Maioria já tentou pelo menos quatro dietas para emagrecer em dois anos

Pesquisa do grupo que detém a marca Vigilantes do Peso mostra que 90% querem melhorar saúde física, emocional e mental em 2019

Redação
Dietas de emagrecimento devem contar com ajuda de um profissional especializado em Nutrição (Banco de imagens)

Você é daqueles que já tentou de tudo, mas não consegue fazer o ponteiro da balança baixar? Fica com a sensação de que ainda não encontrou a dieta ideal e que não se sente tão motivado a perder peso, mesmo desejando muito isso? Pois você não está sozinho.

Uma pesquisa realizada no Brasil e em mais 10 países, divulgada nesta segunda-feira (17), mostra que embora a maioria das pessoas queira se sentir mais saudável, 73% não alcançam esse objetivo, apesar de seus melhores esforços.

A Pesquisa Global de Bem-Estar da WW – ex-Weight Watchers, grupo do qual faz parte a marca Vigilantes do Peso – mostra que mais da metade dos adultos (55%) tentaram várias dietas ou planos alimentares nos últimos dois anos. A média geral é de quatro tentativas nesse período.

Segundo o levantamento, 90% dos adultos têm como uma de suas metas para 2019 é melhorar a sua saúde física, mental e emocional. No entanto, precisam de mais inspiração e apoio na jornada para encarar os desafios.

 

Para 43% dos adultos a falta de inspiração é o que os impede de alcançar a meta. Quase metade dos entrevistados (48%) diz que ter uma companhia é imperativo para permanecer no caminho certo. E esperam algo que efetivamente funcione.

O que estamos aprendendo com essa pesquisa é que, enquanto quase todo mundo quer viver uma vida mais saudável, a maioria ainda sente que falta inspiração, ferramentas eficazes e um senso de parceria”, afirma Mindy Grossman, presidente e CEO Global da WW.

Metodologia

A Pesquisa Global de Bem-Estar da WW foi realizado pela Wakefield Research com 10.007 adultos com representação nacional, maiores de 18 anos, em 11 mercados: Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Austrália, Nova Zelândia, Canadá, Suíça, Suécia, Brasil e Benelux.

Para as entrevistas conduzidas neste estudo específico, as chances são de 95 em 100 de que o resultado da pesquisa não varie acima de 1 ponto percentual acima para mais ou para menos, para a amostra geral, 2,2 pontos percentuais para a amostra do Reino Unido, 3,1 pontos percentuais para as amostras dos EUA, Alemanha, França, Austrália, Canadá e Suécia, e 4,4 pontos percentuais para as amostras da Nova Zelândia, Suíça, Brasil e Benelux pesquisadas.

Para mais informações, acesse www.vigilantesdopeso.com.br

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.