Por que procurar a ajuda de um nutricionista

Profissional pode orientar dietas que levem em conta a qualidade e quantidade necessárias para cada pessoa
Profissional pode orientar dietas que levem em conta a qualidade e quantidade necessárias para cada pessoa

O que funciona para uma pessoa, funciona para outra? Você já pensou em aproveitar a dieta seguida por uma amiga para ‘pegar carona’?  Pois saiba que não existe fórmula pronta. O ideal em qualquer dieta de emagrecimento é desenvolver um programa específico às suas características, necessidades e hábitos. E isso, só um profissional sabe fazer.

Nesta quarta-feira (31) comemorou-se o Dia do Nutricionista, criado pela Associação Brasileira de Nutricionistas (ABN) em 1949. Apesar da data no calendário da saúde, os nutricionistas dizem ainda tem muito pouco a comemorar. Primeiro, porque o profissional ainda é pouco reconhecido, apesar de sua importância para a vida saudável das pessoas.

Segundo, porque a grande maioria das pessoas não encara a nutrição como ciência e acredita que para ter saúde basta comer bem, preferindo uma receita “caseira”que é comum a todos. Ou mesmo “copiada” de algum amigo ou mesmo da internet.

Apesar de a nutrição ter ganhado destaque nos últimos anos e revelando grandes descobertas sobre a importância dos alimentos, muita gente ainda desconhece o nutricionista ou o que ele faz. Em alguns casos, têm preconceitos em relação a esse profissional.

A nutricionista Patrícia Cruz, mestre em Ciências da Saúde pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) e do Departamento de Nutrição da Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso), lembra que o papel do nutricionista é esclarecer dúvidas relacionadas à alimentação. O profissional prepara um plano alimentar compatível com as necessidades nutricionais do pacientes, levando em consideração as leis da nutrição, variedade, qualidade e quantidade.

“Atualmente nosso papel tem sido mais amplo, podemos atuar nas atitudes alimentares, realizando a nutrição comportamental .Ampliamos nosso campo de visão, saímos do pensamento calorias, nutrientes somente, para pensar, porque o paciente come, quais rituais segue, quais estímulos o leva a comer, entre outros focos”, destaca Patrícia. O que muitas pessoas não entenderam, afirma ela, é que “nutrição não é somente a redução de peso, nutrição na verdade estuda o impacto dos nutrientes na fisiologia do organismo”.

Por que um nutricionista?

Quem deseja iniciar um novo padrão alimentar ou organizar ou ajustar suas preferências alimentares de acordo com o seu estilo de vida, não pode deixar de consultar um nutricionista. Além disso, quando há um quadro clínico específico, no qual os hábitos alimentares influenciam, é necessário recorrer ao profissional para manter um estilo de vida mais saudável e, desta forma, conseguir um impacto positivo na melhora ou cura de uma doença, por exemplo.

O tempo ideal de acompanhado do profissional

Para Patrícia, o tempo de acompanhamento depende de cada paciente e do objetivo. “Em meu consultório, tenho pacientes de todos os tipos, que vejo semanalmente, quinzenalmente, mensalmente. Depois dos objetivos alcançados, seja controle de dislipidemia, gestação ou redução de peso, posso vê-los a cada três meses, duas vezes por ano ou somente uma vez  por ano”, explica.

A alimentação do brasileiro

O brasileiro se alimenta mal. Desde a transição nutricional, mesmo com mais poder aquisitivo para obter o alimento, o brasileiro não faz boas escolhas. A afirmação de Patrícia Cruz está baseada nas preferências que o brasileiro tem por alimentos industrializados, com elevado teor de gordura e sódio. A tendência é cozinhar cada vez menos, reduzir o consumo de verduras, legumes e frutas e exceder no consumo de gordura saturada.“Isso, por muito tempo, é prejudicial à saúde”, ressalta.

O segredo da nutrição

Todo plano alimentar saudável começa no supermercado. Comer de forma saudável inclui uma séria de variáveis como: escolha alimentar, prazer, aquisição, preparo do alimento, local de refeição e até mesmo com quem se faz as refeições, entre outros.  “Não existe alimento ‘lixo e nem porcaria’. Existe alimento consumido em quantidade e frequência inadequada. Não divida alimentos em ‘bons’e ‘ruins’ . Essa não é uma visão saudável para o seu relacionamento com o alimento”, ensina Patrícia.

E a nutricionista continua: “afinal, se somos o que comemos, então devemos cuidar muito bem de nossa alimentação para sermos pessoas melhores. Sabemos muito bem a importância dos alimentos para nosso organismo, eles são o combustível para nosso corpo. Como qualquer outra máquina, não é o mesmo combustível que faz bem para todos. Cada organismo tem sua necessidade”. O nutricionista, neste caso, é o profissional capacitado para nos ajudar a identificar isso.“A ciência da nutrição não segue modismos, ela permite a criação de um hábito alimentar saudável”, aponta.

 

In the news
Leia Mais