Sarampo no Brasil: metade das mortes é de crianças

Sete dos 13 óbitos registrados em 90 dias são de menores de 5 anos de idade, público-alvo do dia nacional de mobilização contra a doença neste sábado (19)

Crianças menores de 5 anos são alvo da campanha contra o sarampo (Foto: Divulgação)

De acordo com o último boletim epidemiológico de sarampo, do Ministério da Saúde, o Brasil registrou, nos últimos 90 dias, 6.192 casos confirmados, o que corresponde a um aumento de 15% em relação ao período de monitoramento anterior. Em apenas três meses, foram confirmados 13 óbitos pela doença no Brasil, sendo sete óbitos (53,8%) em menores de cinco anos de idade, dois (15,4%) na faixa etária de 20 a 39 anos e quatro (30,8%) em adultos maiores de 40 anos.

As crianças menores de um ano apresentam incidência de 106,1 a cada 100 mil habitantes, número 12 vezes superior ao registrado na população geral (8,5 a cada 100 mil), seguido pelas crianças de 1 a 4 anos (23,8 a cada 100 mil), o que confirma essas faixas etárias como as mais suscetíveis a complicações e óbitos por sarampo.

Para enfrentar a doença, postos de vacinação de todo o país estarão abertos neste sábado (19) para o dia “D” de mobilização nacional contra o sarampo.  O objetivo é reforçar a importância da vacinação desse grupo prioritário, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Para esse público, a mobilização continua até o dia 25 de outubro, quando encerra a primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação. Até lá devem ser vacinadas, 2,6 milhões de crianças de 6 meses a menores de 5 anos e 13,6 milhões de adultos.
O balanço parcial da campanha  aponta que 88% das crianças entre 1 e 2 anos receberam pelo menos uma dose da vacina contra a doença. Essa faixa etária é utilizada como parâmetro para o acompanhar a cobertura vacinal em todo o país.

Estado do Rio registra 68 casos

Vinte estados estão na lista de transmissão ativa da doença e 96% dos casos confirmados estão concentrados no Estado de São Paulo, em 192 municípios. O Estado do Rio de Janeiro registrou 68 casos de sarampo confirmados em 2019. A SES ressalta que o caso suspeito de morte por sarampo que ocorreu em Petrópolis, em agosto, foi descartado para a doença.
A Secretaria de Estado de Saúde (SES) reforça a importância da vacina e recomenda que os responsáveis levem as crianças para receberem a dose, que é a única garantia contra a doença. “O Dia D é uma data importante, pois envolve toda a sociedade em prol da vacinação. O sarampo tem alto grau de contágio e a vacina protege contra a doença e evita sua proliferação”, aponta Edmar Santos, secretário de Estado de Saúde.

Lançada no início deste mês, a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo prioriza dois grupos. A segunda fase, prevista para iniciar em 18 de novembro, será direcionada para adultos entre 20 e 29 anos que ainda não atualizaram a caderneta de vacinação.

O objetivo do Dia D é reforçar a cobertura vacinal e atualizar a caderneta de vacinação do grupo que têm maior incidência da doença, garantindo que estejam com a imunização em dia. O esquema vacinal contra o sarampo é oferecido durante todo o ano na rede pública de saúde. Para tomar a vacina, basta apresentar a carteira de vacinação. Antes do primeiro ano de vida, a dose não entra na conta do Calendário Nacional de Vacinação. Ou seja, o bebê continuará precisando tomar mais duas injeções.

Para viabilizar o ‘Dia D’, além de manter a vacina de rotina nos postos de saúde e fazer bloqueio vacinal, o Ministério da Saúde adquiriu este ano 60,2 milhões de doses da vacina tríplice viral, que previne contra sarampo, rubéola e caxumba, representando a maior compra de vacinas contra o sarampo dos últimos 10 anos.

Sintomas e contraindicações

A doença é infecciosa grave causada por um vírus e transmitida por via aérea. Os sintomas são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, coriza e mal-estar intenso, além de e manchas brancas na mucosa oral.  A doença também provoca conjuntivite e se caracteriza por apresentar manchas vermelhas que aparecem no rosto e atrás da orelha e se espalham por todo o corpo após um período que varia de três a cinco dias. O sarampo é uma doença que passa com facilidade de uma pessoa para outra por meio da fala, tosse e espirro.

Pessoas com suspeita de sarampo, gestantes, crianças com menos de 6 meses e imunocomprometidos não devem receber a vacina. Pessoas com alergia à proteína lactoalbumina, presente no leite de vaca, devem informar ao profissional de saúde no posto de vacinação para que recebam a dose feita sem esse componente.

Fiocruz pra Você reforça campanha nacional

A Fiocruz realizará neste sábado (19), no Rio de Janeiro, o Fiocruz pra Você. Na 26ª edição, será oferecida gratuitamente a vacina para tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba). O evento contará com um ato em favor da vacinação – colaboradores, gestores, autoridades e moradores das comunidades vizinhas se reunirão para uma foto aérea às 11 horas. A ideia é formar uma grande gota simbólica, que será registrada por um drone. A ação faz parte da programação dos 120 anos da Fundação.

A iniciativa, que reforça anualmente a campanha nacional de vacinação, também oferecerá ao público dezenas de atividades culturais, de divulgação científica e promoção da saúde. Crianças maiores de 6 meses e até 4 anos, 11 meses e 29 dias poderão ser vacinadas nos campi de Manguinhos, Farmanguinhos, em Jacarepaguá, e no Palácio Itaboraí, em Petrópolis, das 8 às 17 horas.

Com dois palcos — perto do Castelo Mourisco e no Parque da Ciência, do Museu da Vida —, o campus de Manguinhos contará com apresentações de música, teatro e dança, e a presença de especialistas para falar sobre a importância da vacinação. Além das oficinas de pipas, pintura facial e desenho, o campus também receberá exposições interativas e rodas de conversa. Serão dois postos de vacinação dentro do campus, localizados na Biblioteca de Manguinhos e na Clínica da Família Victor Valla.

O Fiocruz pra Você teve início em 1993 e, desde então, a instituição procura associar o Dia Nacional de Vacinação a um dia de luta por uma vida saudável e digna para todos. Durante o evento, são realizadas diversas ações de conscientização sobre temas atuais, disseminação de conhecimento da área da saúde, além de atividades culturais, artísticas e de promoção à saúde.

A programação ainda prevê apresentações do coletivo Na Favela Tem Talento, do Coral Flor do Mangue e grupo de Tambores e da Escola de Música de Manguinhos, no palco do Parque da Ciência, no Museu da Vida. Ao longo do dia também haverá distribuição de picolés, algodão doce, pipoca e maçã do amor. Na área externa da Biblioteca de Manguinhos, os presentes poderão participar também de uma Roda de Capoeira e do Laboratório Culinário de Manguinhos. Na Cavalariça, a instalação O Muro permitirá a interação com registros fotográficos produzidos por crianças e jovens da comunidade do Jacaré, e alude à ideia da desconstrução de muros sociais, segundo o idealizador Hélio Rodrigues.

Farmanguinhos / CTM – No Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), na unidade da Fiocruz em Jacarepaguá, a programação do Fiocruz pra Você terá serviços de cidadania para a população que for ao evento mediante a distribuição de senhas, como emissão de primeira e segunda via de certidões de nascimento, casamento e óbito, 1ª e 2º via de identidade, cadastro e desbloqueio do programa Bolsa Família e matrícula nas redes de ensino. Será ofertada, mediante a distribuição de senhas, a vacina de tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) das 9h às 17h, para crianças maiores de 6 meses e menores de 4 anos, 11 meses e 29 dias.

Fiocruz em Petrópolis – O Fiocruz Pra Você em Petrópolis será no Palácio Itaboraí, e tem em sua programação atividades como show de mágica e circo, oficinas de plantio e saúde bucal, feira agroecológica, e brinquedos para as crianças presentes. Será ofertada a vacina do sarampo para crianças maiores de 6 meses e menores de 4 anos, 11 meses e 29 dias. A vacinação será feita de 8h às 17h.

Bangu Shopping – Neste sábado (19/10), o Bangu Shopping  também terá um posto de vacinação gratuito contra o Sarampo. A ação faz parte da mobilização nacional contra o sarampo e tem como objetivo de ampliar o acesso da vacina ao público alvo. A vacinação acontecerá das 10h às 17h, na sala exclusiva para vacinação localizada ao lado do cinema, no 1° piso e conta com parceria do posto de saúde Waldyr Franco.

Mais recursos para ampliar a cobertura vacinal

A importância da campanha de vacinação e ação promovida pela Fiocruz destaca-se mais ainda pelo fato de que nos últimos dois anos os índices de cobertura vacinal das principais vacinas ofertadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) têm registrado queda. Doenças como poliomielite, sarampo e outras já consideradas eliminadas ou erradicadas no país são ameaças se a população não compreender o alerta para os riscos da não vacinação.

Na última quarta-feira (16), no Diário Oficial da União (DOU), o Ministério publicou a portaria 2.722, que libera R$ 206 milhões para que estados e municípios possam reforçar ações e medidas locais, no âmbito da Atenção Primária e da Vigilância à Saúde. O objetivo é ampliar a cobertura vacinal, o controle de surtos e a interrupção da transmissão do sarampo, e outras doenças possíveis de imunização, em todo o país.

Para serem beneficiados com o reforço financeiro, os municípios precisam cumprir duas metas: alcançar 95% de cobertura vacinal, da primeira dose da tríplice viral, que previne sarampo, rubéola e caxumba, em crianças de 12 meses de idade; e informar o estoque das vacinas de poliomielite, tríplice e pentavalente às Secretarias de Saúde dos Estados e ao Ministério da Saúde. Leia a íntegra em saude.gov.br

Redes sociais passam a falar mais de sarampo

As redes sociais tiveram um aumento de menções ao sarampo após o início da nova campanha da vacinação contra a doença, promovida pelo Ministério da Saúde. Segundo dados do Buzzmonitor Trends, ferramenta do Buzzmonitor de busca histórica de termos nas redes sociais, houve 1672 posts sobre a doença no primeiro dia da campanha, dia 7 de outubro.

Os outros dois picos de posts sobre sarampo nos últimos 30 dias foram nos dias 13 e 17, com 2.462 e 2.469 menções, respectivamente, após a divulgação de notícias sobre o corte de verbas públicas para vacinação por parte do Governo Federal.

O post sobre o tema que mais causou engajamento no Facebook durante o período foi uma notícia do History Channel sobre uma mãe que perdeu dois filhos para o sarampo por acreditar em notícias falsas sobre a doença. O post teve mais de 2.000 interações e 3.000 compartilhamentos.

Isso mostra que a preocupação com movimentos antivacina é parte importante do buzz em redes sociais em épocas de vacinação. Além disso, a divulgação do tema não parte apenas de veículos, mas também de influenciadores.  

Uma publicação feita pelo influenciador Felipe Neto no Twitter gerou um grande volume de menções ao movimento antivacina nas redes no dia 9 de outubro, chegando a 1.446 posts.

No post, o influenciador defendeu a ciência e o combate a teorias anti-científicas como terra planismo e teorias anti-vacina. O tweet teve mais de 28.200 curtidas. Além do tweet do próprio Felipe Neto, que tem mais de 10 milhões de seguidores, outros influenciadores menores compartilharam a publicação, aumentando o alcance do alerta sobre o tema.

Com Agência Saúde, Fiocruz, SES-RJ e Buzzmonitor

 

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais