O perigo dos termogênicos, nova moda nas academias

O músico João Carlos Cunha, de 28 anos, treinava em uma equipe de vôlei, malhava e corria na praia. Decidiu por conta própria começar a usar termogênicos para acelerar o metabolismo e perder gordura. Mas o que sentiu foram fortes dores no peito, dor de cabeça, falta de ar e sonolência. “Era como se estivesse dopado”, lembra o jovem. Preocupado com os efeitos colaterais, ele resolveu parar de ingerir assim que o termogênico acabou e não comprou mais. Um dos grandes problemas de atletas que iniciam os treinos nas academias é a adaptação aos termogênicos. Palpitações, dores de cabeça e problemas imunológicos podem ser alguns dos efeitos colaterais desses suplementos.

Nova moda nas academia, os chamados termogênicos podem até ajudar a acelerar o metabolismo e potencializar a perda de peso. Porém, devem ser consumidos com cautela, como alertam especialistas.  “Se os pontos críticos de um paciente, foram levados em consideração, não há riscos no uso do termogênico. Na grande maioria dos pacientes o uso é indicado e bem sucedido em relação à perda de percentual de gordura. Mas é  necessário  fazer a escolha certa do suplemento, com base na individualidade do paciente e não  utilizar o termogênico proveniente das mídias e sem prescrição”, afirma Ana Paula Moura, nutricionista e coach em emagrecimento.

Segundo ela, o princípio dessa suplementação é simples: há um aumento da temperatura corporal. Esse processo ocorre por meio de desacoplamento mitocondrial – um processo celular, o que faz com que o organismo consuma mais calorias e acelere o metabolismo, levando à perda de gordura corporal. No entanto, assim como nenhum tipo de suplementação, os termogênicos não devem ser consumidos sem recomendação específica.  Ela esclarece três pontos que devem ser levados em consideração antes do uso do produto: necessidade, rotina e efeitos colaterais.

Ana Paula Moura, nutricionista
Ana Paula Moura, nutricionista, alerta para os riscos do uso de termogênicos nas academias (Foto: Divulgação)

“Cada termogênico possui uma dosagem de produtos bem específica e, portanto, as ações no organismo são diferenciadas. Além disso, pessoas com problemas cardiovasculares jamais devem fazer uso desse suplemento sem prévia autorização de seu médico”, explica Ana Paula.

Abaixo, a nutricionista pontua cada um desses aspectos a serem considerados e explica os cuidados no uso de termogênicos.

  1. Necessidade:  O uso do termogênico não deve ser feito de forma aleatória ou leviana. É preciso que um profissional capacitado tenha avaliado toda a conjuntura da pessoa e, a partir daí, entender qual o produto mais indicado e a forma de uso. “Aspectos como o objetivo, características físicas, problemas em consumo de cafeína e outros são levados em conta”, pontua a nutricionista. Além disso, Ana Paula afirma que “não existe nada que produza o efeito termogênico que um bom treino produz”. Outro ponto importante a ser frisado é que, o termogênico, por si só, produz pouco ou nenhum efeito no gasto de perda calórica. “É preciso conciliar com atividade física”, diz Ana.
  1. Rotina: A utilização de termogênicos precisa ser pensada também de acordo com a rotina da pessoa. “Estilo de vida, intensidade e frequência de treinos são quesitos a serem considerados”, explica a nutricionista Ana Paula. Se o treino é feito antes de dormir ou logo ao acordar também são pontos importantes. “O uso de termogênicosalgumas horas antes de dormir pode prejudicar bastante seu sono, pois as substancias estimulantes tem um efeito forte no sistema nervoso central”.
  1. Efeitos colaterais: Muitas pessoas sentem efeitos colaterais intensos ao utilizar termogênicos. Os efeitos mais simples podem ser boca seca, tremores, insônia, alterações de humor. Em casos extremos e raros, podem ocorrer arritmias, infartos e AVC. Esses efeitos se dão pela ação das substâncias presentes na medicação sobre o sistema nervoso central, estimulando o mesmo. Ao sinal de qualquer pequena alteração, é sinal de que o uso deve ser interrompido.

Alimentos fazem mesmo papel, sem tantos efeitos colaterais

Uma solução para quem é mais sensível aos suplementos termogênicos pode ser natural e acessível. A dica é do médico Theo Webert, que atua em nutrologia e reequilíbrio corporal. “Óleo de coco e café, por exemplo, é uma ótima opção para ser consumida antes do treino, pois melhora bastante a performance e oferece ação termogênica, que ajuda no emagrecimento”, afirma.

Segundo o médico, que atua em São Paulo, Rio e Brasília, a bebida passa a estimular o seu sistema nervoso, por responsabilidade do óleo de coco, que é cheio de gorduras boas que auxiliam também no controle da sua fome. “O ideal é que a bebida seja consumida uma vez ao dia, se possível pela manhã e, não leva nenhum tipo de açúcar ou adoçante”, sugere.

O médico explica que por ser natural, a receita evita, por exemplo, palpitações, pressão arterial alta ou até um ataque cardíaco.

Termogênicos industriais podem te levar da euforia à depressão rapidamente. Irritações ficam mais frequentes e pessoas ansiosas, depressivas ou com transtorno bipolar são mais suscetíveis a esses efeitos colaterais específicos”, diz o médico Theo Webert.

O poder dos alimentos termogênicos

Outros alimentos naturais podem surtir o mesmo efeito dos termogênicos, sem os problemas geralmente relatados pelos usuários. “A pimenta-vermelha, o chá-verde, o gengibre, a canela e o alho são alimentos ricos e com propriedades de elevar a temperatura corpórea, acelerar o metabolismo, produzir energia e fornecer saúde”, informa o médico.

O médico lembra ainda que qualquer um desses alimentos naturais auxiliam e muito o sistema imunológico. “Com termogênicos convencionais, a imunidade fica prejudicada basicamente como consequência da irregularidade no sono que os termogênicos causam. Não dormir direito acarreta em vários males, entre eles te deixar fraco e doente”, finaliza.

Como em qualquer dieta, no entanto, o médico orienta que o paciente procure o auxílio de um profissional especializado antes de aderir à qualquer tipo receita. “É importante mencionar que esses alimentos devem ser consumidos com cautela por pessoas com restrições médicas, já que não são indicados por quem tem problemas de hipertensão, problemas cardíacos, intestinais, disfunções na tireóide, úlceras ou insônias, por exemplo”, elenca.

Faltam estudos sobre os reais benefícios

canela

Os principais alimentos difundidos como termogênicos são os chás, o café, a canela, o gengibre, a pimenta e o óleo de coco, porém ainda não existem muitos estudos que apontem exatamente como eles funcionam, a dose exata necessária para trazer algum benefício à saúde e a melhor forma de serem consumidos. É o que alerta Gabriella Gachet, nutricionista do Vigilantes do Peso.

Ainda assim, diz ela, são alimentos que trazem certos benefícios ao organismo, auxiliando de alguma maneira na perda de peso. “Esses alimentos podem fazer parte da alimentação da maioria das pessoas sem restrição, mas a principal recomendação é que não se faça uso de suplementos sem orientação de um médico ou nutricionista, já que o que funciona para uma pessoa, não necessariamente funcionará para você”, orienta.

Conheça alguns alimentos termogênicos

pimenta

  1. Chá verde – Possui muitos compostos bioativos, ou seja, que trazem benefícios ao corpo humano, entre eles substâncias com ação antioxidante, anti-inflamatória e termogênica. Ele possui substâncias chamadas polifenóis que auxiliam na redução da absorção de gordura e no envio de sinais de saciedade, o que auxiliaria no processo de perda de peso. Alguns compostos, porém, podem prejudicar a absorção de certos nutrientes provenientes da alimentação, então o seu consumo deve ser feito longe do almoço e jantar.
  2. Chá de hibisco – Na verdade, o chá de hibisco não possui ação termogênica, como algumas pessoas acreditam. Por ter um alto poder diurético, ele faz com que a retenção de líquidos no organismo seja reduzida, o que dá a sensação de diminuição de inchaço, o que é diferente de perda de peso. Além disso, possui compostos antioxidantes, que contribuem para a prevenção do envelhecimento precoce e de doenças cardiovasculares.
  3. óleo de cocoCafé – Possui cafeína, substância que é altamente estimulante. Por isso, é associado a uma maior disposição para a prática de atividades físicas. Porém deve ser consumido com cuidado, principalmente por pessoas com problemas de pressão ou cardíacos.
  4. Canela, gengibre e pimenta – São associadas a um aumento da temperatura corporal, o que aceleraria o metabolismo e significaria que têm um efeito termogênico.
  5. Óleo de coco – Amplamente divulgado como auxiliar na perda de peso, até hoje nenhum estudo apontou se realmente esse benefício é real. Recentemente, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia lançou um posicionamento contra o uso de óleo de coco com função de emagrecimento, já que, além dos poucos estudos realizados, o óleo de coco possui gorduras saturadas em quantidades elevadas, o que pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Fonte: Ana Paula Moura (nutricionista), Theo Webert (nutrólogo) e Vigilantes do Peso

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais