Mais de 90% dos idosos já foram vacinados no Rio e mortes em asilos zeraram

Mortes em asilos zeraram em abril após vacinação. Veja quais são os públicos prioritários que começam a ser vacinados dia 26/4

Silvino Policarpo da Silva, de 72 anos, já teve Covid-19 e foi o primeiro a se vacinar no posto do Jockey Clube (Foto: Edu Kapps / SMS-RJ)

Mais de 90% dos idosos do município do Rio de Janeiro já foram vacinados contra a Covid-19. Até o momento, 1.333.223 pessoas foram imunizadas com pelo menos a primeira dose das vacinas contra o coronavírus, o que representa 19,8% da população. Somente idosos são 1.101.459.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, enfatizou que o Rio de Janeiro está entre as capitais que mais vacinaram idosos. “Alcançamos uma marca muito importante com a vacinação de idosos no município. Agora é essencial que essa população retorne para tomar a segunda dose. A SMS conta também com o apoio da população e da imprensa na divulgação sobre a importância da imunização”, disse.

A Secretaria Municipal de Saúde adverte que é importante que quem tomou a primeira dose volte no dia marcado no comprovante de vacinação para receber a segunda dose, completando a proteção. Após a vacinação, as notificações de surtos de Covid-19 nas instituições de longa permanência, como os asilos de idosos, zeraram no mês de abril.

Segundo Soranz, agentes comunitários e profissionais da Secretaria Municipal da Saúde estão na busca ativa para identificar as pessoas com mais de 60 anos que ainda não se imunizaram contra a Covid-19. Esse trabalho é feito por meio do cadastro das famílias atendidas nas unidades Atenção Primária pela Estratégia Saúde da Família.

Atenção para a segunda dose

O calendário de vacinação do público acima dos 60 anos termina neste sábado (24). Após este dia, idosos que por algum motivo ainda não tenham se vacinado ou pessoas que completem 60 anos poderão comparecer a qualquer unidade de saúde para serem imunizados.

Nesta sexta-feira, serão vacinados os homens de 60 anos, os profissionais de saúde de 45 e as gestantes de qualquer idade com comorbidades preexistentes (com apresentação de laudo com a indicação médica). No sábado (24), será repescagem para todas as pessoas a partir de 60 anos que não tenham se vacinado e dos profissionais de 45 anos para cima.

As primeiras pessoas que tomaram a D1 da Oxford/AstraZeneca ainda em janeiro começaram a receber a D2 no dia 19 de abril, conforme prazo indicado pelo fabricante, que é de 12 semanas. No momento, a vacina disponível para D1 na cidade ainda é a Oxford/AstraZeneca.

A D2 para quem tomou a CoronaVac está garantida na data indicada no comprovante de vacinação. As pessoas devem retornar para a segunda dose preferencialmente nos mesmos postos onde tomaram a primeira dose e obrigatoriamente no mesmo município.

Novos grupos prioritários

Já na próxima segunda-feira, dia 26, inicia o atendimento a outros grupos prioritários, incluindo algumas categoriais profissionais, como trabalhadores da educação (pública e privada) e de forças de segurança, pessoas com deficiência e com comorbidades, sempre com escalonamento por idade, conforme calendário anunciado. Eles deverão obedecer o escalonamento de idades definido no novo calendário de vacinação. Assim, a pessoa que integre qualquer um dos grupos deverá comparecer ao posto de vacinação na data destinada a sua faixa etária.

Na segunda-feira, dia 26, é a vez das mulheres desses grupos com 59 anos; na terça, 27, os homens desses grupos com 59; na quarta as mulheres de 58 e na quinta os homens da mesma idade. E assim por diante. Apenas para o grupo de profissionais de saúde as faixas etárias serão diferentes, de 44 anos para baixo, uma idade a cada dia, para ambos os sexos.

Nos novos grupos estão incluídas pessoas com comorbidades (conforme lista do Programa Nacional de Imunizações), como diabetes mellitus, hipertensão arterial grave, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, câncer e obesidade grave, entre outros. A lista completa pode ser consultada em coronavirus.rio/comorbidades.

No momento da vacinação, essas pessoas devem apresentar as três últimas prescrições ou receitas, atestado ou recomendação médica que comprove a comorbidade. Gestantes com comorbidades devem apresentar laudo com indicação médica e assinar termo de consentimento disponível em coronavirus.rio.

Também estão incluídas no próximo calendário as pessoas com deficiência que cause impedimento de longo prazo, o qual pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas. A deficiência pode ser física, auditiva, intelectual, psicossocial (mental), visual, múltipla (associação de duas ou mais deficiências), transtorno do espectro autista (lei 12.764/12). As pessoas que se enquadrem neste grupo devem apresentar laudo médico, cartões de gratuidade no transporte público, receituário ou outro documento que comprove a condição.

O que deve ser observado

Nos grupos de profissionais essenciais contemplados, a pessoa deverá estar obrigatoriamente na ativa e apresentar os três últimos contracheques, comprovando vínculo com a profissão e local de trabalho, ou declaração assinada do estabelecimento em que atuam (a declaração ficará retida na unidade de saúde).

Estão neste grupo os trabalhadores da saúde, educação, serviços de limpeza urbana, guardas municipais, motoristas e cobradores de ônibus e transporte escolar. Profissionais de saúde da área assistencial (médicos, enfermeiros, dentistas, etc) devem mostrar a carteira ativa de seu conselho de classe. Policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários serão vacinados em seus locais de trabalho.

Estado tem 2 milhões de vacinados e recebe mais 558 mil doses

Nesta sexta, o Estado do Rio de Janeiro alcançou a marca de 2 milhões de cidadãos fluminenses vacinados contra a Covid-19. Segundo a última atualização do Vacinômetro, no site Vacinação Covid, no dia 23, às 9h, foram aplicadas 2.019.561 vacinas da primeira dose e 639.911 da segunda dose. Nesta sexta-feira (23.04), 558.990 doses de vacinas contra a Covid-19 foram entregues ao estado pelo Ministério da Saúde. Desse total, 78 mil doses são da vacina CoronaVac e 480.990 da Oxford/AstraZeneca.

A distribuição começa já na noite desta sexta-feira, quando o município do Rio de Janeiro faz a retirada das doses. No sábado, será a vez de Niterói, Maricá e São Gonçalo, que também retiram os lotes por meio de caminhões, na Central Geral de Armazenagem (CGA), em Niterói. A operação continua no domingo (25), com o envio das doses aos demais 88 municípios do estado, por meio de sete helicópteros.

Do total de 480.990 vacinas da Oxford/AstraZeneca recebidas nesta sexta, mil doses são complementares ao lote de imunizantes recebido pela SES na semana passada e já distribuído aos municípios fluminenses no último domingo (18). Esse quantitativo de vacinas faz parte da remessa que o MS está enviando aos demais estados nesta sexta-feira. As outras 479.990 doses já fazem parte do adiantamento de vacinas do lote que o ministério irá repassar na semana que vem aos demais estados.

O ministro Marcelo Queiroga, em encontro com o secretário estadual Carlos Alberto Chaves, no dia 8 de abril, explicou não ser mais necessário que os lotes da vacina produzida pela Fiocruz passem pelo centro de distribuição do MS, em São Paulo. Com essa medida, o Estado do Rio tem recebido as doses da Oxford/Astrazeneca antes dos demais estados.

Novos pontos de vacinação

A Secretaria Municipal de Saúde conta com 236 unidades de Atenção Primária (Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde), além de postos extras espalhados pela cidade. Os calendários oficiais de vacinação contra a covid-19 no município do Rio, a lista de comorbidades incluídas e os locais de vacinação estão disponíveis no link.

A SMS inaugura nesta sexta-feira, dia 23 de abril, mais um ponto de vacinação (PV) contra a Covid-19, agora no Espaço Cultural da Marinha, no Centro do Rio. O PV do Espaço Cultural da Marinha funcionará de segunda a sábado, das 8h às 17h. Outros postos foram inaugurados esta semana no Museu Aeroespacial de Campo dos Afonsos, na Zona Oeste, e na quadra da escola de samba Portela, em Madureira, Zona Norte.

Uerj vacina públicos prioritários

A partir de segunda-feira (26/04), o posto para pedestres no campus Maracanã da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) começará a imunizar pessoas de 45 a 59 anos pertencentes aos grupos prioritários, seguindo o calendário por idade elaborado pela Prefeitura do Rio. Entre eles, estão indivíduos com comorbidades e deficiências permanentes, conforme  lista  do Plano Nacional de Imunização (PNI), além de trabalhadores da ativa da saúde, educação, serviços de limpeza urbana, motoristas e cobradores de ônibus e transporte escolar, policiais civis e militares, guardas municipais, bombeiros e agentes penitenciários. A vacinação acontece de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h.

Professores, técnicos administrativos e terceirizados da Uerj que estejam na ativa incluem-se na categoria de trabalhadores da educação e poderão ser imunizados no campus Maracanã ou em outros locais da rede municipal de vacinação. Para atender aos diversos públicos, a universidade ampliou a estrutura montada em frente à Concha Acústica Marielle Franco, que conta agora com o dobro da equipe de vacinadores, envolvendo o corpo de enfermeiros e técnicos do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe), além de docentes, residentes e estudantes voluntários.

A entrada para o posto de pedestres da Uerj é pelo portão 1 da Avenida Radial Oeste, ao lado do acesso às estações de trem e metrô. Quem for de carro pode entrar pelo portão 7 da Avenida Radial Oeste e estacionar na área ao lado do Teatro Odylo Costa Filho. 

Vacinação solidária – A universidade também participa da campanha Rio contra a Fome, arrecadando itens de cesta básica para organizações da sociedade civil que atuam em favelas e periferias da cidade. Vale contribuir com alimentos não perecíveis, material de limpeza e higiene pessoal, além de álcool em gel. 

Documentos exigidos para a vacinação dos grupos prioritários

Todos devem levar documento de identidade, número do CPF e, se possível, caderneta de vacinação.

Pessoas com comorbidades – laudo ou atestado que comprove a comorbidade, contendo a assinatura do médico ou QR Code para validação de autenticidade no  modelo Cremerj . Serão aceitas também as três últimas receitas médicas do remédio utilizado. Entre as comorbidades descritas como prioritárias estão diabetes mellitus, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e renais crônicas.

Pessoas com deficiência permanente – laudo médico ou receituário que comprove a condição ou cartão de gratuidade no transporte público. Estão incluídas as deficiências físicas, auditivas, intelectuais, psicossociais, visuais, múltiplas e transtorno do espectro autista. 

Trabalhadores dos grupos prioritários (devem estar na ativa) – contracheque comprovando vínculo com a profissão e local de trabalho, ou declaração assinada do estabelecimento em que atuam. É preciso observar atentamente o calendário por idade divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde.

Com SES-RJ e SMS-Rio

In the news
Leia Mais