Mulheres levam mais saúde e cidadania a comunidades do Rio

Enquanto instrutora portuguesa de yoga leva ayurveda para mulheres da Maré, empresária promove ação social no Morro da Formiga, onde nasceu

Redação
Aulão gratuito de yoga na Maré: projeto começou com 20 moradores e hoje tem 120 (Foto: Divulgação)

Duas mulheres que vivem em realidades diferentes, movidas pelo mesmo desejo: ajudar a mudar a vida de moradores de comunidades do Rio de Janeiro por meio de mais saúde e qualidade de vida. No Complexo da Maré, a instrutora de yoga e terapeuta ayurvédica Ana Olívia Cardoso, portuguesa que mora no Brasil há sete anos, criou o projeto Yoga na Maré. Começou dando aulas gratuitas a cerca de 20 pessoas e hoje atende cerca de 120 alunos regulares, a maioria mulheres.  A novidade agora a introdução da Ayurveda para a comunidade.

Danielle morou e tem parentes na Formiga, o que a motivou a criar a ação (foto: Divulgação)

Já em outro lado da cidade, no Morro da Formiga, na Tijuca, a empresária Danielle Vitorino, de 30 anos, ex-moradora da comunidade, resolveu reunir pessoas de todas as faixas etárias, com foco especial em levar orientação aos idosos da comunidade, mesmo que seja por meio de seus familiares. Para tanto, conta com sua experiência profissional como sócia de uma empresa de prestação serviços de assistência domiciliar e hospitalar.

Morei na Formiga, onde ainda vive minha família. Sei das necessidades da comunidade e quero compartilhar um pouco do conhecimento, levar serviços e cidadania, pois muitos moradores nem sabem que têm direitos. Dessa forma, contribuir para melhorar as condições de vida do pessoal”, conta a jovem empresária.

Ação social na comunidade da Formiga

Neste sábado, 17 de agosto, Danielle promove uma grande ação social na Formiga. Das 10 às 16 horas estarão disponíveis para a população serviços como exames de vista, aferição de pressão arterial, medição de glicose, orientação sobre saúde, doação de roupas (para idosos e crianças), orientação jurídica, oficina de origamis e orientação para bolsas de estudo para faculdade. O evento será totalmente gratuito e terá como base a Capela Sagrada Família, na Rua Camutanga 14.

A população do Morro da Formiga, de acordo com dados do Instituto Pereira Passos com base no censo demográfico (2010) do IBGE, é de 4.312 pessoas, distribuídas em 1.279 domicílios. A média é de moradores 3,37 pessoas por unidade, contra 2,94 na média do município. As mulheres são maioria com 2.285 (52,99%), os homens são 2.027 (47,01%). Por faixa etária a maior concentração está entre 30 e 59 anos de idade, com 1.528 pessoas. Na sequência vêm 15 a 29
anos, com 1.277; 0 a 14, com 1.177 e mais de 60, com 330 pessoas.

Danielle recebeu em 2017 o prêmio Sebrae Mulher de Negócios, com sua empresa, a Total Care, que presta serviços domiciliares e hospitalares, com cuidadores de idosos, equipe de enfermagem em residências e eventos, babás e fisioterapeutas desde 2015. Entre os parceiros confirmados na organização do evento estão a Cruz Vermelha, Visão do Bem, Origamizes, Unicesumar e Total Care.

Ayrveda para as mulheres da Maré

Nesta sexta-feira, 16 de agosto, o Instituto Yoga na Maré, em parceria com a médica e terapeuta ayurvédica Ananda Ruguê, da Escola Brahma Vidyalaya, realizam palestra e atendimento de ayurveda para mulheres da comunidade da Maré. As moradoras receberão orientações sobre saúde feminina e estilo de vida para o equilíbrio do corpo e da mente a partir da visão do ayurveda, ciência milenar originaria da Índia e quem tem sido cada vez mais disseminada em todo o mundo.

Embora já tenha sido apresentado por meio de alguns procedimentos e oficinas, o ayurveda ainda é um tema novo na comunidade. Ainda considerado um tratamento elitizado e um pouco distante da realidade dessas comunidades, o conceito do ayurveda é simples e acessível a todos.

O ayurveda propõe um resgate do contato com a nossa essência e com a natureza, potencializando a cura através da alimentação. A ideia é aproximar o ayurveda da comunidade, para que as pessoas possam cuidar melhor da própria saúde e do bem estar físico e mental, integrado ao yoga e outras práticas. Além de suprir uma falta de acesso a serviços básicos de saúde em um espaço onde há ausência do Estado e violação de direitos em todos os sentidos”, afirma Ana.

A proposta da ação é tornar o ayurveda uma ferramenta de transformação na vida dessas mulheres, assim como o yoga já vem fazendo. “Na comunidade há muitos casos de depressão, obesidade, crise de pânico, pessoas com autoestima muito baixa. Por meio das práticas de yoga, não só das posturas, mas também com o incentivo à alimentação e estilo de vida mais saudável, muitas mulheres que participam do projeto têm testemunhado mudanças positivas. Com o ayurveda poderemos potencializar esses benefícios”.

Segundo Dra Ananda Ruguê, o objetivo é contribuir para melhoria da saúde dessas mulheres. “Na maioria das vezes, são mulheres que estão inseridas há muito tempo em um estilo de vida com tendências a desenvolver doenças. Vamos dar orientações simples, mas de muito valor, sobre alimentação, chá de ervas e rotina diária que podem ajuda-las a se sentirem melhor e terem uma vida mais equilibrada”, afirma a especialista em saúde da mulher.

As atividades serão realizadas no Núcleo Bem-Estar e Saúde – NUBES (Rua Santa Rita 52 – Nova Holanda, Complexo da Maré), das 9h30 às 17h. A palestra sobre saúde da mulher acontecerá partir das 9h30 e será aberta a todos, sem necessidade de realizar pré-inscrição. Por conta da pequena capacidade, os diagnósticos, que contarão com o apoio de terapeutas voluntários, serão realizados em cerca de 20 mulheres que já participam do projeto e apresentam quadros clínicos mais urgentes. A ideia é acompanhar a evolução de tratamento dessas mulheres com procedimentos periódicos, como as massagens ayurvédicas.

Sobre o projeto

Além das aulas de yoga semanais e gratuitas, o projeto oferece diversas outras atividades ao longo do ano como oficinas de arte terapia, culinária vegana, ginecologia natural, acupuntura. No próximo ano, em parceria com uma escola de formação de instrutores de yoga, será lançada a primeira turma de capacitação de professores para moradores da comunidade.

O Yoga na Maré é um trabalho voluntário e os custos com manutenção do espaço e infraestrutura são bancados parte pela contribuição voluntária dos alunos e parte por alguns apoiadores. “Nosso sonho é ter um espaço maior para que possamos ampliar as turmas de yoga e oferecer mais atividades. Para isso precisamos de mais apoiadores”, anseia Ana.

A programação de aniversário do projeto conta, ainda, com aulão de yoga no Museu da República no dia 18 de agosto, às 9h30 e exibição do filme “Hermógenes, professor e poeta do yoga”, no dia 24 de agosto, às 17h30, também no NUBES.

Da Redação, com Assessorias

In the news
Leia Mais