Professores são os que mais sofrem com problemas relacionados à voz

Fonoaudiólogas explicam os principais cuidados que professores e outros profissionais que usam a voz como ferramenta de trabalho devem ter

Redação
Professores estão entre os profissionais que mais dependem da voz no dia a dia (Imagem Pixabay)

A voz é muito utilizada na comunicação, nas artes, na expressão de sentimentos e ideias e também como ferramenta social, alguns com mais intensidade do que outros. Para determinadas pessoas, a voz se torna ainda um instrumento profissional. Cantores, atendentes de call center, palestrantes, professores… são pessoas que precisam ter cuidados redobrados no que se refere ao uso adequado da voz. Não só para profissionais, todavia, como qualquer pessoa deve prevenir problemas futuros na voz com algumas prevenções.

Existem pessoas que, por trabalharem em empregos que não são formalmente qualificados naqueles que se usa a voz excessivamente, acabam por deixar de lado os cuidados com a própria voz. Atitude essa que pode causar danos por excesso ou mal uso da voz”, alerta Sirley Machado Maciel, professora e especialista em oratória.

Segundo ela, cuidar da voz é cuidar da própria qualidade de vida. Por isso, neste Dia Mundial da Voz (16 de abril), afirma que “é essencial que, principalmente vivendo em um momento de isolamento social, no qual a voz é mais fortemente utilizada, as pessoas tenham conhecimento sobre as prevenções e cuidados que se deve ter com as cordas vocais”.

Problemas relacionados à voz são comuns entre os professores

A fonoaudióloga Sônia Arns, do Programa da Voz no Departamento de Saúde Escolar (DSE) criado há 14 anos pelo Colégio Bom Jesus, atende os profissionais que necessitam de orientações relacionadas a esses problemas vocais, trabalhando essencialmente na prevenção.

Já no processo admissional, o professor, além de realizar exame médico e fonoaudiológico ocupacional, é submetido ao exame otorrinolaringológico para avaliar como estão as estruturas da laringe. Investigações periódicas também são feitas com o intuito de monitorar a qualidade de voz do professor e orientá-lo quanto aos cuidados vocais. Também são feitos encaminhamentos para fonoterapia quando necessário.

A fonoaudióloga do DSE, Karine Salvalaggio, orienta para alguns cuidados antes e após o período de aula. Tomar muita água, comer frutas (especialmente as cítricas e a maçã), manter uma alimentação saudável, dormir bem, manter boa postura corporal ao falar, assim como, realizar o aquecimento e desaquecimento vocal são algumas das recomendações.

“A prega vocal é um músculo. Se fazemos aquecimento muscular quando vamos fazer atividades físicas, da mesma forma temos que fazer com a voz”, explica Karine. Entre os exercícios recomendados estão a respiração diafragmática, que auxilia na projeção de voz do professor, os exercícios vocais e o relaxamento da região da coluna cervical, do pescoço e dos ombros. “O professor deve diariamente monitorar a qualidade de sua voz e contar com os recursos da fonoaudiologia para auxiliá-lo sempre que necessário”, observa Sônia.

Atividades para prevenir problemas com a voz

Para prevenir o aparecimento de quaisquer problemas fonológicos, é importante realizar algumas atividades: 

1) Conhecimento sobre a voz profissional – que corresponde a informações e consciência sobre a utilização da voz no campo profissional de forma adequada.

2) Análise vocal – onde podemos detectar os problemas e as dificuldades a serem trabalhadas, bem como, as potencialidades a serem ressaltadas e valorizadas.

3) Treinamento vocal – corresponde a um conjunto de atividades e exercícios, oriundos da técnica vocal, que alinha o desenvolvimento vocal, através da estética vocal.

“Precisamos ampliar as campanhas de conscientização aos cuidados com a voz profissional. Afinal, cuidar e treinar o nosso principal instrumento de trabalho é uma responsabilidade de todos nós”, finaliza a professora. 

Tom de voz é fundamental para o sucesso profissional

David Braga, professor da Fundação Dom Cabral (FDC)  e CEO, board advisor e headhunter da Prime Talent, lembra que a voz também é uma das características que mais diferenciam os indivíduos e um importante instrumento de comunicação e de persuasão. Aliás, o tom de voz utilizado em uma conversa é um dos pontos que contribui para impulsionar a carreira profissional, ao transmitir credibilidade.

Isso significa que o modo como se fala pode produzir mais impacto do que aquilo que é dito. Segundo pesquisas da Universidade da Califórnia, conduzidas pelo professor Albert Mehrabian, um dos elementos fundamentais nesse processo de passar confiança é justamente a entonação, que representa 38% da influência exercida por alguém. Assim, inúmeras pessoas deixam de prosperar, seja no âmbito pessoal, seja no profissional, pelo simples fato de não inspirarem segurança ao se comunicarem.

O tom de voz é um dos elementos de maior persuasão sobre os seres humanos. Em cada entonação, há diversos parâmetros sonoros que dão sentido, consciente e inconscientemente, à mensagem propagada. Alguns deles são o timbre, a intensidade do som, a velocidade da dicção, a clareza e a projeção, por exemplo. Várias pessoas podem dizer exatamente a mesma frase, mas a maneira de se expressarem vai passar informações distintas. Então, os detalhes fazem uma enorme diferença para quem quer se destacar no mercado de trabalho.

Grandes líderes e influenciadores se preocupam com todos esses aspectos na sua comunicação. Até porque, pelo tom de voz, é possível perceber se alguém está feliz, triste e até mesmo mentindo. Sabe quando a pessoa começa a gaguejar ou deixar a voz trêmula? E quem não se lembra de algum vídeo motivacional, com o qual, inclusive, chorou? Nesses casos, usualmente, a entonação escolhida só falta nos colocar no colo para ter aquele momento de reflexão. Portanto, os estados emocionais são contagiantes, sendo necessário ter atenção à forma como é realizada a comunicação, especialmente no ambiente de trabalho. 

Além de criar conexões relevantes, isso pode proporcionar um clima organizacional positivo, aumentar a performance e a entrega de resultados, uma vez que, ao gerar credibilidade, as pessoas confiam no que o profissional está dizendo, orientando ou vendendo.

Para saber qual é, normalmente, seu tom de voz e o que precisa ajustar, uma dica é usar o gravador do celular e ler um texto. Depois de avaliar o conteúdo, será possível começar pequenas mudanças no modo de falar, na velocidade de pronunciar as palavras e nos demais pontos. Alterações que podem ser essenciais para melhorar, consideravelmente, a comunicação e, consequentemente, a confiança, tanto no âmbito pessoal, quanto no profissional.

Com Assessorias

In the news
Leia Mais