Vida sexual depois do câncer

Em parceria com a Fundação do Câncer, psicóloga lança canal do Youtube para pacientes que passaram por tratamentos para a doença

Redação

Em parceria com a Fundação do Câncer, a psicóloga e sexpert Tatiana Presser apresenta os episódios disponibilizados
no canal do Youtube (Foto: Divulgação)
É provável que a saúde sexual não esteja entre as prioridades de uma pessoa que passa ou acaba de passar por um tratamento de câncer. No entanto, uma vida sexual de qualidade pode trazer inúmeros benefícios à saúde, tais como a liberação de endorfina, a redução da atrofia do canal vaginal para mulheres que sofrem os efeitos colaterais da quimioterapia e até prevenção do câncer de próstata.
“Sob o aspecto psicológico, uma vida sexual ativa e prazerosa auxilia na conexão emocional consigo e com o parceiro”, afirma a psicóloga e sexpert Tatiana Presser. Em parceria com a Fundação do Câncer, ela acaba de lançar o projeto Sexo Vital, para oferecer conteúdo informativo de qualidade para pacientes oncológicos ou em remissão, para ajudar a reestabelecer uma vida sexual saudável e prazerosa, apesar da doença.
Os episódios, que não são só para pacientes em tratamento de câncer, serão vídeos com duração aproximada de dois a cinco minutos, disponibilizados no canal do YouTube e nas redes sociais da Fundação do Câncer às segundas-feiras, a cada duas semanas.
Os temas englobam desde questões sobre a anatomia feminina e masculina até práticas simples, como massagens para relaxar e aumentar a intimidade, que servem tanto para casais como para solteiros, independentemente do gênero. Veja abaixo o primeiro episódio, sobre hormônios.
https://www.youtube.com/watch?v=kg_qn_Cx41w

Conhecimentos para todos

A psicóloga e sexpert define o projeto como revolucionário. “É com todo prazer do mundo que atuo nesse projeto, que é inovador para o Brasil. Precisamos romper o tabu a respeito da sexualidade, deixando bem claro que não é pornografia. Tenho 24 anos de carreira e experiência com psicologia hospitalar. Se cada paciente chegasse mais bem resolvido com sua sexualidade antes do diagnóstico e do tratamento do câncer, os resultados obtidos pelo trabalho terapêutico seriam alcançados mais rapidamente”.
O diretor executivo da Fundação do Câncer, Luiz Augusto Maltoni Jr., acredita que a instituição está prestando um serviço público. “O câncer é um marco na relação de qualquer pessoa com a sua própria sexualidade e o principal diferencial do projeto é ter conteúdo direcionado para esses pacientes, mas tenho certeza de que quem não está enfrentando a doença também irá aprender com os capítulos do Sexo Vital”, afirma Maltoni.
Entre os temas abordados, poderão ser vistos “ditadura do orgasmo”, “hormônios”, “masturbação masculina e feminina”, “lubrificação” “sexualidade e retorno da libido após o tratamento”, “controle da ansiedade na retomada da vida sexual” e “pontos sensíveis de prazer”. O vídeo de lançamento e o primeiro capítulo de “Sexo Vital” podem ser conferidos em: https://www.youtube.com/user/Showcomvocepelavida

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.