Vanderlei Luxemburgo trata câncer de pele: entenda a doença

No Dezembro Laranja, mês de conscientização sobre a doença, sociedade médica alerta sobre cuidados que devem ser tomados o ano todo

Diagnosticado no final de novembro, o técnico do Vasco, Vanderlei Luxemburgo, está se tratando de um câncer de pele, o tipo mais comum da doença – um em cada quatro casos do tumor no Brasil, segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer). Ele passou por uma biópsia (procedimento que é realizado para investigar cirurgicamente uma lesão suspeita) na qual foram retiradas três pintas do nariz e o procedimento apontou uma delas como maligna.

Por isso, no #dezembrolaranja, a Sociedade Brasileira de Dermatologia chama atenção para a necessidade de reforçar a proteção em quem fica muito tempo ao ar livre, expostos ao sol. Jogadores e técnicos de futebol, agricultores, trabalhadores da construção civil, mineradores, carteiros, ambulantes de praia, pescadores, marinheiros etc têm mais chances de desenvolver o câncer de pele. “Que o Dezembro Laranja continue forte. Eu tive um câncer de pele e falar da doença é fundamental!”, diz Luxemburgo.

Segundo as estimativas do Inca, espera-se mais 180 mil casos novos da doença a cada ano. Quase 90% dos casos são de carcinomas, que são divididos em carcinoma basocelular (CBC) e os carcinomas espinocelulares (CEC). Esses tumores têm letalidade baixa, mas provocam cerca de 1.900 óbitos a cada ano no nosso país. Muito menos comum, o câncer melanoma é o tipo mais agressivo de tumor da pele e, por este motivo, determina mais de 1.700 óbitos a cada ano.

Segundo a SBD, o diagnóstico precoce de um câncer de pele é imprescindível para aumentar as chances de cura do paciente. O médico tem diversas formas para fazer uma investigação precisa.

O tratamento mais eficaz, independentemente do tipo, é a cirurgia com remoção do tumor e avaliação completa das margens por exame anatomopatológico, para garantir que o tumor foi totalmente extraído. Cada subtipo de câncer de pele pode exigir diferentes métodos cirúrgicos, variando de acordo com o tamanho e a localização do tumor.  Mesmo nos casos de baixa letalidade, podem ocorrer lesões mutilantes ou desfigurantes que causam sofrimento aos pacientes.

Exposição solar é maior fator de risco

Todos os tipos de câncer de pele estão relacionados à radiação ultravioleta do sol. Tanto a exposição solar crônica diária, ou seja, pequena quantidade de sol nas áreas expostas ao longo da vida, quanto episódios de exposição solar intensa e desprotegida, que levam a queimaduras, são fatores de risco para o câncer de pele.

As pessoas de cabelos loiros ou ruivos, olhos claros, ou de pele clara, que facilmente ficam vermelhas quando expostas ao sol, têm o risco ainda maior. O fator genético também é muito importante, ou seja, as pessoas com familiares que tiveram câncer de pele, principalmente o melanoma, devem ficar ainda mais atentas. Outros fatores incluem indivíduos com muitas pintas, cicatrizes, feridas crônicas ou imunossuprimidos.

O Brasil é um dos países com maiores índices de radiação solar e o brasileiro ama sol, praia e piscina. Por isso, com a chegada do verão e das altas temperaturas, todos nós devemos redobrar os cuidados com a pele. Chapéus, blusas e óculos com proteção UV, barracas e protetores solares são algumas medidas fotoprotetoras básicas que precisam estar sempre com você durante o ano, principalmente, no verão.

O protetor solar deve ter sempre um fator de proteção (FPS) 30 ou maior. Todos esses cuidados são barreiras de defesa que ajudam a bloquear a radiação ultravioleta dos raios solares e prevenir o câncer de pele.

Força do futebol para sensibilizar sobre doença

Usar a força motriz do futebol para mobilizar a sociedade. Promovendo debates e simpósios para fomentar o debate sobre o câncer no país, o projeto Driblando o Câncer promete realizar o maior jogo de futebol da história de São Paulo, unindo a filantropia ao futebol.

O Parque São Jorge, conhecido como Fazendinha, recebe no domingo, dia 15 de dezembro, a partir das 14h, o jogo de futebol solidário e de celebridades, que objetiva mobilizar a sociedade civil organizada por uma grande causa, a luta contra o câncer

A campanha pretende mudar os graves números do câncer no país, que hoje atinge, por ano, 600 mil brasileiros segundo o Inca, e mata mais de 200 mil.

Se nada for feito, o câncer será a primeira causa de morte até 2030, superando as doenças cardiovasculares”, alerta Gilberto de Castro, oncologista e professor da Faculdade de Medicina da USP.

Segundo Maria de Lurdes Silva do Nascimento, presidente da GAMA – Grupo de Amparo Momento de Amar (uma das 20 ONGs conectadas ao projeto), “Driblando o câncer foca sua luta em quatro pilares: prevenção, diagnóstico precoce, acesso ao SUS e priorização do câncer nas políticas públicas.

Clarisia Ramos, da UNACCAM – União de Apoio e Combate ao Câncer de Mama, informa que o grande problema hoje no país é a falta de acesso ao SUS. ”Pacientes ficam 11 meses para conseguir uma biópsia e Leis que pretendem determinar prazos de atendimento não são obedecidas”, revela.

O realizador do evento, Gil Santos, da Craques Master, acredita que usar a paixão do brasileiro pelo futebol consiste em uma estratégia muito eficiente para sensibilizar a sociedade. Somam-se aos jogos, apresentação de shows, desfile de bateria de escola de samba, desfile das ONGs e a participação de diversos institutos e organizações sociais, como o Instituto Patricia Medrado, com a presença da própria tenista e de 45 crianças do Instituto. Também comparecem várias representações de outras modalidades de esportes do Corinthians como o time do futebol americano.

O tatuador e grafiteiro Markone, um grande corinthiano, escolheu apoiar o evento com sua paixão: o grafite. O artista, muito conhecido pela sua arte na estação de metrô Corinthians/Itaquera, entrará em campo para desenhar ao vivo, em 10 metros de uma tela, um grafite em homenagem ao Driblando o Câncer. A conceituada oncologista Nise Yamaguchi dará o primeiro chute contra o câncer na partida.

Consultas gratuitas em 130 postos do país

No dia 7 de dezembro, sábado (de 9 às 15h), cerca de 4 mil dermatologistas e voluntários prestarão atendimento para identificação e direcionamento para tratamento do câncer de pele, além de esclarecerem sobre a importância de adotar medidas preventivas. As consultas serão realizadas, gratuitamente, em cerca de 130 postos de atendimento em todo o Brasil.

Com mais de 25 mil seguidores nas redes sociais, o dermatologista Gustavo Saczk também utiliza o espaço para tirar dúvidas sobre tratamentos e dar dicas para pacientes. Ele criou o “Minuto de pele” – pílulas em vídeo de 1 minuto – onde ele fala sobre diversos assuntos da dermatologia, seja estética, cirúrgica ou clínica.  Ele também participa do quadro “Minuto de Pele”, uma vez por semana, na Rádio Clube FM, em Curitiba.

A SBD lembra que a melhor forma de evitar a doença é a prevenção! Fique atento aos #sinaisdocancerdepele e participe do #dezembrolaranja. Encontre um dermatologista associado à SBD em: http://www.sbd.org.br/. Para conferir os endereços da ação da SBD, acesse aqui.

Com Assessorias

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais