Voz x Covid: uso de máscaras e intubação podem causar problemas em cordas vocais

No Dia Mundial da Voz (16 de abril), especialistas alertam para impactos que a pandemia pode trazer às cordas vocais e como prevenir problemas

Voz megafone Cuidar da voz é fundamental para a saúde (Imagem de Dean Moriarty por Pixabay)

Desde bebês, nos comunicamos por meio de choros, caretas e gritos. Todos usamos a voz diariamente, desde que nascemos. Por sermos seres sociáveis, precisamos do contato com outras pessoas e, por isso, a voz é um instrumento primordial para o nosso convívio em sociedade. Apesar de ser muito importante, entretanto, muitas pessoas acabam por acreditar que, como é algo que nasce junto com a gente, a voz é algo desmerecido de atenção.

Muitos só a valorizam quando perdem, por conta de uma rouquidão ou algo mais grave. Mas é preciso cuidar dela ao longo de toda a vida. Por conta disso, o Dia Mundial da Voz (16 de abril) também é o momento de chamar a atenção para os cuidados com a voz, para as doenças que podem comprometê-la e a necessidade de diagnosticá-las precocemente. A data acende o alerta sobre cuidados necessários para manter a saúde das cordas vocais e chamar a atenção da população para a preservação da fala e sinais de possíveis doenças.

Em tempos de pandemia, especialistas afirmam que a voz também sofre com os efeitos da Covid-19, pois quem teve a doença pode ter a voz afetada. Por se tratar de uma doença que atinge as vias aéreas superiores, a rouquidão e o enfraquecimento da voz por conta da falta de ar podem ser consequências presentes até no quadro pós-doença. Quem teve que ser intubado por tempo prolongado para o tratamento também deve respeitar um período de repouso vocal após a retirada dos equipamentos. 

O uso de máscara é essencial para a proteção contra o novo coronavírus e ela em si não danifica a voz, mas algumas medidas devem ser observadas. Como a voz fica mais abafada (especialmente com os equipamentos mais espessos) e não há como realizar a leitura da articulação labial das palavras, as pessoas muitas vezes aumentam o volume da voz para se fazer entender. Para evitar essa sobrecarga, é importante aumentar a hidratação e, sempre que possível, respeitar o silêncio para descansar a voz.

Tosse, rouquidão e pigarro, os sintomas mais comuns

A voz é produzida nas pregas vocais, localizadas na laringe, durante a passagem de ar, que provoca uma vibração. De acordo com Fernão Costa, médico otorrinolaringologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, os problemas de voz mais comumente relatados são a tosse, a rouquidão e o pigarro.

“Como a prega vocal é uma mucosa úmida, pessoas que falam muito ou muito alto – seja por conta da profissão ou por hábito – podem ter um desgaste dessa estrutura, o que gera um escape de ar e, por consequência, a rouquidão”, explicao especialista. Junto da rouquidão normalmente vem a falta de ar por conta desse escape irregular que ocorre ao articular as palavras.

A cafeína, o leite e derivados, as bebidas gasosas, as bebidas alcólicas, os doces em excesso e, principalmente, o cigarro, são prejudiciais à saúde vocal. Existem outros fatores de risco para o surgimento de problemas na voz, como o refluxo gastroesofágico (que traz irritação à garganta e tosse) e as alergias respiratórias, entre as quais, a rinite.

No caso de rouquidão, o especialista recomenda repouso vocal, hidratação via oral e observação. “A primeira medida que deve ser adotada para melhorar a voz é intensificar a hidratação, não apenas pelo ato de beber água, mas pela umidade da laringe, que é maior quando o organismo está bem hidratado”, destaca Costa. 

O especialista afirma que o uso de soluções caseiras como pastilhas, sprays e gargarejos deve ser evitado para não mascarar ou agravar o quadro. Para garantir a saúde da voz é importante evitar o tabagismo e a ingestão de álcool, que também desidratam e agridem as cordas vocais – e exigem uma frequência maior de visitas ao médico.

Rouquidão pode estar ligada a câncer de laringe

Especialistas fazem um alerta especial para a rouquidão, já que é um sintoma que pode estar também relacionado com câncer de laringe. Entre os diversos profissionais que têm na voz o seu principal instrumento de trabalho, os professores fazem parte de uma das categorias mais suscetíveis às alterações vocais decorrentes do mau uso ou do abuso vocal.

Os sintomas de voz quando persistentes podem evoluir para lesões mais graves, caso não sejam tratados. Entre os sintomas vocais mais comuns estão a rouquidão, o cansaço vocal, o esforço para falar, a dor de garganta, dor no pescoço e nos ombros e sensação de garganta seca. Além de adquiridas, as lesões podem ser congênitas, ou seja, inatas ao indivíduo (aquela pessoa que sempre teve a voz rouca, por exemplo).

Diante de qualquer sintoma desagradável e persistente, o médico otorrinolaringologista deve ser procurado. “Se os sintomas persistem por 15 dias ou mais é necessária avaliação de um médico otorrinolaringologista para verificar as causas”, afirma Costa.

Prevenção inclui alimentação saudável e hidratação

Uma alimentação saudável, ingestão correta de água, sono em dia e atividade física regular são também importantes para o cuidado com a voz. Também é interessante ingerir maçã com frequência – pois essa fruta tem propriedades adstringentes e age limpando a boca e a faringe – e tentar não consumir café ou chá preto em excesso, porque eles contêm muita cafeína, que resseca o trato vocal.

Muito importante, ainda, é beber água em temperatura ambiente, em pequenos goles ao longo do dia, principalmente quem permanece, por muito tempo, exposto ao ar-condicionado. Para manter a voz com boa saúde, é aconselhável ainda evitar gritar ou falar por tempo prolongado.

No caso de profissionais que se utilizam dela no trabalho como jornalistas, atores, professores, cantores, vendedores, entre outros, é necessário um cuidado ainda maior como respeitar as pausas, aumentar a hidratação, realizar inalações com soro fisiológico e exercícios de aquecimento da voz antes de iniciar o trabalho.

Dia Mundial da Voz

Dia Mundial da Voz, comemorado em 16 de abril, surgiu em 1999 a partir das realizações da Semana Nacional da Voz no Brasil. A atividade foi criada por médico otorrinolaringologistas, inicialmente, com o intuito de prevenir o câncer de laringe, e acabou ganhando destaque internacional.no Brasil e se espalhou pelo mundo.

Com a instituição da Lei Nº 11.704, de 18 de junho de 2008, houve a instituição do dia 16 de abril como o Dia Mundial da Voz, quando a data passou a ser comemorada também nos Estados Unidos, Europa e Ásia. A data tem como objetivo chamar a atenção e conscientizar a população em geral sobre a prevenção de doenças e os cuidados com a voz.

Com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais