Longevidade: quanto mais cedo pensar nela, melhor

Especialista explica que hábitos saudáveis garantem vida longa. Semana da Longevidade celebra os 15 anos do Estatuto do Idoso no Brasil com críticas às políticas públicas e projetos sociais voltados para o envelhecimento

Seminário longevidade reuniu 60 pessoas no Rio Seminário Longevidade, Trabalho e Renda, realizado em abril, reuniu 60 pessoas no Rio (Foto: Fabiane Muniz)

O número de idosos não para de crescer no Brasil. Segundo projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população acima de 60 anos representa hoje 13,5%. Daqui a dez anos será 17,4% e em 2050, 29,3%. O país terá mais um milhão de idosos a cada ano, nos próximos dez anos, e chegará a 2060 com 73,5 milhões de pessoas acima de 60 anos, o equivalente a um terço de uma população estimada em 218 milhões de habitantes.

Diante desse cenário, como chegar nessa fase com qualidade de vida? Para Alexandre Kalache, uma das maiores autoridades internacionais em gerontologia, médico e pesquisador em saúde pública e consultor do Prêmios Longevidade Bradesco Seguros, o estilo de vida que levamos é um dos fatores mais importantes quando o assunto é longevidade. E quanto mais cedo nos preocuparmos com os nossos hábitos, melhor. É um assunto para ser pensado não apenas aos 60.

“Quem tem 15, 20, 30 anos, tem uma boa dieta, mantém um peso saudável, evita fumar e ingerir bebidas alcoólicas em excesso e se mantem ativo, já terá ganhos em qualidade de vida quando chegar na terceira idade”, afirma Kalache. “Mas nunca é tarde demais. Começar aos 50, 60, 70 será sempre melhor do que não começar. Inserir hábitos saudáveis na rotina será sempre positivo para a saúde e o bem-estar, independentemente da idade. Não basta apenas ganhar mais anos, e sim ganhar mais vida com esses anos.”

Além da saúde (mental e emocional), Kalache também aponta mais três aspectos que devemos atentar e cuidar ao longo da vida para envelhecer bem. As relações sociais, ou seja, ter pessoas do seu convívio com as quais você poderá contar quando tiver uma queda na sua independência; o conhecimento – estar aprendendo constantemente; e o financeiro.

Semana da Longevidade no Rio

Embora o Estatuto do Idoso esteja debutando este ano, nada mudou em relação às políticas públicas e aos projetos sociais voltados para a temática do envelhecimento. Para construir uma rede colaborativa de empreendedores, agentes públicos e privados engajados nessas iniciativas e contribuir para ampliar a voz dos conselhos representativos, surgiu no Rio de Janeiroo Movimento Longevidade Brasil.

E assim, para chamar a atenção da sociedade para a causa “Longevidade, com Saúde e Qualidade de Vida”, o movimento realiza a Semana da Longevidade 2018, entre 1 e 5 de outubro, com fórum, mesas de debates e oficinas, celebrando além dos 15 anos do Estatuto do Idoso, o Ano da Valorização e Defesa dos Direitos Humanos e da Pessoa Idosa e o Dia Internacional do Idoso.

A abertura, no dia 1° de outubro, será no Centro de Estudos Pró Saber, no Largo dos Leões, Humaitá, zona sul do Rio. com o lançamento do Projeto SER Longevidade Brasil, prosseguindo com o Fórum Longevidade Brasil, nos dias 2 e 3, na Faculdade Senac-RJ, na Cinelândia, encerrando com o Dia de SER Longevidade Brasil, nos dias 4 na Universidade Veiga de Almeida (UVA) , Campus Tijuca, e dia 5 na Universidade da Terceira Idade (Unati/Uerj), com painéis, mesas, palestras, oficinas e mostra de produtos e serviços voltados para a saúde e melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Nosso intuito é realizarmos uma reflexão sobre a situação atual do Brasil, que deixou de ser “o país do futuro”, onde os jovens eram maioria. Nosso propósito é orientar o público, na busca de caminhos para uma longevidade saudável em suas múltiplas dimensões: econômica, social, política e cultural”, diz a engenheira Carlota Esteves, criadora e líder do Movimento.

Prêmio Longevidade prorroga inscrições

Grupo Bradesco Seguros prorrogou o prazo para inscrição no Prêmios Longevidade. Agora os interessados ganharam mais dez dias para enviar os seus trabalhos, até 8 de outubro.
A premiação, promovida pelo grupo desde 2011, estimula a reflexão sobre o processo de transformação da estrutura etária da população brasileira e é consolidada como uma das mais destacadas iniciativas voltadas à difusão e discussão do tema em âmbito nacional.

Essa é a oitava edição do prêmio, que contempla as categorias de Jornalismo, Histórias de Vida e Pesquisa em Longevidade, esta última voltada à comunidade acadêmica. Os três primeiros colocados nas categorias de Jornalismo e Histórias de Vida e os dois primeiros de Pesquisa em Longevidade receberão prêmios, além de troféus e certificados. A cerimônia de entrega ocorrerá durante o XIII Fórum da Longevidade Bradesco Seguros, que reunirá especialistas e convidados nacionais e internacionais em novembro de 2018, na cidade de São Paulo.

Com Assessorias

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais