Rio já tem três casos de coronavírus

Paciente de 52 anos é moradora da capital e havia viajado à Itália. Estado tem outros 112 casos suspeitos. No Brasil, já são 13 confirmados e 768 suspeitos

Redação
Ação do Procon fiscaliza farmácias em Macaé/RJ (Foto: Rui Porto Filho)

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro confirmou o terceiro caso do Novo Coronavírus (Covid-19) – o segundo da capital. Até o momento, todos os três casos são de pessoas infectadas fora do país. Até este domingo (8), além dos três casos confirmados, há outros 111 suspeitos no Estado do Rio. O Ministério da Saúde informou que o Brasil tem 13 casos confirmados de coronavírus no país e 768 casos suspeitos sendo monitorados, de acordo com dados repassados pelas Secretarias Estaduais de Saúde.

A paciente, de 52 anos, é moradora da cidade do Rio de Janeiro e apresentava sintomas de quadro viral desde o retorno de viagem à Itália, na última quarta-feira, 04/03.

No Rio de Janeiro, a SES informou que no mesmo dia em que retornou da Itália a paciente deu entrada em uma unidade de saúde particular apresentando febre, tosse, congestão nasal e conjuntivite. Ela viajou acompanhada de outras três pessoas, que estão sendo monitoradas pela SES em parceria com a Vigilância municipal. A paciente, que reside sozinha, está em isolamento domiciliar.

Nesta nova confirmação, trata-se de uma mulher de 42 anos, moradora da cidade do Rio de Janeiro, que acompanhou a paciente do caso confirmado na madrugada desse sábado (7) em viagem à Itália. Ela já estava sendo monitorada por profissionais da Vigilância da SES, em parceria com o órgão municipal. O estado de saúde da nova infectada é estável e ela está em isolamento domiciliar.

O retorno da viagem aconteceu na última quarta-feira (4/3) e os primeiros sintomas apareceram um dia após a chegada.

Na quinta-feira, a paciente deu entrada em uma unidade de saúde particular apresentando febre, tosse e congestão nasal. Uma amostra para análise foi coletada e testou positivo para o Novo Coronavírus. Nesse caso, não houve necessidade de contraprova pelo laboratório de referência. Isso se deu porque o mesmo laboratório já havia confirmado o caso de ontem. Portanto, se habilitando para diagnósticos do novo vírus.

“Reforço que, até o momento, continuamos sem transmissão ativa do vírus no Rio de Janeiro. Os casos confirmados até agora são importados do exterior. Permanecemos no Nível Zero do nosso plano de contingência. Alerto a população para os cuidados para previnir o contágio, como higienizar as mãos com frequência e evitar levá-las ao rosto”, explica Edmar Santos, secretário de Estado de Saúde.

O secretário esclarece ainda que técnicos da SES analisam o comportamento do vírus no Hemisfério Sul, como grau de transmissibilidade e letalidade.

Desde janeiro a SES vem se preparando para a chegada do vírus. No dia 27 daquele mês, a secretaria emitiu nota técnica sobre o Novo Coronavírus e, dias depois, apresentou um plano de contingência que define as ações a respeito da doença, alinhado com protocolos do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

*Medidas de prevenção*
– Proteger nariz e boca ao espirrar ou tossir
– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres e copos
– Lavar frequentemente as mãos, especialmente após espirrar ou tossir
– Utilizar álcool em gel nas mãos

*Se houver sintomas*
Se estiver com febre ou sintomas respiratórios e tiver vindo de países com casos de coronavírus:
– Cubra o rosto com máscara cirúrgica
– Vá à unidade básica de saúde, hospital de emergência ou à UPA mais próxima
– Siga as orientações dos profissionais de saúde
– Siga as medidas de prevenção

 

É importante destacar que continuamos sem transmissão ativa do vírus no Rio de Janeiro. Os dois casos confirmados até agora são importados do exterior. Permanecemos no Nível Zero do nosso plano de contingência e não há razão para pânico. Os cuidados devem permanecer os mesmos que tomamos para a gripe”, frisou o secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos.

A primeira amostra para testagem da paciente foi coletada no mesmo dia em que deu entrada na unidade particular, na quarta-feira (4). O resultado deu negativo para painel viral geral e detectável para coronavírus e, então, o caso foi notificado aos CIEVSs municipais e estaduais. Nesta sexta-feira, o material foi encaminhado ao Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ) e Fiocruz, que confirmaram o laudo positivo para o Novo Coronavírus.

13 suspeitos monitorados em Barra Mansa

A SES também monitora 13 pacientes suspeitos do Novo Coronavírus que tiveram contato com o primeiro caso confirmado no estado, no município de Barra Mansa. A SES reforça que uma equipe da Vigilância estadual, em parceria com o órgão municipal, atua na cidade colaborando na assistência e para garantir o cumprimento dos protocolos preconizados pela Organização Mundial da Saúde.

Dos 112 casos suspeitos até o momento no Estado, a capital tem 52,  seguida de Niterói (15) e Barra Mansa (6). As cidades de Angra dos Reis, Maricá e Petrópolis  têm três casos suspeitos cada uma. Já, Duque de Caxias, Mendes , São Gonçalo e Volta Redonda registram, cada uma, dois suspeitos até o momento.

As demais cidades apresentam um caso suspeito cada uma: Barra do Piraí (1), Belford Roxo (1), Itaboraí (1), Macaé (1), Nova Friburgo (1), Nova Iguaçu (1), Pinheiral (1), Resende (1), Rio das Flores (1), Teresópolis (1) e Valença (1).

Há ainda dez  casos de pacientes que residem no exterior e em outro estado brasileiro, além de outro suspeito com local de residência em investigação.

Outros 480 casos foram descartados

Até o momento, 480 casos suspeitos de coronavírus já foram descartados em todo o Brasil. Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

Para manter a população informada a respeito do novo coronavírus, o Ministério da Saúde atualiza diariamente, os dados na Plataforma IVIS, com números de casos descartados e suspeitos, além das definições desses casos e eventuais mudanças que ocorrerem em relação a situação epidemiológica. Confira a página especial sobre o coronavírus.

Plano de contingência no Rio de Janeiro

Desde janeiro a SES vem se preparado para a chegada do vírus. No dia 27 daquele mês, emitimos nota técnica sobre o Novo Coronavírus e, dias depois, apresentamos um plano de contingência, que define todas nossas ações a respeito da doença”, explicou o secretário.

A secretaria reforça ainda que está no primeiro estágio do plano de contingência e alerta para que pessoas que estejam voltando de países com transmissão sustentada do vírus busquem os serviços de saúde nos primeiros sintomas. O secretário de Saúde reforçou ainda que técnicos da SES vão acompanhar o comportamento do vírus no Hemisfério Sul, grau de transmissibilidade e letalidade.

Hoje, além da China, 36 países estão sendo monitorados pelo Ministério da Saúde. Os países são: Alemanha, Argélia, Austrália, Bélgica, Bielorrússia, Bósnia e Herzegovina, Canadá, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Croácia, Dinamarca, Emirados Árabes Unidos, Equador, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Indonésia, Irã, Israel, Itália, Japão, Líbano, Malásia, Noruega, Reino Unido, Romênia, San Marino, Singapura, Suécia, Suíça, Tailândia, Vietnã, além da China.

Aumento de até 100% no álcool gel em Macaé

A Secretaria de Saúde de Macaé (RJ) informou, nesta sexta-feira (6), que o resultado do exame do terceiro caso suspeito de coronavírus, registrado no município, deu negativo. Além deste, os outros dois casos que haviam sido notificados, anteriormente, também foram descartados. Macaé segue, portanto, sem nenhum caso confirmado da doença.

O pânico fez aumentar a procura por produtos recomendados para prevenir a doença nas farmácias. A Procuradoria Adjunta de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Macaé já visitou 25 estabelecimentos esta semana para avaliar possíveis aumentos abusivos nos preços do álcool gel, álcool 70% e máscaras respiratórias nas farmácias e drogarias do município.  A ideia é fiscalizar se esses produtos estão com alta nos preços devido à prevenção do coronavírus (Covid-19). O órgão já autuou dois estabelecimentos.

A medida, que prossegue até a próxima semana, está de acordo com o art. 39, inciso X do Código de Defesa do Consumidor (CDC). Os fiscais do Procon solicitam os registros de compra e venda para verificação. As notificações dos distribuidores serão repassadas para a Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor (Senacon). s que se sentirem lesados também podem fazer denúncias nos telefones 2759-0801, das 8h às 17h, por e-mail procon@macae.rj.gov.br ou pelo aplicativo Macaé App.

Reforço na atenção primária

O Ministério da Saúde vai ampliar medidas para reforçar a assistência hospitalar no enfrentamento ao coronavírus no Brasil. Os primeiros reforços serão na Atenção Primária, a porta de entrada para receber os pacientes no SUS, para evitar que as pessoas procurem os hospitais em um cenário de grande circulação do coronavírus. O programa Saúde na Hora será ampliado nos municípios, aumentando as unidades de saúde que ficam abertas até às 22h ou aos finais de semana para atender à população.

Também estão entre as ações o chamamento de médicos para o programa Mais Médicos como reforço no atendimento nas Unidades de Saúde da Família (USF); a organização da rotina de pacientes com doenças crônicas; a disponibilização da telemedicina no auxílio ao atendimento de doentes graves pelo COVID-19; e a ampliação de leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI).

“Essas medidas são típicas da organização do nosso sistema de saúde pública. Temos um país continental e precisamos nos preparar para todas as possibilidades que esse vírus possa nos trazer”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a coletiva de imprensa, na tarde de sexta-feira (6).

Mais Médicos vão atuar

O Ministério da Saúde prepara chamamento de médicos para o programa Mais Médicos. Os profissionais de saúde poderão atuar nas USFs dos municípios de perfis de 1 a 8. A novidade é que serão atendidos os perfis de 1 a 3, que são capitais e grandes centros urbanos, locais com maior concentração de pessoas e onde o vírus pode ter maior transmissibilidade. As localidades de 4 a 8, que contemplam as regiões mais vulneráveis, também serão beneficiadas.

Ainda na Atenção Primária, o Ministério da Saúde irá orientar os estados e municípios, sobretudo as cidades mais distantes dos grandes centros, no manejo dos pacientes portadores de doenças crônicas. A ideia é antecipar exames e procedimentos para evitar que essas pessoas tenham de ir à unidade de saúde em um cenário de grande circulação do coronavírus.

A telemedicina também será disponibilizada à Atenção Primária, além da Especializada, para que os profissionais de saúde possam trocar informações e impressões Brasil a fora sobre a evolução da condição do paciente com coronavírus, sobretudo os mais graves.

Na rede hospitalar, o Ministério da Saúde vai atender de imediato todas as solicitações de habilitação de leitos de UTI para que o sistema amplie a capacidade de auto-organização. “Embora tenhamos habilitado todas as solicitações de leitos de UTI no Brasil no ano passado – mais de mil -, já temos pedidos este ano. São 100 leitos que serão habilitados imediatamente. Também estamos conversando com os estados para saber a possibilidade de abrir mais leitos de UTI”, garantiu Mandetta.

ALTERAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE VIGILÂNCIA

Com o 13º caso de coronavírus no Brasil, o Ministério da Saúde muda os critérios de classificação de caso suspeito no país. Agora, todas as pessoas que chegarem ao Brasil de países da América do Norte, Europa e Ásia, e tiverem sintomas como febre, coriza, tosse, falta de ar poderão ser considerados casos suspeitos de COVID-19. Anteriormente, os casos suspeitos eram classificados apenas a partir do histórico de viagem para alguns países com transmissão local da doença.

“Não faz mais sentido classificar pelo nexo de país, mas de viagem ao exterior. Nossos principais voos internacionais vêm da Europa e América do Norte, e considerando que são grandes combinações de destinos ampliam-se as possibilidades de entrada do vírus. Dessa forma já não faz mais sentido olhar apenas por países que estão na lista de transmissão local ou comunitária”, esclareceu o ministro.

A vigilância epidemiológica brasileira continua considerando nexo causal viajante que chegam ao país vindos da Austrália, de países da América Central e do Sul, que estejam na classificação da OMS como de transmissão local.


Leia também:


GASTO PÚBLICO

Outra medida que será tomada nas próximas semanas é a implantação de um comitê com a participação do Tribunal de Contas da União (TCU) para dar celeridade nos processos de compras emergenciais e dar transparência aos gastos durante a emergência de saúde pública.

“Até agora temos feitos as compras respeitando todos os prazos de licitação, mas podemos ter necessidade de medidas emergenciais que precisam de celeridade. Com o TCU participando desse comitê a tomada de decisão é mais rápida. Além disso, cada centavo gasto com o coronavírus será acompanhado pelo órgão de controle para sabermos exatamente no que gastamos e darmos transparência às nossas medidas”, disse o ministro da Saúde.

Com Assessorias