Vacinação contra a gripe deve atingir quase 80 milhões de brasileiros

Ministério da Saúde dá início nesta segunda (12) à vacinação contra a gripe, que vai até 9 de julho em 50 mil postos

vacina contra a gripe

Começa nesta segunda-feira (12/4) em mais de 50 mil postos espalhados pelo país a campanha de vacinação contra a gripe. O Ministério da Saúde irá distribuir 80 milhões de doses da vacina influenza trivalente, produzida pelo Instituto Butantan, para imunizar um público-alvo de 79,7 milhões de pessoas. O investimento na aquisição das doses foi de R$ 1,2 bilhão. A campanha vai até o dia 9 de julho.

No Estado do Rio de Janeiro, a vacinação contra a gripe começa na quarta-feira (14) para profissionais de saúde que atuam em unidades de saúde. Somente a partir de segunda-feira (19), as doses estarão nos postos de saúde para crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas e povos indígenas, entre outros.

A expectativa é que sejam imunizadas 6,8 milhões de pessoas, o que corresponde a 90% dos grupos prioritários. A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio da Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS), ainda não concluiu a entrega de  264.300 doses da vacina contra influenza. Também estão sendo distribuídas 158.250 doses da vacina Oxford/Astrazeneca contra Covid. 

As cidades do Rio, Niterói, São Gonçalo e Maricá retiraram as doses na última segunda-feira (12), em caminhões e vans, na Coordenação Geral de Armazenagem (CGA) da SES, em Niterói. As cidades da Baixada Fluminense, Região Serrana e Baixada Litorânea receberam nesta terça o imunizante por aeronaves do Governo do Estado e da Secretaria de Estado de Polícia Civil. Devido ao mau tempo, as cidades das regiões Norte, Noroeste, Centro-Sul, Médio Paraíba e Baía da Ilha Grande receberão os imunizantes nesta quarta-feira (14). 

Veja quais são os grupos prioritários

A ação de imunização contra a gripe é importante para a proteção dos grupos mais vulneráveis às complicações e óbitos decorrentes da doença. Portanto, deve ser mantida, apesar de todos os desafios frente à circulação da Covid-19. Deve ser reforçada a adoção de cuidados sanitários como uso de máscaras, respeito ao distanciamento social e higienização das mãos.

A imunização contra a gripe será feita em três etapas – os municípios terão autonomia para definir as datas de mobilização (Dia D), conforme a realidade de cada região. Os grupos prioritários são:

  • crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias);
  • gestantes e puérperas;
  • povos indígenas;
  • trabalhadores da saúde;
  • idosos com 60 anos ou mais;
  • professores do ensino básico e superior;
  • pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais;
  • pessoas com deficiência permanente;
  • forças de segurança e salvamento e Forças Armadas;
  • caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso;
  • trabalhadores portuários;
  • funcionários do sistema prisional
  • adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;
  • população privada de liberdade.

Leia mais

Infectologista esclarece 6 mitos e verdades sobre a gripe e sua vacinação

Clínicas e laboratórios particulares ‘furam’ SUS e já vacinam contra a gripe

Vacina da gripe x vacina da Covid-19: é necessário mesmo tomar as duas?

Basta apresentar documento de identificação

Não ter a caderneta de vacinação em mãos não é impeditivo para tomar as vacinas ofertadas em qualquer campanha de vacinação do Ministério da Saúde. A dica é procurar as unidades de saúde de referência para que os profissionais de saúde localizem o cadastro ou o histórico da pessoa no Sistema do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI).

A população que ainda não tiver sido pré-cadastrada no SIPNI ou em uma unidade de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) pode apresentar qualquer documento que comprove pertencer aos grupos de risco da campanha de vacinação contra a gripe, como exames, receitas, relatório médico, prescrições etc.

Como duas campanhas de vacinação serão feitas simultaneamente neste ano, a orientação é que a vacinação contra a covid-19 seja priorizada nos grupos prioritários. Com isso, a população- alvo da vacinação contra gripe deve receber antes a vacina covid-19 e fazer o agendamento da aplicação da vacina influenza, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias entre elas.

O médico sanitarista da SES Alexandre Chieppe explica que a pessoa que teve Covid-19 pode se vacinar contra influenza. “São duas doenças completamente diferentes. O único cuidado é para que os dois imunizantes não sejam aplicados de forma simultânea. Foi definido em âmbito nacional que a vacina prioritária, neste momento, é a contra Covid, mas é necessário aguardar 15 dias entre a aplicação de uma e outra”, afirmou ele.

Dúvidas sobre a vacinação contra gripe

– Posso tomar a vacina da gripe junto com a vacina contra Covid-19?
 Não. É preciso aguardar 15 dias entre uma dose e outra. Caso tenha tomado a CoronaVac, é preciso esperar 15 dias após a segunda dose para receber a vacina de influenza.  Para quem tomou a Oxford/Astrazeneca, a vacina da gripe pode ser aplicada 15 dias após a primeira dose.

– Se eu tiver que optar entre tomar uma das vacinas, qual eu tomo primeiro?
A orientação do Ministério da Saúde é que seja priorizada a vacina contra Covid-19.

– Se eu tomar a vacina contra a gripe estarei também imunizado contra Covid-19?
Não. A vacina da gripe protege apenas contra o vírus da influenza. Não há qualquer imunização cruzada. 

– Por que eu devo tomar a vacina da gripe neste momento?

Porque nos meses de julho, agosto e setembro, entramos no período de sazonalidade da gripe no Brasil, quando o número de casos aumenta, e a vacina ajuda a prevenir os casos graves e óbitos causados pela doença.

– Posso ter sintomas após a aplicação da vacina contra gripe?

Caso tenha qualquer alteração após a aplicação, é preciso procurar o posto de saúde onde ocorreu a imunização. A vacina contra gripe já é bem conhecida, aplicada todos os anos, e já se mostrou segura.

Estou com sintomas gripais. Posso me vacinar?
Pessoas com diagnóstico e/ou sinais sugestivos de gripe ou Covid-19 devem se vacinar após a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoas assintomáticas. 

– Eu já tive Covid-19 e estou recuperado. Posso me vacinar contra a gripe?
Sim, pode.

Mais informações sobre a vacinação podem ser consultadas aqui.


In the news
Leia Mais