Paternagem: guia traz dicas sobre o novo estilo de ser pai

Em linguagem ideal para quem ama futebol, ‘Guia para pais de primeira viagem…entrarem em campo’ incentiva o exercício da paternagem. Entenda

 “Quando Francisco nasceu, permaneci por algum tempo me perguntando se seria capaz de tarefa tão grandiosa como ser pai. Com o passar dos meses, fui percebendo que, na verdade, ninguém está preparado para tamanha responsabilidade e bênção. Só aí fui me dando conta de que não era eu que o ensinava algo, mas ele que me ensinava e ensina todos os dias a viver com mais sabedoria e pureza”, afirma o bancário Sandro Luis Trevisani, pai de Francisco.

O depoimento foi dado à jornalista Tereza Tavares, autora de Guia para pais de primeira viagem…entrarem em campo. A obra se destina ao período que vai do momento em que os pais recebem o resultado positivo do teste de gravidez até o primeiro ano de vida do bebê. Dentre os diferenciais, o livro foi construído com vocabulário específico de futebol, buscando atrair a atenção dos novos papais, mas tendo o cuidado de apresentar sempre uma linguagem de fácil compreensão, que fosse acessível também a quem não é expert no assunto.

“Se no passado os guias tradicionais para cuidados do bebê eram direcionados exclusivamente para as mães, hoje, com a mudança no papel dos pais na sociedade, é possível encontrar manuais de orientação que incluem entre os seus leitores também os homens. O surgimento de livros como esse reflete uma mudança que vem sendo observada ao longo do tempo na figura do pai. De meramente provedor e sem qualquer participação no cuidado dos filhos, temos agora um novo modelo de como exercer a paternidade”, conta a autora.

O que significa a paternagem?

Esse novo padrão, que vem se estabelecendo na sociedade e sendo cada vez mais bem aceito, é o da “paternagem”. Mas o que seria isso? Segundo pesquisadores da área comportamental, esse novo tipo de pai não é apenas aquele que ajuda a cuidar, mas o que efetivamente cuida, sem se descuidar do carinho, nos mesmos moldes do que é reconhecido como “maternagem”, termo que se refere a mesma ação, mas desempenhada pelas mães, isto é, o exercício da maternidade de forma afetiva e dedicada.

Estudos verificaram que esse novo tipo de pai é algo inédito na história da humanidade na sociedade ocidental. O modelo de paternagem ainda é considerado uma exceção, mas já se mostra presente em muitas famílias, mudando paradigmas de comportamento e da relação dos pais com seus filhos. No entanto, como ainda não é um padrão na sociedade, tal conduta ainda requer que sejam desenvolvidas ações e políticas de estímulo a maior participação dos pais nos cuidados dos filhos.

Uma das ações nesse sentido é comandada pela médica Viviane Manso Castello Branco, que criou, no âmbito da Prefeitura do Rio de Janeiro, o Mês de Valorização da Paternidade e a iniciativa Unidades de Saúde Parceiras do Pai, implantadas com o apoio do Comitê Vida, grupo de trabalho intersetorial, tendo desenvolvido vários materiais impressos e audiovisuais para estímulo da paternagem.

Ela deu consultoria também ao livro, além de mais oito profissionais especializados na área materno-infantil, dentre eles ginecologista/ obstetra, pediatra, nutricionista, psicólogo e psicopedagogo. O guia ainda inclui depoimentos de pais que exercem a paternagem no seu cotidiano, como Sandro.

5 dicas para exercer a paternagem

Em Guia para pais de primeira viagem…entrarem em campo, há vários capítulos dedicados especificamente ao incentivo e à valorização da paternidade ativa, como o que recebeu o título de Paternagem. Nele podemos encontrar algumas dicas específicas nesse sentido para os pais. Confira algumas:

  1. Estar envolvido em tudo que estiver relacionado à criança.
  2. Ser proativo nas atividades a serem realizadas com ela.
  3. Participar de todas as etapas dos cuidados do bebê de forma rotineira.
  4. Assumir ações ligadas também à educação dele.
  5. Realizar saídas sozinho com a criança.

Sobre a autora

Tereza Tavares é jornalista há mais de 30 anos, tendo atuado em redações de grandes jornais, como O Globo e tvs como Globo e Educativa. Atuou ainda em assessoria de comunicação (Sindicato das Empresas de Transporte de Carga, Instituto Brasileiro dos Executivos Financeiros e outros) e com pesquisas de texto para editoras (Ediouro). Recebeu o prêmio Van Jafa de Jornalismo em Artes Cênicas, concedido pelo antigo Inacen (Instituto Nacional de Artes Cênicas), por reportagem no extinto jornal Última Hora.  

Serviço

O livro pode ser encontrado nas principais plataformas, como o Amazon, Google Play, AppStore, Rakuten Kobo, além do site da editora Ideias e Letras, nas versões impressas, e-book e epub.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais