Protetor solar em bebês, apenas acima de seis meses

bebe

O caso do bebê australiano que foi internado com queimaduras graves, depois de sua mãe ter passado filtro solar, acendeu uma preocupação, especialmente entre as “mãerinheiras” de primeira viagem: afinal, quando se deve usar protetor nas crianças? Lá na Austrália, o produto causou uma erupção na pele de um bebê de três meses, que precisou ficar hospitalizado. Para repercutir o assunto em pleno verão de mais de 40 graus no Rio de Janeiro e em muitas partes do Brasil, o Blog Vida & Ação ouviu dois dermatologistas e um pediatra. Todos foram unânimes em afirmar: qualquer protetor solar não deve ser usados antes dos seis meses de idade.

“A pele deles é menos resistente, e em um quadro agudo de alergia, ficam desidratados e apresentam vermelhidão, manchas e bolhas”, explica o dermatologista Murilo Drummond, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Eles (os bebês) são pequenos e têm a pele muito fina e sensível, podem apresentar reações se usar o produto. Antes dos seis meses a exposição solar deve ser muito pequena e no horário mais cedo possível. Somente para absorver um pouco de vitamina D”, completa a também dermatologista Márcia Linhares.

Drummond acrescenta que os bebês devem utilizar apenas roupas de algodão e chapéu para proteger o rosto, e jamais ser expostos diretamente ao sol, pois podem sofrer queimaduras e insolação. “O ideal é que sempre fique em locais com sombra e arejados.  Crianças maiores de seis meses devem fazer o teste de sensibilidade antes de aplicar o produto por todo o corpo. Passe apenas uma gota no antebraço e espere alguns dias, pois há casos em que a reação aparece após 72 horas. Em caso de alergia, lave imediatamente com água corrente e leve ao pediatra”, explica.

Jofre Cabral, pediatra e neonatologista da Perinatal, lembra que é preciso respeitar os horários de exposição segura ao sol – antes das 10h e depois das 16h. “Caso o bebê seja um pouquinho mais novo, não pode usar protetor e, por isso, o cuidado é ainda maior. Leve um chapéu, fique na sombra e não permita que o bebê fique exposto por mais que 15 minutos”, destaca. Ele recomenda ainda que, em viagens de carro durante as férias, as janelas sejam cobertas, para evitar que o sol atinja o bebê.

Segundo Márcia Linhares, após os seis meses o ideal é usar o protetor solar físico, que é aquele que não tem componentes químicos porque as chances de ter alguma reação é menor. “O protetor solar físico é aquele  composto de óxido de zinco e/ou dióxido de titânio, ambos ingredientes naturais que contam com proteção natural de amplo espectro, protegendo contra os raios UVA e UVB”. Ao contrário do filtro solar químico, a proteção física não penetra na pele; os raios solares são refletidos, funcionando como um verdadeiro bloqueador. É um protetor mais difícil de espalhar e é natural ele deixar o rosto levemente branco por conta da barreira física que ele faz na pele.

A dermatologista garante que o ideal é  sempre procurar um profissional de confiança para pedir uma indicação de protetor solar. “E não se esqueça de  sempre fazer um teste alguns dias antes de usar. Aplique o protetor em uma pequena área e veja se a criança vai ter alguma reação. Caso tenha, não use mais o produto e procure o dermatologista”, afirma.

bebe-protetor-solar

Mãe responsabiliza marca do protetor

Nas redes sociais, Jessie Swan, mãe do bebê australiano que sofreu queimaduras, disse que  ainda levou a criança para o ar livre, mas garantiu que a reação não foi pela exposição ao sol e sim pela qualidade do produto.  Ela passou o protetor fator 50, da Peppa Piga, de uma ONG que combate o câncer. A ONG responsável pelo protetor disse que vai investigar o que aconteceu. “Nós gostaríamos de tranquilizar todos que nosso protetor solar foi formulado para ser adequado para a pele delicada quanto possível”, informou a ONG, em nota.

Veja o relato da mãe: “Este é o meu filho de 3 MESES. Ele não foi no sol, ele estava simplesmente na rua para eu colocar tela nele só por segurança. Estivemos no hospital por 3 dias e 2 noites até agora a tentar tratar esta terrível erupção / queimadura causada pelo seu 50 +peppa pig protetor solar. Não compre este protetor solar. ** Isto não é queimadura solar, esta é uma reação ao creme, as pessoas podem parar de comentar irresponsável que eu sou… por favor, como se eu fosse deixar uma criança sob o sol. Por favor explicar como seu produto poderia fazer isto?!”

Fonte: Da redação, com assessorias 

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais