Meditação é religião? Conheça 6 mitos e verdades sobre o mindfulness

Especialista em programas de meditação para empresas, inclusive à distância, desvenda alguns mitos sobre a prática milenar

A meditação tem sido uma prática muito difundida para obter o equilíbrio emocional e ajudar a manter a saúde mental, especialmente em tempos de pandeia. Mas muitas pessoas acham que meditar é esvaziar a mente e ficar sem pensar em nada. Isso não é verdade. A prática da meditação é muito mais simples e acessível do que se supõe.

É o que garante Alexandre Ayres, fundador da MindSelf, especializada em programas de meditação e mindfulness para empresas. Segundo ele, muitos funcionários das corporações onde eles aplicam cursos, palestras e workshops possuem interesse, mas não iniciam a prática por ficarem limitados a certos tabus, que na sua maioria são.

Programas de meditação a distância para empresas vêm sendo muito procurados nesse período de isolamento social, além de programas de meditação guiada, palestras e workshops para ajudar os funcionários a combater a ansiedade, administrar melhor o tempo e obter qualidade do sono em meio há tantas preocupações. Ayres revela seis mitos sobre a prática:

1 – Esvaziar a mente
O problema é que esse mito afasta muitas pessoas das práticas. Nosso cérebro foi concebido para pensar e os pensamentos vão surgir naturalmente. Não tente controlar seus pensamentos e não fique se cobrando ou se julgando se isso ocorrer durante a sua meditação. Sempre que isso acontecer, simplesmente reconheça que você se distraiu sem críticas ou julgamentos e volte sua atenção para sua prática. Com o tempo você se distrairá menos e isso ajuda a desenvolver sua capacidade de foco e concentração.

2 – Posição de Lótus para meditar…
Muitos acham que para meditar é necessário e obrigatório se manter em posição de lótus. Essa posição pode sim ser utilizada pois ela te dá estabilidade, facilita o fluxo da respiração e minimiza a chance de você dormir durante a prática, dentre diversos outros fatores. Mas essa não é a única posição para se meditar, até porque muitas pessoas nem conseguem ficar nessa posição.
Conforme fazemos em nossas práticas guiadas e ensinamos em nossos cursos/workshops nas empresas, para meditar você não precisa tirar os sapatos e basta que se busque uma posição confortável, na cadeira mesmo, mas que te mantenha desperto e com a coluna ereta, alinhada com o pescoço. Desta forma você não deverá ter muito desconforto e vai poder se concentrar no que realmente importa durante sua prática, principalmente para os iniciantes.

3 – Meditação é algo religioso
A meditação tem origem há milhares de anos e não conseguimos precisar exatamente quando e onde ela surgiu. Mas muitas pessoas a associam com religião ou religiosidade. Meditação não é religião. Sem entrar no mérito das crenças de cada um, a forma como levamos o tema para nossos programas corporativos é completamente isento de religiosidade ou esoterismo. Utilizamos as técnicas da meditação e nos focamos muito nos benefícios que a neurociência tem demonstrado. Qualquer um pode praticar.

4 – Tempo para meditar
Existe um ditado que diz que se você não tem tempo para meditar, você é quem mais precisa da meditação. Diversas pesquisas científicas têm apontado que entre 10 a 20 minutos de meditação diariamente, a partir de aproximadamente 8 semanas, já são suficientes para se obter mudanças na estrutura física do cérebro que podem te proporcionar diversos benefícios. Mas os benefícios também podem ser quase imediatos, logo após uma prática. A meditação pode nos proporcionar uma recarga de energia para o nosso dia e uma forma de nos fazer relaxar, por exemplo. E se você é um iniciante da prática, comece bem devagar, com 2-3 minutos e vá aumentando aos poucos, à medida em que você se sinta confortável com o tempo.

5 – Meditação e Energia
Nas empresas as pessoas às vezes questionam se meditar no meio do trabalho não as deixaria meio prostradas, mais sonolentas e sem energia. Pelo contrário. A meditação normalmente te proporciona uma espécie de “recarga das baterias”, te proporcionando mais energia e mais disposição.

6 – Lugar certo para praticar
Você olha imagens de pessoas meditando em lugares cinematográficos e aí não sabe o que está mais distante da sua realidade; se é conseguir ir com frequência para lugares assim ou realmente ter o hábito meditar. Pois é! Para meditar não há lugar certo e você não precisa de silêncio absoluto! Você pode fazê-lo em qualquer canto confortável na sua casa, no seu trabalho, ou até no metrô… onde você quiser e puder.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais