O alimento certo para não engordar no frio

Menos atividade física, mais comida no prato. E ainda tem a tentação das festas juninas! Nutricionistas dão dicas para evitar pratos muito calóricos

Redação

E finalmente é hora de tirar casacos, botas e cachecois para fora do armário. Dizem que esta é a época em que ficamos mais chiques. No Rio de Janeiro, onde estamos acostumados ao calor de 40 graus quase o ano inteiro, as temperaturas despencaram esta semana. a noite mais fria do ano foi registrada na madrugada desta sexta-feira (7): 14 graus.

Mas junto com as baixas temperaturas, vem também para muita gente o aumento do apetite e a procura por alimentos mais calóricos . E, consequentemente, as gordurinhas a mais, escondidas sob os pesados agasalhos. Engordar é quase lei nesta época em que parecemos ter mais apetite, enquanto diminui a vontade de praticar atividades físicas, especialmente aquelas ao ar livre.

O inverno traz alguns desafios na busca da boa forma e, principalmente, na manutenção da imunidade – já que estamos num período muito suscetível a gripes, resfridos e doenças alérgicas. Por isso, nada de abusos. Para quem duvida, especialistas garantem que é possível reverter este cenário.

Nina Camargonutricionista da Clínica Dr. Newton Roldão, explica que nos dias de frio intenso o nosso organismo busca manter a sua temperatura – entre 36ºC e 37,5ºC – e, para isso, o metabolismo fica acelerado, queimando mais calorias para, consequentemente, produzir mais calor, podendo aumentar a necessidade calórica do nosso corpo.

Mas é importante estar atento a o que comer e evitar os exageros alimentares que, aliados à diminuição de atividades físicas, costumam levar ao ganho de peso em excesso. Deve-se priorizar uma dieta equilibrada, com qualidade nutricional e na quantidade adequada para o gasto de energia necessário”, diz.

Verduras e legumes são aliados contra gripes e resfriados

Com a diminuição da temperatura, o consumo de saladas geralmente diminui, porém, a nutricionista destaca a importância das verduras e legumes nesta época do ano e sugere alternativas como verduras e legumes refogados, cozidos ou ainda sopas e cremes contendo vegetais. Os alimentos ricos em vitamina C são ótimas opções para o consumo no inverno, já que eles auxiliam na melhora da imunidade e na capacidade de proteger o corpo contra gripes e resfriados.

Entre as frutas, há várias opções, como laranja lima, laranja pera, mexerica e morango. Entre os legumes, abóbora, batata-doce, cará, cogumelo, ervilha, inhame e mandioca são ótimas escolhas. Já no grupo das verduras, alho-porró, brócolis, couve, couve-flor, espinafre e palmito são alternativas nutritivas. “A ingestão destes alimentos aumenta a sensação de saciedade, dão energia e ajudam a hidratar o organismo”, explica Nina.

É importante lembrar que para manter seu organismo saudável, é necessário aliar bons hábitos alimentares (que incluem a ingestão de água) com a prática de exercícios físicos e boas noites de sono. A hidratação adequada é muito importante nesta época, portanto tome bastante água e faça uso de chás, que irão aquecer e hidratar o corpo”, diz a nutricionista.

Equilíbrio para enfrentar os pratos típicos de festas juninas

Outra tentação nesta época do ano são as delícias típicas das festas juninas, geralmente carregadas de muitas calorias. A nutricionista Isadora Kaba Gomes, do Hospital Edmundo Vasconcelos (SP), explica que para não sabotar a dieta e, ainda assim, aproveitar esse período, o nome do jogo é: equilíbrio. É preciso saber o que está consumindo e dosar as quantidades.

Uma sugestão é adotar uma alimentação mais regrada durante a semana para poder se dar ao luxo de aproveitar sem muita culpa as delícias das festas – mas sempre sem exageros.

É importante também lembrar que as bebidas alcóolicas são bastante calóricas. Por isso, sempre que escolher um prato com alto teor de carboidrato é aconselhável moderar no quentão e no vinho quente.

O açúcar, que também costuma estar presente de forma marcante nos doces típicos desta época, é outro item que exige atenção. “Além do ganho de peso, seu consumo exagerado predispõe a alterações dos índices de glicemia e triglicérides”, diz Isadora.

A especialista alerta ainda para as “pegadinhas” dos alimentos termogênicos, ou seja, aqueles que aceleram o metabolismo e favorecem o emagrecimento, caso da canela e do gengibre. “Esses alimentos são realmente termogênicos, mas só funcionam quando estão associados a bebidas pouco calóricas, como águas aromatizadas, por exemplo”.

LEIA MAIS

Festa junina sem culpa: como ‘enxugar’ as delícias típicas
Festa junina: atenção para a qualidade dos pratos
Festa junina: dá para resistir às tentações?

Festa junina sem culpa: como ‘enxugar’ as delícias típicas

Da Redação, com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.