Sinal de fumaça também para fumantes passivos

Médico faz alerta para agravamento de quadros infecciosos entre quem “fuma por tabela”. Confira algumas dicas para não fumar durante o isolamento social

Redação

O médico Cassiano Barbosa, diretor técnico do Hospital Regional do Sudeste do Pará (HRSP), unidade pública gerenciada pela Pró-Saúde e referência no atendimento à Covid-19 na Região Norte, afirma que fumantes acabam tendo maior chance de adquirir infecções por vírus e bactérias, contraindo, além da Covid-19, outras doenças como pneumonia, gripes e tuberculose, por exemplo.

Além dos malefícios causados aos fumantes ativos, outro grupo que merece atenção é o dos fumantes passivos, ou seja, pessoas que moram ou convivem com fumantes, ficando constantemente expostas aos componentes tóxicas presentes na fumaça do cigarro.

Mesmo em menor grau do que o fumante ativo, os fumantes passivos também podem adquirir doenças pulmonares, como gripes e pneumonias, tendo seus mecanismos de defesa prejudicados e podendo até sofrer mais complicações na recuperação e tratamento contra a Covid-19, se comparadas a pessoas não expostas ao tabagismo”, explica.

Ator alerta para riscos do tabagismo passivo

No canal do Inca no Yutube, o ator Rafael Zulu fala sobre o tabagismo passivo e o risco para doenças graves, como a Covid-19, agravamento da asma, infarto e câncer de pulmão.

Dicas para não fumar durante o isolamento social

Apesar de a principal medida preventiva contra doenças pulmonares ser largar o cigarro, uma maneira de lidar com o possível aumento da necessidade de fumar para aliviar a ansiedade, sobretudo durante o período de isolamento social, é procurar atividades prazerosas, tais quais ler, assistir um bom filme, praticar atividades físicas e criar uma rotina saudável com horários para se alimentar e trabalhar, organizando a mente ao longo desse período.

Outra dica de ouro aos fumantes para se protegerem, principalmente da contaminação pelo novo coronavírus, é sempre manter as mãos higienizadas, evitando levá-las a boca, e higienizar também as superfícies sobre as quais acondicionam os cigarros, para que no ato de fumar não se contaminem”, ressalta Cassiano Barbosa.

Para quem quer deixar o vício ou evitar utilizar tabaco, Medeiros dá dicas: “Procure uma boa alimentação, faça exercícios físicos, coisas que deem longevidade. Estamos ganhando muitos anos de vida e queremos que esses anos sejam vividos com qualidade e não com sequelas, doenças, com estigmas após um câncer ou tratamento que vai deixar mutilado para o resto da vida”.

 

In the news
Leia Mais