Rio vai acompanhar evolução de pacientes curados

Com 70% dos casos do estado, a capital passará a divulgar a taxa de incidência e a série histórica de casos de pacientes

Redação
Cristo Redentor tem projeção em homenagem aos profissionais da área de saúde e serviços essenciais que trabalham no combate da Covid-19 (Foto: Alexandre Brum/Enquadrar/Folhapress)

O Brasil registrou neste domingo de Páscoa um total de 22,1 mil casos do novo coronavírus e 1,2 mil mortes pela covid-19, de acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde. A cidade do Rio de Janeiro concentra 70% dos casos de todo o estado (1.996 das 2.855 confirmações e 106 das 170 mortes). A partir de agora, a prefeitura passará a divulgar a projeção de casos da doença, a taxa de incidência e a série histórica de casos de pessoas que se recuperaram após terem contraído o coronavírus.

A Prefeitura do Rio também estuda mostrar o avanço da doença em percentuais para explicar a velocidade da curva de casos confirmados da doença e o histórico do crescimento das internações nos hospitais da rede municipal. As novas informações são analisadas por pesquisadores da UFRJ e UERJ para mostrar como será a evolução da doença e estarão disponíveis no Painel Rio Covid-19, plataforma lançada dia 21 de março que alcançou um milhão de acessos neste domingo (12/04).

Para homenagear os profissionais de saúde e trabalhadores dos serviços essenciais que têm se dedicado ao combate à pandemia, o principal símbolo da cidade ‘vestiu’ jaleco e máscara facial durante uma celebração neste domingo de Páscoa (12), no Rio de Janeiro. Além da projeção de fotos, o Cristo Redentor recebeu a Consagração do Brasil pelo arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Orani João Tempesta. O evento só havia sido realizado uma vez, em 1931, durante a inauguração do monumento, no Morro do Corcovado.

143 dos 160 bairros do Rio já têm casos de covid-19

Com uma média de 45 mil acessos diários, o Painel Rio Covid-19 permite à população, imprensa e aos especialistas acompanharem diariamente o desempenho do coronavírus na capital fluminense. São disponibilizadas informações sobre número de casos e óbitos confirmados por bairros e regiões da cidade, além do perfil das pessoas infectadas e os principais sintomas apresentados pelos pacientes.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), os dados mostram que, dos 160 bairros do Rio, 143 já registraram casos da Covid-19. Entre as mudanças do Painel Rio Covid-19 estão o mapa de casos confirmados por área programática da Saúde, indicador de letalidade por 100 mil habitantes, evolução dos casos e internações na rede municipal e o número de pessoas consideradas recuperadas, além do número de mortes por bairros.

Essas mudanças visam a dar mais transparência para a população e permitir outras análises pela comunidade científica no enfrentamento à pandemia. Usamos exemplos mundiais e fomos aperfeiçoando a ferramenta para a realidade do município”, destacou Leonardo El Warrak, subsecretário de Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde.

A equipe responsável pelo painel faz diariamente a checagem dos dados com a Vigilância em Saúde, inserindo as notificações no banco de dados, com a evolução desde o primeiro registro de caso confirmado no Rio de Janeiro, localidades, gênero e faixa etária dos infectados. “Toda nova informação será útil para adotarmos, após análise em nosso Gabinete de Crise contra a Covid-19, medidas que contenham a intensidade da transmissão do vírus”, disse o prefeito Marcelo Crivella. 

No Estado do Rio, 61 dos 92 municípios têm casos

O Estado do Rio de Janeiro tem 2.855 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, de acordo com o boletim divulgado (12) pela Secretaria de Estado de Saúde. Apenas neste domingo, o órgão confirmou mais 15 mortes, totalizando 170 óbitos em decorrência da doença causada pelo vírus. Outras 115 mortes estão em investigação.

A maior parte dos óbitos ocorreu na cidade do Rio: foram oito mortes, sendo duas mulheres, com idades entre 31 e  61 anos, e seis homens, de 71 a 97 anos. Dois homens morreram em Itaguaí, um de 40 e um 45 anos; uma mulher de 50 anos e um homem de 77 anos morreram em Nova Iguaçu; um homem de 47 anos, em Cachoeira de Macacu; uma mulher de 60 anos, em Maricá; e, um homem de 35 anos, em de Rio das Ostras.

Em todo o estado, 61 dos 92 municípios apresentam casos de covid-19. Depois da capital, Niterói aparece em segundo lugar com maior número de casos confirmados, 120. Em seguida, vêm Volta Redonda, com 107, e Nova Iguaçu, com 88. Duque de Caxias tem 81 casos; São Gonçalo, 76; Belford Roxo, 46; São João de Meriti, 34; e Mesquita, 30. Mais informações pelo telefone 160 (ligação gratuita) ou pela internet.

Taxa de letalidade da covid-19 sobe para 5,5%

Em todo o Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, houve aumento de 1.442 casos em relação ao balanço divulgado no sábado (11), totalizando 22.169 infectados e 1.223 mortos. A taxa de letalidade do vírus vem crescendo no Brasil e chegou a 5,5%. A evolução no número de casos notificados, bem como de mortes, oscila.

Da última sexta-feira (10) para sábado, 68 novas mortes foram confirmadas. Já de sábado para domingo, foram 99 novas mortes. O pico de evolução de mortes de um dia para o outro foi no dia 9 de abril, que registrou 141 novas mortes em relação ao dia anterior. Em relação aos casos notificados, o pico foi no dia 8 de abril, quando 2.210 novos casos foram confirmados.

O Estado de São Paulo ainda concentra o maior número tanto de casos (8.755) quanto de mortes (588), seguido do Rio de Janeiro. Na Região Norte, o Amazonas concentra o maior número de casos, com 1.206 e 62 mortes. Na Região Nordeste, o Ceará se destaca, com 1.676 casos e 74 mortes.

No Centro-Oeste, o Distrito Federal tem o maior número de casos, muito à frente dos demais, com 614 casos e 14 mortes. Na Região Sul, Santa Catarina é o estado da região com mais casos, 768, e o Rio Grande do Sul é estado com menos, 653. O Paraná tem o maior número de mortes do estado, 30, e 738 casos.

Da Agência Brasil

In the news
Leia Mais