70% são a favor de campanha com pai transgênero

Campanha do Dia dos Pais com Thammy Miranda abre polêmica nacional sobre paternidade trans

Redação

Recentemente o ator transgênero Thammy Miranda foi contratado para promover ações em suas redes sociais sobre a campanha de Dia dos Pais da Natura. Antes, porém, foi erroneamente noticiado que a empresa de cosméticos estaria fazendo um comercial com ele, que acaba de ser pai. Foi o suficiente para incitar ataques a Miranda e instalar a polêmica sobre se um transexual deveria ou não estrelar uma campanha celebrando a data.

Pesquisa da Perception e a Engaje! mostrou que 71% dos entrevistados disseram ser a favor ante apenas 29% contra a contratação de Thammy para a campanha. A pesquisa foi realizada em 30 de agosto com 1.011 brasileiros de ambos os gêneros, com faixa etária de 18 a mais de 55 anos, das classes ABCDE e todos os níveis de escolaridade, em diferentes regiões do país. A margem de erro é de 3,1% a 95% de confiança.

Com a hashtag #MeuPaiPresente, a campanha da Natura para o Dia dos Pais deste ano tinha como objetivo “ampliar as representações do homem contemporâneo”. Além de um comercial de TV, a ação contava com uma estratégia de influenciadores. Nomes como Henrique Fogaça, Rafael Zulu, Babu Santana e Thammy Miranda publicariam vídeos em suas redes sociais contando um pouco da experiência de ser pais. Mas em relação filho trans de Gretchen, a repercussão foi maior e rendeu inúmeros posts negativos, e positivos pelas redes socais.

‘Campanha valoriza pais presentes. Thammy é um deles, diz executiva da Natura

Segundo a Natura, a intenção não era criar polêmica, mas mostrar uma “masculinidade de forma mais aberta e leve, livre de estereótipos”. Foram escolhidos homens que estão vivendo a paternidade de maneira presente, com todas as suas nuances. E Thammy é um deles. Não foi uma escolha deliberada para chocar ou questionar, mas sim dentro do que a gente considera a paternidade possível”, declarou Andrea Alvares, vice-presidente de marca e inovação da empresa.

‘Ataques falam muito mais do outro do que sobre mim’, disse Thammy em sua rede social. Segundo ele, a intenção era “representar um dos nichos da sociedade”. “Nossa intenção não é lacrar. Não sou nem melhor nem pior que qualquer outro pai”, escreveu.

Reações reacionárias insufladas por filho do presidente

Depois do vídeo de Thammy Miranda ter sido publicado no Facebook, a ala conservadora das redes sociais iniciou um pedido de boicote à marca. Motivada por publicações do deputado federal Eduardo Bolsonaro e do pastor Silas Malafaia, a hashtag #BoicoteNatura subiu ao 1º lugar no Twitter durante a semana. O pastor, inclusive, fez mais de 20 publicações sobre o assunto em menos de 24 horas.

Em resposta, o youtuber Felipe Neto se colocou ao lado da empresa. Com mais de 39 milhões de assinantes em seu canal no YouTube, afirmou que se “tornaria garoto-propaganda da Natura, de graça, caso a marca queira”. A empresa diz que “vai analisar a possibilidade”.

Os ataques orquestrados pela ala mais conservadora do país reverberaram pouco sob o ponto de vista financeiro e econômico para a marca, que ganhou ainda mais popularidade e lucrou com a polêmica. Na Bolsa de Valores, as ações da companhia chegaram a subir 10,09% em dois dias seguidos na semana passada.

‘A Natura acertou’, diz especialista em Marketing

A campanha da Natura deste ano, para o Dia dos Pais, acendeu o debate em torno de especialistas em Marketing. Eduardo Simon, CEO da DPZ&T, agência responsável pela campanha, disse ao UOL que a ação ilustra o cenário atual, gera essa ligação real com pais que estão dentro de casa e ainda mais presentes nas vidas de seus filhos. “A campanha foi guiada pela empatia”, disse.

De acordo com o especialista em marketing e professor da ESPM, Gabriel Rossi, o preconceito já não pode ser mais visto somente como uma manifestação pessoal. Deve ser observado também no mundo corporativo. “Marcas que desviam seu olhar do crescente número de casais lgbt+ podem – e vão – perder espaço para seus concorrentes que não fogem da diversidade”, avalia.

O Brasil possui mais de vinte milhões de pessoas que se encaixam nesse grupo, sendo 78% com cartão de crédito e com renda salarial média de aproximadamente R$ 3.200. Qual mercado não gostaria de aproveitar tal potencial de consumo?”, questiona.

Rossi afirma que pela perspectiva do marketing, é possível afirmar que a marca vai sair fortalecida, porque a campanha reforça elementos e significados sobre a Natura, como harmonia e diversidade, que já estavam presentes na mente do consumidor. “Marcas de vanguarda se aproximam do zeitgeist (espírito do tempo) de forma autêntica. A Natura acertou”, finaliza o professor.

Live sobre a nova paternidade – A recente polêmica da campanha do Dia dos Pais da Natura com a ator transgênero Thammy Miranda e a comemoração do aniversário dos filhos gêmeos do ator e comediante Paulo Gustavo com o dermatologista Thales Bretas, tem circulado nas redes sociais nos últimos dias gerando as mais diferentes reações do público.

De carona na polêmica, várias marcas e influenciadores digitais embarcaram na e estão promovendo debates. A joalheira Lydia Sayeg, que se diz “completamente a favor da diversidade”, convida para um “bate papo sincero sobre a nova paternidade” nesta quinta-feira, 6 de agosto, às 19h. O convidado é o especialista em etiqueta e comportamento Fabio Arruda, que tem uma visão conservadora do tema. A live será no Instagram da joalheira @lydiasayeg.

Com Assessorias

In the news
Leia Mais