Pandemia desperta interesse nos consumidores em consumo responsável

Momento atual revela a importância de políticas de Responsabilidade Social por parte das empresas no Brasil. Confira dicas de consumo consciente

Redação

A pandemia acelerou um processo que vinha caminhando lentamente no cenário empresarial do Brasil: a atenção e a urgência por políticas de Responsabilidade Social, cada vez mais estruturadas, por parte das empresas. Não só as companhias sentiram essa necessidade, como os próprios consumidores passaram a priorizar marcas que tenham esse olhar social e ações efetivas que ajudem causas importantes.

Evitada por algum tempo, a Responsabilidade Social se tornou mais importante do que nunca e os próprios consumidores admitiram mudar seus hábitos de consumo, de acordo com critérios de responsabilidade social, inclusão e impacto ambiental das marcas.

Agora com a pandemia do novo coronavírus, para 64% dos consumidores, as empresas favoritas precisam colaborar com a geração de empregos e ajudar pessoas do grupo de risco durante a pandemia, segundo dados da Hibou, empresa que monitora o mercado e consumo.

Outro estudo, da Research Institute da Capgemini, apontou a mesma tendência: 79% dos consumidores diz estar mudando as suas preferências de compra com base nos critérios de responsabilidade social, inclusão e impacto ambiental das marcas.

Segundo um levantamento da Cashback World, uma das maiores comunidades de compras do mundo, no segundo trimestre do ano houve um aumento de 27% nas compras online nas Américas, o que inclui dados do Brasil, Canadá, Estados Unidos, Colômbia e México, países onde a plataforma atua no continente americano.

Mesmo já em estado de pandemia, o consumo mostrou alta e a categoria que apresentou o maior aumento nas transações na plataforma foi a de ‘Vitaminas & Suplementos’ (531%), seguida pela de ‘Equipamentos Médicos’ (400%) e ‘Jardinagem’ (138%). Entre as categorias que apresentaram as maiores quedas no trimestre estão: ‘Infantil’ (-74%), ‘Eletrônicos’ (-67%) e ‘Viagens’ (-66%). Os dados comparam o segundo com o primeiro trimestre de 2020.

Algumas empresas, como a Cashback World, já vinham trabalhando a questão do consumo inteligente e consciente. Além disso, alinhado com essa visão, a organização presente em 49 países do mundo, ajuda a manter duas fundações beneficentes: a Child and Family Foundation, desde 2008, e a Greenfinity Foundation, desde 2011.

Uma com foco em sustentabilidade e preservação do meio ambiente, a Greenfinity Foundation e outra com foco na educação e direitos básicos do jovem e da criança, a Child and Family Foundation.  Cada compra feita na plataforma da Cashback World, em todo o mundo, tem parte revertida para apoiar essas duas ONGs em medidas no campo da educação, defender os direitos das crianças e auxiliar projetos de sustentabilidade e preservação do meio ambiente.

Ambas têm inúmeros projetos no Brasil e, durante a pandemia, eles foram mantidos e outros, intensificados. Entre as iniciativas estão campanhas educativas e de sensibilização para arrecadar doações de alimentos, materiais de limpeza e higiene; e programas de profissionalização de mulheres para que consigam ter renda.

“Para nós, é muito importante dedicarmos esforços em prol de causas tão importantes. Principalmente num período tão delicado como o que estamos vivendo, sabemos que as pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social são as que mais sofrem os impactos da pandemia, tanto em condições sanitárias, de saúde, quanto em condições econômicas. Acredito que as empresas de todo o mundo estão enxergando a importância de assumir esse papel de agente social transformador”, afirma Roberto Freire, CEO Américas da myWorld – operadora da Cashback World no Brasil.

A Child & Family Foundation beneficia hoje cerca de 38 mil pessoas, com 95 projetos, em 41 países. Sob o mote ‘educação para todos’, a ONG trabalha construindo escolas em regiões carentes pelo mundo e promove, anualmente, a campanha ‘Angel for a Day’, com voluntários que dedicam um dia a crianças e adolescente carentes, proporcionando atividades que, normalmente, eles não teriam acesso.

Já aconteceram mais de 100 dessas campanhas, pelo mundo todo, e essas experiências despertam mais alegria e motivação para os jovens e crianças. Neste ano, devido a pandemia, a ação não acontecerá presencialmente, mas, a ONG, juntamente com a Cashback World, está promovendo campanhas educativas e de sensibilização para arrecadar doações de alimentos, materiais de limpeza e higiene.

Aqui no Brasil, além dos programas mundiais, a ONG tem um projeto específico, o Parajuru, no Ceará, que ajuda na profissionalização de mulheres carentes que são provedoras do sustento das suas famílias, para que possam garantir renda.

A Greenfinity Foundation promove projetos que ajudam o meio ambiente e, aqui no Brasil, ela coordena um projeto que visa acabar com a sede, construindo poços artesanais para famílias de regiões mais secas, como na Bahia, garantindo o acesso à água limpa para várias famílias brasileiras, recurso fundamental principalmente agora, durante a pandemia.

O projeto começou em 2013 e já construiu, até hoje, quase 270 poços, atendendo 3.500 pessoas, e continua em andamento. A ONG beneficia mais de 16 mil pessoas, em todo o mundo, com 90 projetos em 21 países. “É importante sabermos que estamos construindo um negócio que não olha apenas para si, mas para todo o ecossistema e em vários países do globo”, finaliza Freire.

Dicas de consumo consciente

No Dia do Consumo Consciente, comemorado dia 15 de outubro, a Iguá Saneamento, empresa que atende mais de 6 milhões de pessoas em cinco estados do país, coloca no ar um material especial com dicas de consumo consciente da água e informações sobre o desperdício como, por exemplo, durante o banho.

Cinco minutos são suficientes para se banhar e ainda é possível desligar o registro quando for se ensaboar. A economia gerada com esta atitude, em um mês numa casa com quatro pessoas, poupa 730 litros de água, o que permite, durante trinta dias, lavar na máquina as roupas dessa moradia. Esta e outras dicas facilmente aplicáveis no dia a dia, e que fazem toda a diferença, estão disponíveis no vídeo divulgado pela Iguá: https://youtu.be/wFgXbX4MyN4.

O Dia do Consumo Consciente nos chama atenção para a necessidade de repensarmos tudo aquilo que consumimos, e como o fazemos. Nós queremos relembrar nesta data a importância inquestionável da água de forma simples, com mudanças de hábito que podem ajudar no combate ao desperdício desse recurso finito, porém indispensável”, explica Rosane Santos, diretora de Sustentabilidade da Iguá.

Segundo Relatório de Desenvolvimento Mundial da Água das Nações Unidas de 2020, as mudanças climáticas estão afetando a disponibilidade, qualidade e quantidade da água, tornando-a cada dia mais escassa e impactando negativamente a vida de bilhões de pessoas.

Para a ONU, a alteração do ciclo da água e o aumento dos períodos de estiagem, provocados pelo aquecimento global, também representarão riscos para a produção de energia, segurança alimentar, saúde humana, desenvolvimento econômico e redução da pobreza, comprometendo seriamente o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Diante desse cenário, além de trabalhar pela universalização dos serviços de tratamento de água e esgoto, a Iguá atua para engajar o maior número de pessoas na prática do consumo consciente de água. “Estima-se que apenas 0,26% de água da Terra está disponível para o consumo, concentrando-se em lagos, reservatórios e bacias hidrográficas. A título de comparação, se toda a água existente no planeta coubesse numa garrafa PET de dois litros, apenas três gotas poderiam ser consumidas”, exemplifica a executiva.

Com Assessorias

In the news
Leia Mais