Por um ‘mundo melhor’, Rock in Rio tem até robô que serve água

Novidade levada por cervejaria quer estimular jovens a beber menos. Cerca de 2,5 milhões de copos serão reciclados. Homenagem à Amazônia é outra atração

Rosayne Macedo

Não são apenas 385 mil metros quadrados para receber 100 mil pessoas por dia, ao longo de 14 horas diárias de show.  O Rock in Rio é também um festival de boas práticas quando o assunto é sustentabilidade e respeito ao meio ambiente. Com o propósito de “construir um mundo melhor para pessoas mais felizes, confiantes e empáticas num planeta mais saudável”, os organizadores apostam na máxima de que “pequenas atitudes do dia a dia são o caminho para fazer do mundo um lugar melhor para todos”.

A 18ª edição, que começou nesta sexta-feira (27), no Rio de Janeiro, reafirma seu compromisso com a Amazônia – que hoje vive risco potencialmente maior de que quando o festival começou, em janeiro de 1985 -; pretende reciclar 2,5 milhões de copos – em linha com um desafio global de reduzir a emissão de plástico nos oceanos – e tem até robô que serve água – para lembrar que é preciso não exagerar na bebida alcóolica.

Patrocinadoras do festival, as marcas Heineken e Natura firmaram parceria inédita para uma importante experiência de incentivo à economia circular. A iniciativa transformará os copos de plástico, descartados durante os sete dias do festival, em embalagens da linha Natura Humor.  A expectativa é evitar a emissão de até 15 toneladas de CO2 na atmosfera, mesma quantidade que um carro produziria ao dar três voltas ao redor do planeta terra, cerca de 38 mil km.

Aproximadamente 10 toneladas de resina gerados com a reciclagem que darão origem a cerca de 670 mil tampas do Deo Spray Corporal Humor.  O ciclo da economia circular começa com cooperativas locais, que já trabalham em parceria com o festival, e irão separar e dar um destino correto aos resíduos plásticos gerados durante o evento. Estes materiais coletados serão encaminhados para a Braskem, fornecedora de resina plástica para a fabricação de embalagens da Natura.

Com a ação, as marcas querem convidar as pessoas a ser agentes de transformação da sociedade. A mobilização  também contempla diversas comunicações de incentivo à reutilização de materiais, convidando o público a refletir sobre a prática de reciclar e a respeito do consumo consciente.

Entenda como funcionará a reciclagem de matéria-prima

Resíduos recicláveis são encaminhados para cooperativas parceiras;

Cooperativas separam os copos e formam fardos;

Braskem compra, transporta e converte os copos em resina reciclada;

Produtores de embalagem da Natura compram a resina reciclada da Braskem e produzem peças;

Natura compra as peças produzidas com resina reciclada e transforma em produto Natura na fábrica de Cajamar, em São Paulo;

Consultoras de Beleza Natura vendem produto com embalagem produzida a partir da resina reciclada, com menor impacto ambiental e gerando renda.

Pelo consumo responsável de cerveja

No festival pela quarta edição consecutiva, a Heineken também quer incentivar o consumo responsável de cerveja. Por meio de uma parceria inédita com a ABB, a marca leva uma experiência com YuMi, um robô industrial totalmente colaborativo, que faz o papel de um bartender dentro de um bar do futuro.

Desenvolvido para trabalhar ao lado de seres humanos, o YuMi foi criado para aumentar a produtividade, melhorar a ergonomia e flexibilizar as células de trabalho em diversos segmentos de mercado. O robô está instalado no balcão do Bar Heineken New Dance Order, espaço com design futurista ao lado do palco New Dance Order, a pista de dance music da Cidade do Rock (clique aqui para ver mais imagens do YuMi).

A Heineken também usa o serviço de geolocalização para reforçar a importância do consumo responsável dentro da Cidade do Rock. O público presente no evento que possui smartphones Android recebe duas mensagens ao dia via push notification com dicas e orientações de como consumir bebida alcoólica de maneira moderada e mais responsável.

Mensagens como “Exagere na atitude, não no álcool”, aparecerão nas telas de milhares de celulares ao mesmo tempo. A ação atingirá aproximadamente 600 mil pessoas durante os sete dias de festival – todos maiores de 18 anos. A ação faz parte de uma das iniciativas da plataforma Enjoy Heineken Responsibly, que fomenta e discute a importância do consumo moderado de bebidas alcoólicas.

Nosso futuro é agora

Enquanto curte a programação diversa dos palcos Mundo, Sunset, Supernova, e dos espaços New Dance Order e Favela na Cidade do Rock, o frequentador é convidado a experimentar fortes emoções no Mirante, um dos espaços de ativação da Natura. “Ouça”, “toque” e “vibre” são as três experiências musicais que o público terá contato no espaço, por meio da tecnologia, cada uma homenageando um ritmo característico da região Norte do país.

O Mirante tem a melhor vista da Cidade do Rock. Este é um dos poucos espaços democráticos do festival para se ter visão panorâmica do palco principal. Desenvolvido pela agência Bullet, surge um espaço onde as pessoas e a natureza têm um vínculo conjunto, recíproco e consciente. O espaço é como uma casa na árvore, aproximando-nos da floresta e do colorido do tecnobrega paraense.

No primeiro ambiente, a essência da música produzida no Pará poderá ser ouvida tanto com DJs quanto com shows de artistas Natura Musical. Neste domingo, dia 29 é a vez do guitarrista Manoel Cordeiro se apresentar no Mirante. Na segunda semana de Rock in Rio, o Mirante recebe: DJ Lux e Strobo, no dia 3 de outubro; DJ Zek Picoteiro e Felix Robatto, no dia 4 de outubro; DJ Will Love e Viviane Batidão no dia 5 de oubutubro; DJ Will Love e Guitarrada das Manas, no dia 6 de outubro. As apresentações acontecem, diariamente, às 17h, 19h e 21h30.

O caminho ascendente do Mirante Natura continua, com uma grande foto de Dona Onete convidando o público a continuar esse mergulho cultural com os dizeres “o que acontece na Amazônia ecoa na sua vida”. A próxima estação interativa é o “toque”, com o carimbó. Além de um texto explicativo sobre a cultura desse gênero musical, tão importante na região Norte, o público poderá batucar o ritmo em grandes tambores acoplados ao espaço.

Seguindo em frente, um painel explicativo mostra ao público medidas práticas para se engajar na causa da Amazônia. O texto está dividido em “valorize”, “conscientize” e “manifeste”. E, por fim, a última ativação musical, “vibre”, representa o ritmo da guitarrada. Tubos de led com cordas dentro são ativadas conforme o público as tocam, produzindo o timbre característico desse ritmo. Um texto também informa mais sobre a cultura da guitarrada.

No último andar, antes de ver a Cidade do Rock de cima, um painel com uma foto dividida ao meio: de um lado um ambiente urbano, e do outro, a floresta, e os dizeres “é tudo uma natureza só”. Esse caminho de reflexões sobre natureza, tecnologia, cultura e ativismo leva o público a ver o festival do alto, como um todo, comprovando o manifesto da Natura: “e se a gente se juntasse pela Amazônia como se junta pela música?”.

A parceria inédita entre Natura e Rock in Rio não se limitará aos dias do festival. Ao longo do ano, diversas ações para mobilizar o público por meio de campanhas de comunicação e ativações com um chamado – todos juntos #PorUmMundoMaisBonito serão realizadas. A ação faz parte da coconstrução da “Nave – Nosso futuro é agora”, uma experiência que pretende contribuir para conectar as pessoas com a música, com a arte, com a beleza e com o tempo.

 

Mais de 73 milhões de árvores para a Amazônia

De acordo com a organização, o Rock in Rio já gerou 212,5 mil empregos diretos e indiretos em todas edições, mais de R$ 97 milhões investidos em diferentes projetos, passando por temas como sustentabilidade, educação, música, florestas, etc. Os investimentos são provenientes da organização do evento e de parceiros. Em 2013, o evento foi reconhecido por seu poder realizador ao receber a certificação da norma ISO 20121 – Eventos Sustentáveis.

Em 2016, foi lançado o projeto Amazonia Live, que já garantiu mais de 73 milhões de árvores para a Floresta Amazônica por meio de doações individuais e de parcerias, através de projetos de restauração e plantação, como o Paisagens Sustentáveis da Amazônia. O projeto traz a importância das florestas para o equilíbrio climático mundial como tema para todas as edições do evento, pelo menos até 2019.

Rock in Rio desenvolve ainda um plano de sustentabilidade adotando medidas para a redução de emissões a partir da gestão de resíduos, eficiência energética, compensação de emissões, correto consumo de recursos. Este plano é desenhado para a organização, patrocinadores e fornecedores, sendo aperfeiçoado a cada edição e utilizado até hoje em todos os países onde o Rock in Rio é realizado.

“O Rock in Rio preza por atitudes positivas a qualquer hora e em todos os lugares. Para endossar este posicionamento da marca “Tod+s Por Um Mundo Melhor”, o festival se une a empresas que possuem este mesmo olhar e diretriz. A partir destas parcerias, uma série de ações se desenvolvem sempre pautadas pelo objetivo de adoção de práticas que pensem no coletivo. É assim que a gente faz um mundo melhor acontecer: TOD+S POR UM MUNDO MELHOR”, informa a organização.

Com Assessorias do Rock in Rio, Natura, Heineken e Braskem

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.