Tristeza ou depressão de fim de ano? Saiba como aliviar os sintomas

Todo fim de ano é a mesma coisa. Quando começam aquelas canções natalinas, bate uma tristeza… No meu caso, o sentimento é causado pelas lembranças de pessoas queridas da família que não estão mais por perto: pai, mãe, irmão…  Para tantos outros brasileiros, podem ser as dívidas, o desemprego…  Quem está passando por algum momento difícil, sem dúvida o clima festivo e familiar está longe de ser agradável.

Expectativas não concretizadas, problemas financeiros e ausência de pessoas queridas são alguns dos problemas que ganham uma dimensão ainda maior nessa época do ano, e podem intensificar os sentimentos de tristeza, desânimo e decepção.  Mas como diferenciar esses sentimentos de um quadro grave de depressão? A neuropsiquiatra Vanessa Müller explica o que acontece com as pessoas nessa época do ano e dá dicas de atitudes importantes para reverter essas sensações de mal-estar e melancolia.

Diretora médica da VTM Neurodiagnóstico, ela afirma que em qualquer época, sentimentos assim são comuns e considerados até mesmo saudáveis na elaboração de perdas e sofrimentos ocasionais. No entanto, quando prolongados e associados à apatia, indiferença, falta de perspectiva ou prazer, podem ser os primeiros sinais de uma depressão.

“Sintomas como falta de motivação, energia e prazer em realizar atividades diárias costumam anteceder a característica mais comum da depressão, a tristeza profunda. Infelizmente, menos da metade das pessoas deprimidas recebem os cuidados de que necessitam. O número é preocupante, mas pode ser revertido se preconceitos forem combatidos e informações sobre a doença mais divulgadas”, alerta a especialista.

E nunca tanta gente esteve com depressão como nos dias de hoje. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 10% da população sofre com a doença, o que significa mais ou menos 350 milhões de pessoas, de todas as idades, em todo o mundo. A perspectiva desse número, no entanto, tende ainda a aumentar: nos próximos 20 anos, a OMS estima que a depressão irá afetar mais pessoas no mundo do que qualquer outro problema de saúde, incluindo as doenças cardiovasculares e o câncer.

 Alívio nos sintomas da tristeza 

 Para pessoas que já possuem uma tendência ao processo depressivo, o clima reflexivo de final de ano pode ser ainda mais nocivo. Ao pensar no que perderam ou não conseguiram realizar durante esse período, deixam fluir com intensidade os pensamento negativos, abatendo-se pelo desânimo, apatia e tristeza.  Embora não seja fácil, é possível evitar entrar nesse quadro depressivo ou reverter os sentimentos de mal-estar com algumas atitudes importantes. Vanessa Müller lista algumas:

 

1 – Mude o foco: quando estamos tristes, a maioria de nós é incapaz de considerar que existe mais de uma alternativa possível. Mas, nos dias em que estamos felizes e otimistas, confiamos em nossa capacidade e a mente se abre para enxergar diferentes pontos de vista. Mude sua forma de interpretar e priorizar as informações.

 

2 – Divida suas tristezas e angústias: se está lidando com algo pesado, talvez seja o momento de conversar com alguém próximo. Isso não é fraqueza, só mostra que você é humano e está refletindo sobre um momento importante da sua vida.

 

3 – Esqueça a perfeição: todo mundo já teve a sensação de que as 24 horas do dia não são suficientes para cumprir todos os compromissos. E, muitas vezes, esse sentimento surge da dificuldade de estabelecer metas compatíveis à capacidade de execução. Faça listas e defina as suas prioridades! Não tente fazer tudo ao mesmo tempo ou sozinho.

 

4- Enumere suas conquistas: observe tudo que conseguiu até hoje, mesmo as pequenas coisas, e tente balancear os pontos positivos e negativos do ano que passou. Não se cobre tanto.

 

5 – Pratique atividades físicas: ao se exercitar, o organismo libera endorfina, serotonina e dopamina, neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer e bem estar. Como consequência, trazem melhoras importantes no humor, na motivação e na autoestima dos pacientes.

 

6 – Controle o consumo de álcool nas festas: na tentativa de aliviar a angústia, muita gente exagera na bebida. Mas, quando o efeito vai embora, o sentimento de tristeza volta ainda mais forte. Isso inicia um ciclo perigoso, que pode levar ao abuso e vício em substâncias.

 

7 – Seu amigo está em um processo depressivo? Busque toda a informação possível. Conhecendo claramente os sintomas, consequências e tratamentos da doença, você tem muito mais ferramentas para apoiar uma pessoa que está sofrendo.

 

Fonte: VTM Neurodiagnóstico, com Redação

 

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais