Sem testes disponíveis, tomografia ajuda no diagnóstico da Covid-19

Equipamentos identificam com precisão se a pessoa está infectada com o novo coronavírus, avaliando o nível de acometimento dos pulmões dos pacientes

Redação
A procura por exames para detecção do Covid-19 cresce em todo o mundo. Mas o teste PCR, que é o mais preciso, ainda está escasso e o resultado tem demorado muito em algumas regiões. Neste cenário, tradicionais exames de imagem, como Raios X e Tomografia Computadorizada, surgem como alternativas na identificação de casos da doença nesses tempos de pandemia.
Os aparelhos de Raios X são muito difundidos no Brasil inteiro e aptos para ser usados, além de terem baixo custo por exame. Já a TC ainda é pouco acessível na rede pública do país. São apenas 5 mil tomógrafos espalhados por todas as regiões, de acordo com o Ministério da Saúde. Apesar disso, o exame vem se tornando um importante aliado para o diagnóstico mais rápido da doença.
Com laudo pronto em até 35 minutos, a tomografia permite identificar com agilidade os pacientes que precisam de cuidados especiais, para que sejam orientados a seguir os protocolos mais rígidos de isolamento social domiciliar ou, conforme o caso, ser encaminhado para tratamento imediato. Entretanto, de acordo com especialistas, a tomografia não substitui os exames de laboratório indicados para fechar o diagnóstico da Covid-19.

A tomografia salva vidas porque o médico pode ver as condições do pulmão e adotar a melhor conduta rapidamente, antes mesmo de ver o resultado do RT-PCR e da contraprova. Ainda assim, para ter certeza que o agente causador da infecção é o Covid-19, é preciso esperar os resultados dos exames virais”, explica o radiologista Augusto Romão, CEO da One Laudos.

Para Gabriel Barbosa, coordenador médico da Dimpi, que presta serviços de diagnóstico por imagem ao Governo do Estado do Rio de Janeiro, a tomografia computadorizada contribui na tomada de decisão sobre quem deve ser internado, ir para a UTI ou recuperar-se em casa. “Mas mesmo que o resultado dos exames seja normal, ainda não será possível excluir o diagnóstico de Covid-19. Logo no início da infecção, a tomografia pode não exibir sinais da infecção, por isso é importante que o paciente continue sendo monitorado, caso continue com sintomas”, destaca.

Policlínicas do Rio vão receber tomógrafos

Epicentro da pandemia no Estado, a cidade do Rio de Janeiro está ampliando a oferta de tomografia computadorizada para acelerar o processo de diagnóstico da Covid-19, diante da escassez dos exames laboratoriais. Além do hospital de campanha no Riocentro, que deverá ser inaugurado no dia 1º de maio, três unidades de saúde do município vão ganhar espaços específicos para a instalação de tomógrafos de última geração, que vão ajudar a desafogar as altas demandas dos hospitais de emergência das zonas Norte e Oeste.

Serão beneficiados os pacientes das Policlínicas Rodolpho Rocco, em Del Castilho; Lincoln de Freitas Filho, em Santa Cruz; e Manoel Guilherme da Silveira Filho, em Bangu. São equipamentos top de linha, que vão ajudar muito os médicos a fazer diagnóstico precoce da Covid-19. Os aparelhos têm 128 canais, o que significa que são de alta resolução, com imagens de grande definição e nitidez. Essa tecnologia de ponta é essencial para o trabalho dos médicos no diagnóstico de problemas pulmonares em decorrência da Covid-19. Cada equipamento custou US$ 950 mil e vai realizar, em média, 1.200 exames por mês.

“O tomógrafo é o melhor exame para detectar pneumonia provocada pelo novo coronavírus. E quanto mais precoce for essa detecção, mais chances a gente tem de vencer a doença”, afirmou o prefeito Marcelo Crivella neste domingo (26), após vistoriar as obras de adequação nas três unidades de saúde. Segundo ele, essas obras são necessárias para a blindagem dos ambientes que receberão os tomógrafos e à segurança dos usuários.

As intervenções em cada policlínica estão sendo feitas em áreas externas dos terrenos. Entre os serviços executados estão o revestimento das paredes com mantas de aço, instalações elétricas e de portas blindadas, sistemas de refrigeração e de iluminação, e tratamento do piso para sustentar os aparelhos. Iniciadas em 20/04, a previsão é que as obras estejam concluídas até o próximo fim de semana.

Hospital Estadual Anchieta recebe tomógrafo móvel

No Rio de Janeiro, a Unidade Móvel de Tomografia Computadorizada que rodava cidades do estado patsa atender à demanda reprimida pelo exame em diversas finalidades, está desde dia 10 de abril no Hospital Estadual Anchieta (HEAN), que foi transformado em referência para tratamento de Covid-19. A unidade móvel permanecerá por tempo indeterminado no local, com seu moderno tomógrafo de 16 canais, capaz de dar informações sobre a doença em poucos segundos.

O equipamento é operado pela empresa Dimpi Gestão em Saúde, em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde. Com capacidade de realizar até 60 exames por dia, o tomógrafo móvel oferece resultados imediatamente ao médico radiologista presencialmente. A equipe é composta ainda por um técnico em radiologia, um técnico de enfermagem, um eletricista, um técnico de TI e corpo administrativo. Nas duas últimas semanas foram realizados 41 exames para diagnóstico da Covid-19.

Plataforma gratuita ajuda na identificação de casos

Já imaginou, em qualquer lugar do Brasil, os profissionais terem, por meio de imagens, suporte para identificar casos de Covid-19? Em parceria com o Ministério da Saúde,Maida.health, uma empresa do Sistema Hapvida, desenvolveu a plataforma Covid-19.maida.health, que torna isso possível. Com a Inteligência Artificial desenvolvida pela empresa será possível realizar a triagem dos casos de pacientes suspeitos a partir de exames de imagens de Raios-X e Tomografia Computadorizada de tórax.

A plataforma é gratuita, está disponível 24 horas por dia, sete dias por semana e vai dar suporte clínico aos profissionais de saúde na identificação de casos da doença causada pelo novo coronavírus. Os profissionais de saúde também poderão contribuir com o banco de imagens, registrando novos casos e ajudando a orientar mais profissionais que estão na linha de frente do combate ao coronavírus (acesse aqui).

Criamos essa alternativa de análise, que usa como base exames de imagem para fins de triagem do Covid-19. Ao se avaliar uma imagem, é possível dizer se o caso em questão parece com a Covid ou não. Isso pode ajudar na condução de tratamentos”, resume Pedro Santos Neto, líder de Pesquisa e Desenvolvimento da Maida.health.

150 radiologistas se unem para atendimento remoto

Para atender ao aumento no número de tomografias para o diagnóstico diferencial da Covid-19, a One Laudos (onelaudos.com.br) uniu 150 radiologistas capazes de atender remotamente a todo o país, por meio da tele-radiologia. Esses profissionais ficam em São Paulo e já emitem, hoje, mais de 70 mil laudos de exames por mês para 16 estados presenciais e à distância, sendo uma média de 45 mil tomografias ao ano. A expectativa é que, a exemplo do que ocorreu na China e em outros países, o volume de laudos aumente significativamente nos próximos meses.

Os radiologistas especializados em tórax podem fazer o laudo da forma mais rápida e correta. Infelizmente, esses profissionais estão concentrados em alguns polos e cidades. Com a tele-radiologia, o especialista recebe as informações que são coletadas em qualquer tomógrafo, em qualquer cidade com acesso A internet, analisar e enviar rapidamente o resultado, a qualquer hora do dia”, explica o radiologista Augusto Romão, CEO da One Laudos.

Com Assessorias
In the news
Leia Mais