O sonho do sorriso de comercial de pasta de dente

dentes

Quem nunca sonhou em ter aquele sorriso de comercial de pasta de dente? Afinal, o sorriso é nosso principal “cartão de visitas”, uma das primeiras coisas que reparamos quando olhamos para alguém. Mas exibir dentes branquinhos como os das estrelas pode ser mais fácil do que muita gente imagina. Nesta época do ano é comum o aumento na procura pelo clareamento dental.

“O verão faz com que as pessoas queiram ficar mais bonitas, o que inclui adquirir um sorriso mais atraente”, confirma o professor de Odontologia da Universidade de São Paulo Carlos Eduardo Francci, consultor da FGM Produtos Odontológicos.   O dentista Carlos Loureiro Neto, presidente da Academia Brasileira de Odontologia Estética, lembra que o brasileiro é um povo muito vaidoso e ter um sorriso branquinho e em harmonia com as características pessoais está cada vez mais presente na lista de prioridades de quem deseja repaginar o visual.

Os avanços tecnológicos dão um leque de opções na hora de clarear os dentes: laser, pastas de dentes, fitas adesivas, moldeiras, e gel. Mas entre essas opções qual é a melhor? Mas qual é melhor: o clareamento a laser ou caseiro?  “Os resultados do clareamento a laser ou caseiro são semelhantes (tom bem branco natural), apenas a forma com que são realizados é que é diferente. Quando a busca é por um superbranco ou branco Hollywood (como costumamos chamar, este tom branco mais artificial) a associação de técnicas costuma ser empregada”,  explica o cirurgião-dentista Fernando Buranello,  diretor cientifico da Esthetic Aligner.

“A escolha depende do perfil do paciente, da dedicação ao tratamento e da necessidade dos dentes”, explica Mário Groisman, membro da Academia Brasileira de Odontologia e da Academia Americana de Periodontia. Segundo ele, na hora de escolher os tratamentos caseiros é bom ficar atento a reações alérgicas e para não abusar  do uso para o efeito surtir mais rápido. “Mesmo para quem escolhe usar as fitas adesivas e as moldeiras eu sugiro que faça um exame clínico e radiográfico, para sabermos a real necessidade do dente e qual é o melhor método”, conta.

O Blog Vida & Ação preparou um manual com dicas dos especialistas. Confira:

O clareamento dental é uma das ferramentas da odontologia estética para recuperar a cor dos dentes que pode ser perdida por diversos motivos ao longo dos anos, como envelhecimento, resíduos, má escovação e infiltração de substâncias corantes nos dentes.  O objetivo desse tratamento é remover principalmente manchas provocadas por corantes e pigmentos de alimentos, bebidas e fumo. Muitos clareadores são vendidos em estabelecimentos de produtos de saúde, porém, se não for feito sob a orientação de um profissional, pode trazer sérios problemas.

Clareamento a laser

No consultório, um gel clareador à base de peróxido de hidrogênio é aplicado nos dentes, sem que haja contato com os lábios e gengivas. O gel é ativado por laser ou LED:  um feixe de luz é aplicado para ativar o produto e acelerar o processo de branqueamento. O processo é realizado em duas sessões, de cerca de 60 minutos, com intervalo de uma semana entre elas. Entretanto,  Carlos Loureiro Neto não recomenda o método e afirma que esse tipo de clareamento pode causar danos irreversíveis ao tecido pulpar (nervo), devido à elevada temperatura. “Não existe nenhum artigo cientifico, sem interferência dos fabricantes de aparelhos, que recomende o uso de fontes de calor para clareamento”, alerta.

Clareamento caseiro

Nos tratamentos feitos em casa, é feita uma moldagem do paciente para que o laboratório confeccione um modelo de gesso, sobre o qual se faz uma moldeira de silicone, que se adapta às arcadas do paciente. Nessa moldeira, o paciente aplica o gel clareador e leva à boca pelo tempo determinado pelo dentista.  É um gel mais fraco (peróxido de carbamida)  e no lugar do laser, recomenda-se repetir a aplicação do gel branqueador para obter resultados positivos.  A aplicação é feita quase sempre diariamente, de acordo com a quantidade e tempo determinado pelo especialista, por aproximadamente duas a três semanas. “É o tratamento mais eficaz e seguro e sempre deve ser realizado com a supervisão de um dentista”, explica Loureiro Neto. “Jamais se deve comprar um clareador vendido indiscriminadamente sem orientação de um profissional especializado. Isso pode causar vários danos, como sensibilidade dolorosa, inflamação nas gengivas, queimaduras e prejuízo do esmalte dos dentes”, alerta o especialista.

Combinação de técnicas

Segundo o dentista, esta opção nem sempre é a mais eficaz, mas pode acelerar o processo em casos de dente muito escuros. “De início, indicamos a moldeira em casa e podem ser feitas algumas sessões de clareamento no consultório, sob supervisão do profissional, com géis mais concentrados, protegendo os tecidos moles – gengiva, língua, bochechas e lábios – porém sem uso de qualquer fonte de luz e calor”, afirma.

 

Sete mitos e verdades sobre o clareamento dental

1 – No consultório, o processo é mais eficaz

Mito. No consultório o resultado é mais rápido, pois o gel utilizado possui uma concentração maior. A sessão dura cerca de 60 minutosPor outro lado, em casa, o produto, aplicado numa moldeira, fica mais tempo em contato com os dentes, afirma Carlos Eduardo Francci.

2 – Durante ou após o clareamento é necessária a mudança de hábitos alimentares

Meia verdade. Algumas bebidas, como café, chá, vinho, entre outros, favorecem o depósito de manchas nos dentes. Por outro lado, a escovação adequada ajuda a prevenir o escurecimento provocado por alimentos.

3 – O clareamento danifica o dente

Mito.  As técnicas para o clareamento dental não promovem nenhum tipo de enfraquecimento dos dentes. Feito sob orientação do dentista e após avaliação da saúde bucal de cada paciente, o método é seguro e não agride os dentes.

4 – Existem muitas contra-indicações

Verdade. Pessoas com muita sensibilidade nos dentes devem evitar o método, pois podem desenvolver uma inflamação aguda. Pessoas com doenças gengivais, com hipersensibilidade dentinária, dentes cariados, com menos de 17 a 18 anos, dependendo do tamanho das polpas (nervo), com histórico de reações adversas em tratamentos anteriores, gestantes, lactantes e que tenham boca seca, por uso de medicamentos e quimioterapia não devem fazer clareamento. “Também não indicamos o tratamento para quem tem restaurações , coroas e facetas que estejam em harmonia com dentes naturais. Apenas os dentes naturais clareiam, os materiais restauradores não. Por isso é tão importante fazer um exame completo da boca para avaliar se existe saúde bucal para fazer o procedimento”, explica  Carlos Loureiro.

5 – O tratamento é dolorido

Mito. O que pode acontecer em alguns casos é uma maior sensibilidade apresentada por alguns pacientes.  “Os resultados são excelentes quando bem indicado e realizado adequadamente. O único desconforto que pode provocar é a sensibilidade nos dentes”, explica Loureiro.

6 – Não dá para fazer clareamento quando o paciente usa aparelho

Mito. Se o paciente estiver usando os Alinhadores Estéticos invisíveis também é possível corrigir o posicionamento dos dentes e fazer o clareamento dental em conjunto. O clareamento dental também pode ser feito junto com a correção ortodôntica. Os alinhadores estéticos, plaquinhas transparentes que substituem os braquetes, oferecem um tratamento customizado que deixam mais eficiente a correção ortodôntica. Além disso, o processo de clareamento pode ser feito aplicando a pasta especial de clareamento sobre o aparelho, que raramente é notado. “Mais do que clarear os dentes, o tratamento traz a melhoria estética, o aumento da autoestima e confiança ao paciente”, aponta Fernando Buranello.

7 – O tratamento não dura para sempre

Verdade. De acordo com Carlos Loureiro Neto, a durabilidade do tratamento é variável e vai depender de alguns fatores. “Na maioria das vezes a cor branquinha permanece por dois a três anos, quando o paciente toma os cuidados necessários, evitando o fumo e alimentos que mancham os dentes. Se a pessoa abusar, a cor amarelada dos dentes voltará mais rapidamente”, destaca. É importante o uso de um creme dental para dentes sensíveis para minimizar os impactos da sensibilidade, caso haja. “Mas atenção! Prefira sempre pasta de dente de cor branca”.

 

Dez dúvidas sobre clareamento dental

O dentista Mario Groisman, Mestre em Ciências Dentais pela Universidade de Lund, na Suécia, respondeu dez dúvidas comuns sobre o tema. Confira:

1 – O clareamento a laser trata dentes manchados?

O clareamento dental a laser é indicado tanto para dentes escurecidos de maneira uniforme quanto para aquelas pessoas que tem pequenas manchas. Feito no consultório, o tratamento usa um gel à base de peróxido de hidrogênio, que quando penetra no esmalte e na camada externa do dente (conhecida como dentina) libera oxigênio e quebra as moléculas de pigmentação responsáveis pelo escurecimento.

2 – Posso fazer clareamento em casa sem consultar um dentista?

O clareamento dental doméstico usa um gel clareador de baixa potência, que o paciente aplica por meio de uma moldeira de silicone feita em laboratório. Neste molde, o paciente aplica o gel clareador e o deixa na boca durante o tempo determinado pelo dentista, podendo inclusive dormir com ele. O tratamento dura entre 10 e 30 dias, só podendo ser feito com recomendação de um profissional especializado.

3- Como é feita a escovação durante o tratamento?

O paciente deve escovar os dentes com menos frequência durante o tratamento. Groisman explica que a pessoa que faz clareamento pode escovar os dentes normalmente, desde que a pasta não contenha corantes, pois os dentes estão mais sujeitos à manchas durante o tratamento.

4- Quem faz clareamento pode ficar com os dentes sensíveis?

Em alguns casos os dentes podem ficar sensíveis durante o tratamento, mas o sintoma pode ser controlado com o uso de produtos a base de flúor, por exemplo. A maioria dos produtos clareadores já têm, incorporados na sua fórmula, agentes que atuam para evitar o problema.

5- O dente clareado pode escurecer novamente?

Os dentes clareados escurecem naturalmente com o passar do tempo, mas dificilmente voltarão à cor inicial. Com passar da idade os dentes tornam-se mais escuros, sendo recomendadas novas sessões de clareamento.

6- O que diferencia do tratamento feito em casa e do feito com o dentista?

Em casa, o clareamento se faz de forma mais suave e não emprega o uso da luz que acelera o processo no consultório, no entanto, a duração e a eficácia dos dois métodos podem ser bem semelhantes, e vão depender muito dos hábitos do paciente, que deverá evitar a ingestão de alimentos e bebidas que repigmentem os dentes.

7- Uma das melhores formas de proteger os dentes dos inimigos como café e refrigerante seria usar um canudo?

O canudinho pode ser uma boa dica para proteção dos dentes uma vez que empurra o líquido diretamente para a garganta. Minutos depois de ingerir alguns desses “inimigos”, faça um bochecho com água. Isso vai ajudar a eliminar substâncias ácidas que escurecem e atacam seu cartão de visita. Meia hora depois, é claro, a escovação termina o serviço.

8- É verdade que precisa esperar para escovar os dentes depois de beber café, chá, sucos ácidos ou molho de tomate?

Trinta minutos é o tempo necessário para que a saliva possa agir e neutralizar o pH dos alimentos e bebidas. O café, o vinho, o refrigerante e o suco de laranja, por exemplo, apresentam pH inferior a 5,0. Portanto, são ácidos e causam erosão, levando a perda da estrutura dental (cálcio).

9 – O que realmente precisa fazer antes, durante e depois do tratamento?  Quanto tempo dura o clareamento? 

O dentista faz uma avaliação através de exame clínico e radiográfico, verifica a tonalidade dos dentes e questiona seus hábitos alimentares. Pode-se estimar um período de aproximadamente um ano para uma nova sessão, mas a avaliação deve ser feita de seis em seis meses

10 – Posso fazer clareamento em casa sem consultar um dentista?

O clareamento dental doméstico usa um gel clareador de baixa potência, que o paciente aplica por meio de uma moldeira de silicone feita em laboratório. “Neste molde, o paciente aplica o gel clareador e o deixa na boca durante o tempo determinado pelo dentista, podendo inclusive dormir com ele”, explica Mario Groisman. O tratamento dura entre 10 e 30 dias, só podendo ser feito com recomendação de um profissional especializado.

 

De olho na alimentação

Café, açúcar, cigarro e alimentos ácidos são os principais inimigos dos dentes brancos. O clareamento dental é uma solução para esse problema. “Durante o processo de clareamento, o paciente deve evitar alimentos escuros ou que possam manchar os dentes. Após o tratamento, o consumo desses alimentos é liberado”,  afirma Fernando Buranello.

Carlos Loureiro Neto explica que a dieta branca não é unanimidade, porém, deve-se evitar alimentos e bebidas com pigmentos por pelo menos três a quatro horas após a aplicação do gel. “ Por isso recomendamos o período de aplicação entre o jantar e a hora de dormir”. Alguns alimentos devem sair do cardápio de quem faz um clareamento dental para não comprometer o resultado do tratamento, já que a ação dos clareadores deixa os dentes mais suscetíveis a manchas.

“Evite sucos de uva, vinhos, café, açaí, beterraba e refrigerantes à base de cola. Se sentir necessidade de tomar café, recomendamos usar um canudinho, para minimizar os efeitos da pigmentação”, explica. O dentista também afirma que o pH baixo, ácido, diminui a eficiência dos clareadores. “ Quem faz uso frequentes de alimentos e bebidas ácidos levará mais tempo e, às vezes, aquém de alcançar os resultados desejados. “Os fumantes também devem parar de fumar se quiserem ter resultados satisfatórios”, orienta.

 

Novas regras para clareadores dentais

Desde 2015, com as novas regras da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a venda de clareadores dentais, produtos com concentração acima de 3% de peróxido de hidrogênio, presente ou liberado a partir de outras substâncias, só podem ser comprados com a apresentação de prescrição profissional.

O motivo é o risco que eles podem causar se feitos em casa sem a orientação. De acordo com a Anvisa, entre os riscos associados ao uso indevidos de clareadores dentais estão sensibilidade dentária, alteração de superfície do esmalte, absorção radicular, alterações pulpares e dano periodontal. Por isso, o mais indicado é que o tratamento seja feito sob a orientação de um dentista ou clínica especializada.

De acordo com Celso Minomi, ortodontista da GOU Clínicas, no clareamento a gel é necessário o uso de moldeiras, dispositivos flexíveis nos quais se deposita o gel clareador e que depois são encaixadas nos arcos dentais para realizar o clareamento. “A moldeira e produtos devem ser recomendados por um especialista durante a consulta ao dentista, de acordo com a necessidade do paciente. O dentista é que vai solicitar a quantidade de clareador necessário para cada caso, que depende do nível de escurecimento do dente, idade, tempo de tratamento necessários, etc”, explica.

Depois disso, o tratamento será feito de casa. O paciente aplica o clareador na moldeira antes de dormir e o produto agirá durante o sono. O tratamento será supervisionado pelo especialista e o paciente retorna para a clínica para fazer a avaliação e verificar se os resultados estão sendo obtidos. “O tempo de tratamento pode variar, mas na GOU, por exemplo, o tratamento dura, em média, dois meses, com acompanhamento a cada 15 dias no consultório”.

É importante ressaltar que apenas um profissional poderá indicar se será necessário estender ou mudar algum procedimento no tratamento. “O clareamento não se refere à quantidade de produto aplicado, mas como ele será feito. Por isso é necessária à orientação de um profissional. Cada pessoa tem um limite em relação à cor do dente, se o dente está muito escurecido, ela tem que fazer o tratamento até atingir o limite possível para o seu dente. Se o tratamento ultrapassar o recomendado, pode trazer riscos a saúde bucal”, afirma Dr. Minomi.

Empresas especializadas em clareamento dental na América Latina vão apresentar suas novidades no 35º CIOSP (Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo) entre 1 e 4 de fevereiro.

 Da Redação, com especialistas e assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais