Pediatra ajuda no controle da asma entre crianças durante a pandemia

Pneumologista pediátrico alerta que doença é fator de risco para a Covid-19. Por isso, é importante manter o acompanhamento com um pediatra

Redação

O dia 27 de julho é dedicado aos profissionais de saúde que cuidam da nossa saúde desde os primeiros anos de nossas vidas e também cuidam das vidas de nossos filhos e netos, nossos bens mais preciosos. Em tempos de pandemia do novo coronavírus, o Dia do Pediatra vem com um alerta para a importância do acompanhamento médico a crianças que sofrem de doenças respiratórias, que são consideradas fatores de risco para a Covid-19, doença desenvolvida a partir da infecção pelo Sars-Cov-2.

É importante alertar que pacientes com problemas respiratórios fazem parte do grupo de risco para a Covid-19 e o tratamento não deve ser interrompido sem orientação médica. É preciso ficar de olho nos sintomas apresentados pela criança, especialmente se forem persistentes e constantes. Se os pais perceberem que o filho apresenta tosse, falta de ar, chiado ou sensação de aperto no peito, a recomendação é procurar um médico assim que possível, para que seja feito o diagnóstico e se inicie o tratamento”, afirma Paulo Pitrez, médico pneumologista pediátrico do Hospital Moinho de Ventos.

O pediatra está apto a realizar o diagnóstico de diversas doenças crônicas, entre elas, a asma. A causa da doença ainda é desconhecida, mas acredita-se que esteja relacionada a fatores genéticos e ambientais. Por isso, o acompanhamento deve começar logo na primeira infância. Uma vez diagnosticada, a criança precisa iniciar o tratamento adequado e específico para o seu caso.

O diagnóstico da asma é clínico, porém, a partir dos 6 anos de idade a confirmação é feita com a espirometria – prova de função pulmonar. A partir dessa idade, as crianças conseguem fazer a manobra necessária para a espirometria. Esse exame exige que o paciente puxe o ar e sopre bem forte, e crianças muito pequenas não conseguem fazer esse movimento com a intensidade necessária”, explica o pneumologista pediátrico.

Segundo ele, o pediatra também faz a prescrição do tratamento inicial, principalmente nos casos leves a moderados da doença. Ao perceber que a criança possui dificuldade de controlar a doença com o tratamento prescrito e otimizado, o ideal é que o pediatra a encaminhe para um pneumologista pediátrico ou um alergologista. “Aproximadamente 10% dos pacientes com asma têm a forma grave da doença e precisam de um tratamento mais específico e controlado”, ressalta.

O tratamento mais recomendado

Segundo o Dr. Paulo, existem duas linhas de tratamento para a asma infantil: a primeira é o alívio dos sintomas e crises com medicamentos de resgate, como os broncodilatadores atrelado a um corticoide inalatório (este regime de tratamento é uma novidade recente no tratamento de sintomas agudos de asma). “A segunda linha é para a prevenção e controle dos sintomas. Nesse caso, o tratamento é diário e contínuo, com corticoide inalatório associado ou não a broncodilatadores, conforme a gravidade do paciente”, explica Pitrez.

O médico ressalta ainda que o tratamento da asma não deve ser interrompido. Mesmo com ausência de sintomas, o paciente diagnosticado deve manter os medicamentos de controle e prevenção, pois eles ajudam a garantir uma vida normal, mesmo em pacientes mais graves, reduzindo significativamente o risco de novas crises. Todo o pediatra deve ter como meta fazer que seu paciente com asma tenha uma vida absolutamente normal”, reforça.

É importante destacar que, tanto o diagnóstico quanto o tratamento, são diferentes em adultos e crianças. Mesmo que o caso seja hereditário, o que funciona para os pais não deve ser utilizado na criança. “As dosagens dos tratamentos são diferentes dependendo da idade do paciente. Além disso, atualmente, temos apenas dois imunobiológicos para o tratamento da asma infantil, enquanto pacientes adultos contam com um número maior de opções”, esclarece Pitrez.

Nova medicação para asma infantil

No final de 2019, a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) deu parecer positivo para a incorporação do omalizumabe no Sistema Único de Saúde (SUS), medicamento biológico indicado para o tratamento da asma alérgica grave não controlada após falha no uso do corticoide inalatório em conjunto com um LABA (beta2-agonista de longa ação), em pacientes a partir de 6 anos.

Os corticoides orais estão entre os tratamentos mais comuns, entretanto, seu uso contínuo e por um longo período pode acarretar em diversos efeitos colaterais como hipertensão, diabetes, afinamento da pele, problemas dentários, aumento da incidência de osteoporose, ocorrência de catarata e glaucoma. A indicação para o paciente que não responde bem ao tratamento convencional, ou quando sua asma é alérgica grave, é o uso de medicamento biológico, que age diretamente na jornada de inflamação da doença.

A importância do pediatra na saúde para a vida toda

O pediatra possui um papel amplo na vida da criança. É ele o grande responsável por acompanhar o desenvolvimento do paciente, em alguns casos até mesmo antes do nascimento. São esses médicos que exercem sua profissão com tanta empatia, contribuindo, de fato, para que os pacientes e seus familiares se sintam seguros e acolhidos.

Segundo a pesquisa Demografia Médica no Brasil, realizada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), o país conta com aproximadamente 40 mil médicos pediatras, sendo essa a segunda especialidade com maior número de profissionais registrados, atrás apenas da Clínica Médica. As regiões Sul e Sudeste são as que concentram a maioria desses especialistas.

O profissional de Pediatria faz o acompanhamento da criança do nascimento até os 18 anos de idade, assistindo na prevenção de doenças, prescrição de tratamentos, orientação alimentícia e outras questões na busca por equilíbrio e vida saudável. Por se dedicarem a um público diferenciado, o tato e atenção acompanham as características e particularidades de cada criança ou jovem que entra seu consultório.

No primeiro ano de vida, as visitas ao médico devem ser frequentes. Os recém-nascidos, por exemplo, devem passar por consulta uma vez por semana e, de acordo com o desenvolvimento da criança, as idas ao consultório aumentam ou diminuem. A partir dos seis anos, uma consulta a cada seis meses é o recomendado, de acordo com o cronograma da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

Primeiros 100 dias são fundamentais

Para pais e mães que estão embarcando na jornada da criação de um filho, o pediatra, muito mais do que tratar doenças, é responsável também por prevenir e orientar na busca de práticas de uma vida saudável, estimulando o desenvolvimento físico e social. É o profissional em quem os pais confiam nos momentos de maior preocupação e que está ao lado deles a cada nova experiência.

Os primeiros 1000 dias – que compreende da gravidez aos dois anos de vida da criança – são fundamentais para a saúde da pessoa pelo resto da vida. Esse período é considerado um INTERVALO DE OURO, que pode mudar radicalmente o destino da criança, não apenas em termos biológicos (crescimento e desenvolvimento), mas também em questões intelectuais e sociais.

Para apoiar pais e mães que estão no período dos Primeiros 1000 Dias e participar dessa jornada com as famílias e pediatras, a Danone Nutricia lançou, recentemente, o Juntos Sendo Pais, para conectar esses pais, que muitas vezes têm dúvidas comuns, além de dar apoio com conteúdo e serviços. Saiba mais em http://primeiros1000dias.com.br/

Sabemos que os cuidados com a saúde e nutrição, sobretudo no período que compreende os Primeiros 1000 Dias de Vida, são determinantes. Acompanhamos de perto a rotina de muitos pediatras e sempre me impressiono com a dedicação intensa e por tantas horas por dia. Sou pai e sei o quanto é reconfortante confiar e poder contar com o apoio de um pediatra nessa missão que é criar uma criança com saúde”, comenta Arthur Lorezentti, diretor da Unidade de Pediatria da Danone Nutricia.

Dia do Pediatra: campanha homenageia profissionais

campanha dia do pediatra

O Dia do Pediatra é celebrado em 27 de julho, data da fundação da Sociedade Brasileira de Pediatria, que completa 110 anos em 2020. Para reconhecer a importância desse profissional e comemorar a data, a Danone Nutricia preparou uma homenagem em forma de animação. Denominada “Por toda vida”, a ação mostra a rotina de um pediatra e a relação construída com seus pacientes e familiares.

Uma personagem em especial representa a conexão dos pacientes com o profissional ao longo da vida, até chegar à fase adulta. A história termina com uma boa surpresa. Criado pela agência Fresh PR com produção da Phono XXI, o vídeo está disponível nos perfis da divisão de nutrição especializada da Danone no Facebook, Instagram YouTube.

Com Assessorias