Maio Amarelo alerta para vidas perdidas em acidentes no trânsito

Campanha da ONU e OMS aborda conscientização para prevenir acidentes de trânsito, principal causa das mortes entre 15 e 29 anos de idade

maio-amarelo-congresso Congresso Nacional iluminado para divulgar o Maio Amarelo, em 2018 (Foto: Jonas Pereira/Agência Senado)

Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2011, o movimento internacional Maio Amarelo visa chamar a atenção para o alto número de mortos e feridos no trânsito em todo o mundo. Estudo da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS) contabilizou, em 2009, cerca de 1,35 milhão de mortes por acidentes em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas. Se nada for feito, a OMS estima que, em 2030, o número de mortos no trânsito poderá chegar a 2,4 milhões. 

São 3 mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas, ou a nona maior causa de mortes no mundo. Os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano, ou um percentual entre 1% e 3% do PIB (produto interno bruto) mundial. 

O excesso de velocidade, a ingestão de álcool e outras substâncias além do não uso de equipamentos de segurança, como capacetes, cintos e cadeirinhas no caso das crianças, são as principais causas das lesões fatais no trânsito. O tema da campanha deste ano é Respeito e Responsabilidade. Pratique no Trânsito. 

A cúpula e o edifício principal do Senado serão iluminados de amarelo a partir da noite desta sexta-feira (30 de abril) até 7 de maio, em alusão ao mês de segurança no trânsito. O pedido, aprovado pela Primeira-Secretaria do Senado, é do Ministério da Saúde e do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), em apoio ao movimento internacional Maio Amarelo. Outros edifícios e monumentos da capital, como a Esplanada dos Ministérios, a Catedral de Brasília, o Palácio do Buriti e a Caixa D’Água da Ceilândia, entre outros, também receberão iluminação especial.

Segundo o diretor-geral do DER-DF, Fauzi Nacfur, a cor amarela representa a atenção no trânsito, e o símbolo do movimento é um laço amarelo, que remete à preservação da vida. “O intuito é despertar na sociedade a reflexão e o debate sobre as boas práticas de segurança no trânsito e reforçar a cultura e o respeito ao Código de Trânsito Brasileiro, o que tem sido uma marca na capital federal e referência para todo o Brasil”, afirma.

Mais informações no site oficial do Movimento Maio Amarelo, da ONU.

Fonte: Agência Senado

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais