crianças com problemas cardíacos.  A edição foi renovada para 2018.

Em São Paulo, a cada ano, a empresa também pretende eleger uma nova instituição para ser beneficiada com os “Ovos Solidários”. A novidade será apresentada durante a Apas Show 2018, a maior feira do setor de supermercados, que acontece de 7 a 10 de maio no Expo Center Norte (SP).

Ovos sustentáveis e orgânicos

ovos sustentáveis
Ovos sustentáveis da Korin serão apresentados na Apas 2018 (Foto: Divulgação)

Ainda na Apas, a Korin, outra marca de ovos, vai apresentar as linhas sustentável e orgânica a varejistas de todo o Brasil. A marca lança na feira dois produtos pioneiros no mercado brasileiro: Frangos e Ovos Sustentáveis sem o uso de transgênicos, uma nova linha de aves criadas dentro dos métodos da linha sustentável Korin com alimentação à base de grãos não transgênicos.

A previsão é que sejam produzidas 720 mil aves por ano, com utilização de, aproximadamente, 1,2 mil toneladas de milho e 730 toneladas de soja não transgênica. O frango será disponibilizado em bandejas de 600g e os ovos vermelhos em embalagens de 10 unidades. A empresa já conta com uma linha de frangos e ovos orgânicos (sem o uso de transgênicos) e outra sustentável (aves com alimentação à base de vegetais convencionais).

Também da Linha Sustentável chega a Carne Moída de Frango produzida a partir do filé de peito e coxa com sobrecoxa do frango sustentável, livres de antibióticos e alimentados com ração 100% vegetal, com acréscimo de probióticos e prebióticos.  Já a Carne Moída Bovina Orgânica é certificada e produzida a partir de coxão duro e paleta de bovinos criados predominantemente, a pasto nativo e sem aplicação de agrotóxicos e fertilizantes. Os bovinos sustentáveis da Korin vivem em regiões do Pantanal sul-mato-grossense, onde questões ambientais são prioritárias para a sustentabilidade da cadeia.

Da Redação, com Assessorias*

*Sugestões de pauta e notas para esta seção, publicada às sextas-feiras, devem ser enviadas com fotos em baixa resolução até a quarta-feira da semana anterior à atividade para o email boasacoes@vidaeacao.com.br.

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais