Maioria das mulheres está estressada e quer dormir mais

Entre as maiores preocupações delas estão os problemas com a família (65%), com o dinheiro (64%) e com a saúde (46%), diz pesquisa realizada pelo Minha Vida

Rosayne Macedo

mulher-estressada-insonia

Sou do time das ‘boas de cama’. Preciso, ao menos, de sete a oito anos de sono restaurador para se recompor para o dia seguinte. Até o humor, a produtividade e a disposição diminuem quando minhas horas de sono não são suficientes. Não estou sozinha nessa. Mais da metade das mulheres está estressada e, apesar de dormir de seis a oito horas por noite, sente que precisaria dormir mais.

Entre as maiores preocupações delas estão os problemas com a família (65%), com o dinheiro (64%) e com a saúde (46%), aponta a pesquisa Saúde no Brasil 2017, realizada pelo Portal Minha Vida. “As mulheres se consideram preocupadas com a própria saúde e mais de 90% delas usam a internet para pesquisar. Os assuntos mais procurados são alimentos, sintomas e doenças”, declara Márcia Netto, diretora de produto e conteúdo do portal.

A Pesquisa Alimentação Saudável de 2017 indica que, embora mais de 80% das usuárias considerem ter uma dieta saudável, elas ainda acreditam ter pouco conhecimento sobre o assunto. Quando o assunto são os hábitos de alimentação, as mulheres afirmam que fazem, em geral, apenas três refeições diárias e costumam almoçar em casa. E, apesar de 60% delas consumirem sobremesa, especialmente no almoço, as frutas naturais apareceram como a preferência para 42%.

O relatório de 2017 sobre Beleza & Autocuidado reforça a preocupação do público com a saúde e a beleza. Os resultados apontam que mais de 57% das mulheres se consideram vaidosas e adeptas a tratamentos estéticos para cuidar da aparência. “Nesse momento de crise, elas passaram a realizar mais tratamentos estéticos em casa e as compras online estagnaram, já que tiveram um crescimento orgânico de apenas 7% em relação ao ano passado”, diz Márcia.

Em comum, todas as pesquisas apontam um forte papel dos sites especializados como fonte de informação para a compra e consumo de produtos dos três segmentos. Em saúde e alimentação, 66% das mulheres se informam a partir dos portais especializados; para beleza esse conteúdo representa 62% da fonte de informação das mulheres.

Mais sobre a pesquisa

Os resultados das tradicionais pesquisas realizadas anualmente pelo site Health Report (Saúde no Brasil 2017), Food Report (Alimentação Saudável 2017) e Beauty and Care Report (Beleza e Autocuidado 2017) foram apresentados durante o Life Insights, evento realizado recentemente em São Paulo. Em sua quinta edição, as pesquisas foram apresentadas em três painéis com os principais insights dos mercados brasileiros de saúde, alimentação e beleza.

Os resultados apontam para as tendências nas três áreas e indicam a jornada digital do público, com os principais hábitos de pesquisa e consumo da audiência. Realizadas com a base de leitores do portal, as pesquisas apresentam um panorama sobre as percepções e hábitos dos consumidores e apontam que a internet é o principal meio de informação, tendo os sites especializados um grande papel na formação da opinião.

“As opiniões sobre os produtos na internet, bem como as indicações dos portais especializados são levadas em consideração antes de a mulher fazer compras de produto. O Minha Vida se consolida como uma das maiores fontes de informação e enfrenta o desafio de produzir conteúdo relevante e mais aprofundado do que as redes sociais”, completa Márcia.

Fonte: Portal Minha Vida, com Redação

In the news
Leia Mais