Primeiro caso confirmado no Brasil. E agora?

Enfermeira apresenta os principais sintomas e como se proteger do novo coronavírus, que já chegou ao Brasil, onde tem 488 suspeitos

Redação

O primeiro caso de Coronavirus foi confirmado no Brasil, muito se especula sobre o vírus e uma epidemia pode vir à tona. De acordo com o último balanço divulgado na terça-feira (3 de março) pelo Ministério da Saúde, o Brasil tem 488 casos suspeitos do novo coronavírus. Desde o começo do monitoramento, dois casos foram confirmados e 240 descartados.

A taxa de mortalidade do Coronavirus é maior em pessoas com imunidade mais baixa.  Parte das pessoas que morreram até agora tinha algum tipo de doença prévia — diabetes, doenças cardíacas ou pulmonares. Muitos eram mais velhos. Segundo as informações mais recentes divulgadas pela Organização Mundial de Saúde, cerca de 2% dos infectados morreram. O índice de letalidade da Sars era de 9,5%, e da Mers, 35%.

Inicialmente os casos eram oriundos da China, mas já há disseminação de casos em quase em todos os países, o caso confirmado no Brasil por exemplo, ele esteve na Itália, e voltou ao Brasil vindo de um voo de Paris”, destaca  Juliana Gomesenfermeira da Suprevida.

Pensando em evitar que o vírus se alastre e cause uma epidemia,, primeira plataforma de acesso à informação, contratação de serviços e produtos médicos para quem precisa de cuidados em domicílio, ela lista alguns cuidados que são essenciais para se prevenir do Covid — 19.

O Ministério da Saúde sugere alguns cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • – Lave as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os cinco momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
    – Cubra a boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
    – Limpe e desinfete objetos e superfícies tocados com frequência;
    – Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
    – Evite contato próximo com pessoas doentes;
    – Fique em casa quando estiver doente;
    – Se tiver febre, dores de cabeça, tosse ou dificuldade respiratória, procure um especialista para iniciar o melhor tratamento.

Sintomas – Os sintomas do Coronavirus são parecidos com os de um resfriado ou gripe, mas os principais são febre, tosse e dificuldade para respirar

Como ocorre a transmissão?

Ainda não se tem conhecimento sobre todas as formas de transmissão do Coronavirus, mas o que se sabe, é que, a disseminação é pessoa para pessoa, ou seja, por contato ou por gotículas respiratórias. Qualquer pessoa que tenha tido contato próximo (cerca de 1 metro) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposto ao vírus. Como por exemplo:

gotículas de saliva;

espirro;

tosse;

catarro;

contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;

contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Prevenção

Quando estiver em um ambiente público, ou com grande aglomeração, não toque a boca, o nariz e olhos sem antes lavar as mãos ou pelo menos limpá-las com álcool.

– Lave as mãos! Uma lavagem eficaz de pelo menos 15 a 20 segundos, lavando até o cotovelo.

– Use álcool em gel.

–  Mantenha o ambiente limpo – Higienize sua casa, as superfícies, moveis e o telefone celular por exemplo.

Uso de máscara: quando é necessário?

O uso da máscara pode oferecer uma falsa sensação de segurança, seria preciso trocar a máscara com uma certa frequência, quando ela ficar úmida, por exemplo. A máscara tem uma maneira correta de utilizar, precisa estar bem presa ao rosto, sem passar ar pelas laterais.

Para combater o coronavirus, as máscaras mais tradicionais não funcionam, pois o tamanho do vírus permite que ela transpasse o material. A máscara correta neste caso é somente a N95 (modelo utilizado pelos profissionais de saúde), pois elas possuem filtro de ar e/ou são feitas de materiais com poros menores que a partícula viral.

A máscara cirúrgica deve ser utilizada por quem apresenta os sintomas, familiares e profissionais de saúde. Profissionais de saúde devem utilizar outras medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas como luvas, avental não estéril e óculos de proteção.