Pandemia acelera em todo o mundo, alerta OMS

Em apenas quatro dias, número de casos aumentou em 100 mil. No Brasil, já são 1.891, sendo 34 mortes, 30 delas em São Paulo e 4 no Rio

Redação

A pandemia do novo coronavírus está acelerando. Foram necessários 67 dias para que chegasse aos primeiros 100 mil casos. Em apenas 11 dias, esse número foi dobrado e para mais 100 mil foram necessários apenas 4 dias. Na noite desta segunda-feira (23), o número chegava a 381.499 casos e 16.557 mortes e a Covid-19 já estava em praticamente todos os países do mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

No Brasil, 18º no ranking, subiu para 1.891 o número de casos confirmados, de acordo com as informações repassadas pelos estados ao Ministério da Saúde. Até esta segunda, 34 mortes foram confirmadas, sendo 30 no Estado de São Paulo e quatro no Rio de Janeiro.

Atualmente, todos os estados do país registram casos da doença, mas nem todas as regiões apresentam o mesmo nível de transmissão. A região norte, por exemplo, tem 3,1% do total de casos do Brasil. Na outra ponta, a região Sudeste representa o maior percentual, na ordem de 60%.

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro registra, até esta segunda-feira (23/03), 233 casos confirmados e 4 óbitos por coronavírus (Covid-19). A quarta vítima é uma mulher de 58 anos, residente da capital e que apresentava comorbidades.

Os outros três óbitos foram registrados em Miguel Pereira, Niterói e Petrópolis. Todas as vítimas eram idosas e apresentavam comorbidades, sendo classificadas como grupo de risco para a Covid-19.

A maioria dos casos confirmados (212) está na capital. Os demais estão nas seguintes cidades: Niterói – 10, Petrópolis – 3, São Gonçalo – 3, Barra Mansa – 1, Guapimirim – 1 e Miguel Pereira – 1. Dois casos são de turistas que estão no Rio.

Leia mais

Medo do coronavírus provoca corrida a vacina contra gripe
Coronavírus: quais são os serviços que não podem parar
Ligue 160 e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus
A escolha de Sofia: quem deve viver ou morrer de coronavírus
Corrida pela cura do coronavírus atropela outros pacientes
Rio precisará de 1.800 leitos para coronavírus até 4 de abril
Todo brasileiro com quadro viral de gripe é suspeito

Itália teve mais uma queda nas mortes

A epidemia foi descoberta no final de 2019 na China, mas o alerta foi feito à OMS em 31 de dezembro de 2019. Em pouco tempo, a epidemia chegou a outros países e, no final de fevereiro, já estava em todos os continentes, menos a Antarctica. A maior concentração é na Europa, tendo a Itália como epicentro.

Com o maior índice de letalidade, a Itália já registra 63.928 casos, um aumento de 8% com mais 602 nas últimas 24 horas – na véspera, foram 651 óbitos. Ao todo, o país registra 6.067 mortes, mas o segundo dia seguido de queda nos óbitos reavivou as esperanças de enfrentamento da doença. No sábado, o país bateu o recorde de 793 mortes.

Os Estados Unidos registraram um aumento de 38% dos casos nesta segunda-feira, mesmo percentual de crescimento observado no Brasil no domingo. O maior número de casos é em Nova Iorque. O prefeito já estima falta de equipamentos nos próximos 10 dias.

Para a OMS, ainda é possível mudar a trajetória da doença. Até a noite desta segunda, um total de 101.794 pessoas já haviam se recuperado da Covid-19. A Fifa lançou campanha de combate, com participação de astros do futebol.