Quando é hora de permitir que seu filho ande sozinho na rua?

Cartilha da Criança Segura explica para pais, familiares e responsáveis como ensinar meninas e meninos a transitarem pela cidade de forma segura quando desacompanhados

Rosayne Macedo
Gabriel Pereira Alves esperava ônibus durante um tiroteio no Morro do Borel, quando levou o tiro.(Foto: Reprodução/Redes sociais)
Minha filha tem 13 anos e este ano já começou a ir e voltar alguns dias sozinha da escola. Fico com o coração na mão. Afinal, vivemos no Rio de Janeiro, onde a violência está na pauta do dia e não escolhe suas vítimas. Esta semana, um jovem de 18 anos foi morto por uma bala perdida em um ponto de ônibus na Tijuca. O estudante Gabriel Pereira Alves estava a caminho da escola quando foi alvejado por tiro disparado do Morro do Borel.
Mas afinal, como podemos preservar a vida de nossas crianças e adolescentes, em meio a tanta violência, e ao mesmo tempo garantir sua autonomia e segurança para caminhar, andar de bicicleta, patins ou skate? A Criança Segura está lançando uma nova publicação, para chamar a atenção de pais, familiares e responsáveis por crianças sobre a importância da mobilidade ativa para o desenvolvimento saudável dos pequenos. Faça o download do material aqui.
No e-book “Como ensinar crianças a se locomoverem de forma autônoma e segura”, a organização explica o que é mobilidade ativa, apresenta os benefícios de crianças e adolescentes utilizarem essa forma de locomoção, aponta os principais riscos que podem surgir no trajeto e explica para pais, familiares e responsáveis como ensinar meninas e meninos a transitarem pela cidade de forma segura quando desacompanhados.
O lançamento ocorre na Semana do Caminhar, entre os dias 4 e 10 de agosto, uma data criada para celebrar essa forma de deslocamento sustentável e saudável, que traz muitos benefícios, tantos individuais quanto coletivos. Além disso, no dia 8 de agosto também se comemorou o Dia Internacional do Pedestre.
Incentivar formas alternativas de mobilidade urbana, que não dependam do uso de veículos motorizados, é muito importante para a construção de cidades mais sustentáveis, menos poluídas, mais amigáveis para a população e mais seguras’, comenta Vania Schoemberner, coordenadora Desenvolvimento Institucional da Criança Segura.
Segundo ela, ao caminhar, andar de bicicleta, patins ou skate, a criança e o adolescente exercitam sua autonomia e autocuidado, praticam atividade física, interagem com os espaços públicos e começam a compreender seu papel como cidadãos, reforçando seu sentimento de pertencimento à comunidade na qual circulam.
Para a Criança Segura, incentivar o deslocamento autônomo de meninas e meninos, de forma responsável e segura, pode colaborar com a formação de adultos mais independentes, criativos e corajosos”, ressalta.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.