Rio distribui 1 milhão de máscaras descartáveis à população

Novo tipo de máscara, feita de celulose, biodegradável e com design, é entregue em pontos de grande concentração. ‘Drone falante’ incentiva uso do adereço

Redação
Estátua ganha máscara para incentivar a população a se proteger (Foto: Marco Antonio Rezende / Prefeitura do Rio)
Quarenta estátuas do Rio de Janeiro ‘vestiram máscaras’ como forma de chamar a atenção da população para o uso obrigatório do adereço em toda a capital desde quinta-feira (23/4). Além disso, a prefeitura começou a distribuir 1 milhão de máscaras descartáveis em estações do BRT e restaurantes populares. Um drone-falante também passou a emitir mensagens sugerindo às pessoas que usem a máscara, forma indicada como auxiliar na prevenção do novo coronavírus

Com a obrigatoriedade do uso de máscaras no município desde quinta-feira (23), a Prefeitura do Rio de Janeiro está distribuindo um lote de um milhão de um novo tipo de máscara, feita de celulose, biodegradável e com design mais eficiente para evitar a contaminação do lado interno. Além de material reciclável, é prática ao não permitir o contato das mãos com a parede interna da máscara. Neste sábado (25), as máscaras foram distribuídas na estação do BRT Santa Cruz e nos restaurantes populares de Bonsucesso, Bangu e Campo Grande. Após o uso esta máscara deve ser descartada.

A medida de prevenção faz parte da campanha “Convide a Vida”, de combate ao novo coronavírus, e vai ao encontro do decreto do prefeito Marcelo Crivella que estabelece a obrigatoriedade. Quem não usar as máscaras poderá ser impedido de utilizar o transporte público ou entrar nos estabelecimentos de serviços essenciais autorizados a funcionar durante a pandemia do novo coronavírus. “Todo reforço é importante nesse momento para que as pessoas evitem se contaminar e também propagar o vírus”, disse o prefeito.

Guardas municipais distribuem máscaras para a população (Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio)

A distribuição por agentes da Guarda Municipal da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) começou na quinta-feira (23/04), feriado de São Jorge, na estação do BRT Alvorada. Além de cinco mil máscaras, a população contou com um lavatório volante (para higienização das mãos com sabão líquido e álcool em gel) e a distribuição de folders explicativos, e ainda assistiu à demonstração de como funciona uma cabine de desinfecção – “túnel” que pulveriza produto desinfetante a quem passa por ele.

Segundo o secretário de Ordem Pública, Gutemberg Fonseca, ações como esta irão acontecer ao longo dos próximos dias em terminais do BRT e pontos sensíveis de concentração de pessoas. “A utilização da máscara salva vidas, não só a de quem usa, mas também a do próximo. Vamos estar por todos os terminais onde há fluxo de pedestres. A Prefeitura, mais uma vez, ao lado da população, levando oportunidades para que possamos vencer esta pandemia que assusta o mundo”.

Máscaras em 40 estátuas da cidade – Na quinta-feira, a prefeitura vestiu ‘máscaras’ nas estátuas da cidade, como forma de chamar a atenção da população para o uso obrigatório do adereço em toda a capital. Mais de 40 estátuas amanheceram com ‘máscaras’ feitas de TNT (material semelhante a tecido, obtido através de liga de fibras) e que vão permanecer por dez dias nas esculturas.

A campanha pelo uso de máscaras envolverá estátuas que homenageiam personalidades e também as que são cartões postais do município. Estão na relação os bustos de Zumbi dos Palmares (no Centro) e Padre Miguel (na Zona Oeste), e as estátuas de Bellini (em frente ao Maracanã), Cartola (na Mangueira, na Zona Norte) e Carlos Drummond de Andrade (na orla da Zona Sul). Cada um dos mais de 40 monumentos receberá uma plaquinha com a seguinte inscrição: “Se tá fora de casa, tem que usar máscara. É obrigatório”.

Costureiras confeccionam 1,8 milhão de máscaras de pano

Cerca de 600 costureiras vão fazer as máscaras de pano (Foto: Mariana Ramos/Prefeitura do Rio)

Cerca de 600 costureiras,  500 delas de 25 comunidades  como Rocinha, Maré, Vidigal, Alemão, Pavão-Pavãozinho, estão envolvidas na confecção de mais 1,8 milhão de máscaras de pano para a população que realmente precisa sair de casa para trabalhar. O objetivo é realizar a entrega em estações de trem, metrô e BRT. Elas foram mobilizadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos.

Outras costureiras que se engajarão no projeto fazem parte de um grupo de artesãs que serão contactadas pela Secretaria de Cultura. A ideia é que cada costureira entregue 3.000 máscaras por mês. Para isso elas receberão uma ajuda de custo e todo o material para a confecção das máscaras. Até o final da próxima semana, começa a distribuição em pontos específicos. A estimativa é que sejam aportados mais de R$ 4 milhões para a confecção e os recursos virão do fundo criado para o combate ao Covid-19.

Drone falante leva mensagem de incentivo ao uso de máscara

Drone falante passa a dar orientações sobre uso de máscaras nas ruas. (Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio)

Uma nova mensagem foi adicionada no ‘drone falante’, que já circula em pontos da cidade pedindo para as pessoas evitarem aglomeração. Agora, o equipamento emite a orientação pelo uso obrigatório de máscara, conforme decreto municipal, para aumentar a prevenção ao contágio da Covid-19. Diz o drone: “Atenção, a Prefeitura do Rio informa: é obrigatório o uso de máscara facial. Colabore. Proteja-se e proteja o próximo”. 

O drone foi uma iniciativa do IplanRio, em conjunto com o Centro de Operações, para auxiliar no atendimento às chamadas do Disk Aglomeração pelo 1746 e permite à prefeitura estender a fiscalização em pontos como estações de BRT na cidade. Para ajudar no monitoramento, todas as ações do drone são transmitidas em tempo real para a base operacional do Riocentro, onde funciona o Gabinete de Crise da Prefeitura, e para o Centro de Operações, na Cidade Nova.

A Guarda Municipal realiza ainda a conscientização da população utilizando 55 veículos e nove megafones para transmitir mensagens sonoras de orientação, a fim de reduzir aglomerações, estimular o uso de máscaras de proteção e reforçar as medidas de isolamento social, higienização de mãos, a distância entre as pessoas, para reduzir o risco de transmissão do novo coronavírus na cidade.

Os esforços parecem estar surtindo efeito. O Centro de Operações e a Cyberlabs observaram neste sábado (24), menos pessoas circulando pela cidade toda. Até as 10h de sexta-feira (24), havia 4.240 pessoas se deslocando. Até o mesmo horário deste sábado, foram registrados 3.320 cidadãos circulando pela cidade.

Outro dado importante é que, até as 10h do sábado anterior (18), havia 4.560 pessoas circulando pela cidade. Até o mesmo horário de sábado, foram registrados 3.760 cidadãos se deslocando. Isso indica que as pessoas podem estar mais conscientes e respeitando o isolamento social.

decreto da obrigatoriedade do uso de máscaras

Até que a regulamentação sobre a obrigatoriedade do uso da máscara de proteção seja publicada, as ações terão foco educativo. Para tanto, equipes da Vigilância Sanitária, Assistência Social, Guarda Municipal e de Ordem Pública atuam nas ruas orientando o cidadão sobre a importância de utilização do equipamento de proteção individual como forma de minimizar os riscos de transmissão e contaminação do novo coronavírus.

O decreto do prefeito Marcelo Crivella foi publicado no sábado (18/04), em edição especial do Diário Oficial do Município, e tornou obrigatório desde o dia 23/04 o uso de máscaras na cidade para quem sair às ruas e nos estabelecimentos abertos ao público.

Quem não usar as máscaras poderá ser impedido de utilizar o transporte público ou entrar nos estabelecimentos autorizados a funcionar durante a pandemia do novo coronavírus. Estabelecimentos que permitirem a entrada de pessoas sem máscaras também podem receber multas.

O prefeito tem destacado que, mais que multar, o decreto é para conscientizar a população sobre a importância do uso de máscaras neste momento em que a curva de contágio do novo coronavírus se acentua na cidade.

Com Prefeitura do Rio

In the news
Leia Mais