Torcedores do Flamengo ‘entram em campo’ para doar sangue

Ação no Rio mobiliza rubronegros em equipe, assim como no futebol, para levar amigos e simpatizantes da causa ao Banco de Sangue Serum

Marcelo Pereira foi o primeiro torcedor do Flamengo a comparecer para doar sangue na ação (Foto: Divulgação)

Flamenguista de coração e carteirinha, Marcelo Pereira foi o primeiro torcedor rubronegro a comparecer nesta quinta-feira (21) ao Banco de Sangue Serum, no Centro do Rio de Janeiro. Acostumado a “dar o sangue’ – na força da palavra – para ver seu time vencer, ele aderiu à campanha para levar amigos e simpatizantes para doar sangue para a instituição.

Esta é a sétima edição da Campanha Raça, Amor e Sangue que prossegue até 6 de abril. A ação foi idealizada quando a mãe de um torcedor de uma torcida organizada de outro time teve câncer e precisou de transfusão de sangue. Em um gesto de solidariedade, houve então uma grande mobilização entre as torcidas para doações de sangue.

A expectativa, com essa ação, é que haja um significativo aumento nas doações, segundo Rodrigo Santos Moreira, líder de captação das unidades do Banco de Sangue. ““Esperamos atingir aproximadamente 200 doações, durante esses 17 dias de campanha,um número que contribui para manutenção do estoque mantendo hemocomponentes saudáveis”, afirma Moreira.

Washington de Paula foi o doador número 2 da campanha (Foto: Divulgação)

Homenagem às vítimas do Ninho do Urubu

Esta edição da campanha apresenta em sua logomarca o ‘selo 10’, uma menção em memória aos jovens jogadores da base do time carioca, que faleceram em decorrência do incêndio que atingiu o Centro de Treinamento do Flamengo, em fevereiro.

De acordo com o líder de captação, são bem-vindos todos os tipos sanguíneos, principalmente os da modalidade O+ e O-. “A demanda por esses tipos sanguíneos sofre um acréscimo considerável durante e pós períodos festivos ou feriados, em decorrência de acidentes de trânsito, transplantes, tratamentos de câncer e anemias, entre outros fatores. Consequentemente, há um aumento no consumo de bolsas de sangue pelos hospitais desproporcional ao número de doações realizadas nesse período”, explica Moreira.

O número de coletas que seja confortável frente a essa necessidade é de cerca de 60 doações diárias, contra a média atual de apenas 30. Para Rodrigo Moreira, campanhas como essas são oportunidades para que os torcedores demonstrem algo que vai além da dedicação pelo futebol. “É um momento em que a união e a paixão pelos seus times podem ser revertidas em fazer o bem e salvar centenas de vidas, dos pacientes dos mais de 30 hospitais da rede pública e privada atendidos, além de contribuir para uma sociedade mais altruísta e voluntária”, conclui.

COMO DOAR

O Banco de Sangue Serum atua há mais de 24 anos em todo o Estado do Rio de Janeiro. O sangue coletado ajuda a salvar vidas de pacientes atendidos em hospitais públicos e privados localizados nos municípios do Rio de Janeiro, Niterói e São Gonçalo.

 Os interessados precisam pesar mais de 50 quilos e estar em boas condições de saúde. Não é necessário fazer jejum, mas é preciso esperar três horas após o almoço ou a ingestão de alimentos gordurosos. No local, basta apresentar um documento oficial com foto e ter entre 16 e 69 anos (menores de idade precisam de autorização e estar acompanhados por um responsável).

O voluntário não pode ter ingerido bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação. Quem tiver feito tatuagem, micro pigmentação de sobrancelha, ou piercing recentemente precisa aguardar 12 meses após o procedimento, e quem fez endoscopia deverá esperar 6 meses após a realização do procedimento.

Serviço:

Campanha Raça, Amor e Sangue

De 21 de março a 6 de abril

Banco de Sangue Serum

Endereço: Rua Riachuelo, 43, Centro – Rio de Janeiro

Dentro do Hospital da Ordem do Carmo, 3º andar

Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, e aos sábados, das 8h às 12h.

Telefone: (21) 3233-5950

Estacionamento conveniado durante a doação – Landeiras Park, Avenida Gomes Freire, 769 – Lapa

In the news
Leia Mais