Adeus, ano velho… o que esperar de 2022?

Psicólogas dão dicas de como traçar metas para o ano novo, mesmo diante de incertezas, e o mais importante: conseguir cumpri-las

Todo fim de ano é a mesma coisa. Avaliar o que foi feito no ano que passou e fazer planos para o ano que se aproxima é prática comum em toda parte do mundo. Com as clássicas resoluções e metas para o próximo ciclo, esta é a época em que muitos pensam no que fazer de diferente nos próximos 365 dias, como voltar a praticar esportes, estudar um novo idioma, descobrir novos artistas e culturas ou, quem sabe, começar aquela dieta!

Seja qual for o objetivo estabelecido, colocar esses desejos no papel, muitas vezes, ajudam a motivar e inspirar o indivíduo. “Diante de um 2021 tão atípico e as incertezas que a pandemia de Covid-19 tem trazido para 2022, é natural que o entusiasmo para “pensar no futuro” não esteja tão latente quanto nos anos anteriores”, diz a psicóloga Milene Rosenthal, cofundadora da Telavita , clínica de saúde mental online.

Mas como fazer planos para um ano novo ainda de incertezas? Para a professora do curso de Psicologia Janete Knapik, muita gente pode estar desmotivada por ter planejado muita coisa para 2021 e não ter conseguido colocar em prática. “Porém, só o fato de pensar sobre o que queremos ou o que está faltando já é um ganho, nos traz esperanças de um ano melhor”, acredita.

Segundo a psicóloga, para não se frustrar novamente, é preciso colocar as resoluções em prática, fazer acontecer. Separar o realizável do desejável. “Como 2022 ainda estará sob o impacto da pandemia, é importante pensar em metas realistas e também definir metas voltadas ao autocuidado e à saúde mental, que foi muito afetada neste ano de 2021”, indica.

7 pontos para levar em conta na hora de elaborar as resoluções

A professora de Psicologia da Universidade Positivo listou sete pontos para levar em consideração na hora de fazer as resoluções de ano novo.

  1. Priorize o que é mais importante: definir uma quantidade grande de metas pulveriza muito os esforços e dificulta um planejamento. Estabelecer um número menor, mas com metas mais significativas, as mais importantes, ajuda na hora de colocar em prática e de ver os resultados acontecerem. “2021 é ainda um ano que temos que nos moldar com as exigências sanitárias da pandemia e com a limitações impostas pelas restrições econômicas, considere isso na hora de estabelecer as metas”, lembra Janete.
  2. Estabeleça uma forma de acompanhar e mensurar as metas: o fato de ver o progresso e que o planejamento está tendo bons resultados tem efeito psicológico reforçador, ou seja, é um estímulo para não perder o entusiasmo. Por exemplo, ver um gráfico com uma curva descendente em uma meta de emagrecimento mobiliza a querer ver a curva descer cada vez mais. Existem aplicativos que fazem esse monitoramento.
  3. Defina metas factíveis:  2021 é ainda um ano de incertezas. Por isso, é importante priorizar metas mais práticas, com prazos menores. “Escolha o que faz mais sentido, que tem mais impacto e relevância com teus propósitos. O que é difícil, às vezes dá vontade de “chutar o balde” e de desistir”, aconselha.
  4. Deixe um espaço para metas de autocuidado: várias pesquisas identificaram aumento da ansiedade, do estresse e da depressão em 2020; outras mostraram que quem passou muito mais tempo em casa acabou exagerando na comida e na bebida. Sendo assim, metas que envolvam atividades físicas, uma alimentação equilibrada, uma disciplina que contemple o descanso, o lazer e boas risadas são sempre muito bem-vindas.
  5. Descreva as metas com detalhamentos: o detalhamento ajuda a colocar em prática. Estabeleça qual o objetivo e quais as etapas necessárias para se atingir. “Coloque no papel, acompanhe e faça as mudanças e adaptações que se fizeram necessárias. Na vida nada é estático, mudanças e adaptação são frutos de aprendizados”, pondera.
  6. Estabeleça prazos: não existe meta sem prazo. “Uma data nos coloca em movimento para atender esse prazo”, reforça Janete. Também é importante considerar a rotina na hora da definição dos prazos.
  7. Comemore as conquistas: rituais de comemoração nos trazem uma sensação de vitória. Por isso, é importante se presentear nas pequenas conquistas.

5 conselhos para mais bem estar mental e emocional

Milene também separou alguns conselhos para não perdermos as esperanças e termos um novo ano com mais qualidade de vida e bem-estar mental e emocional. Confira!

  • Antes de tudo, mude a perspectiva: é fato que viver durante quase um ano inteiro em distanciamento social entristece e desestimula qualquer um, mas nem por isso tudo que estamos vivenciando durante este período é necessariamente algo negativo. Por isso, aproveite o momento para refletir sobre tudo que aprendeu neste ano, coisas que julgou que nunca faria e hoje faz, o que tem feito você orgulhar-se de si mesmo e o que ainda pode fazer diferente. Use tudo isso como inspiração para aprender a enxergar novas possibilidades nas adversidades;

Carpe Diem: sem dúvidas, pensar e se estruturar para o futuro é de suma importância para se preparar para possíveis adversidades e, de quebra, ter algo para se empolgar e fazer planos. Contudo, é necessário ter em mente que a nossa vida é aqui e agora! Uma das lições que a pandemia nos trouxe é que não podemos ser tão imediatistas e nem viver com a “cabeça” no amanhã, pois em uma fração de segundos, tudo pode mudar. Por isso, seja mais gentil consigo mesmo e aprenda a viver o momento com todas as suas sutilezas;

Solitude não é solidão: não é porque o momento e a virada do ano pedem o distanciamento físico que devemos nos isolar e não aproveitar o novo ciclo com aqueles que amamos. Para isso, a tecnologia tem sido uma grande aliada quando o assunto é acolhimento então, aproveite as ferramentas de chamadas de vídeo, por exemplo, para conversar e brindar com aqueles que ama;

Curta-se mais! Mesmo que a gente esteja passando mais tempo em casa do que estávamos acostumados e o tédio pareça não ter fim, use esse tempo para refletir: será que eu realmente curto a minha própria companhia? Com a correria do dia a dia, seja em casa ou na rua, dificilmente temos tempo para esse momento de reflexão. Por isso, sempre que possível, reserve um tempo para você mesmo e aproveite para aprender aquela receita que sempre quis, assistir a filmes e séries, desenhe, escreva, dance, componha… aqui, vale fazer tudo o que gosta para apreciar a própria companhia;

Cuide da sua saúde emocional e mental: mesmo em tempos de isolamento social, a psicoterapia continua sendo uma das principais maneiras de cuidar da saúde mental. Atualmente, existem diversas maneiras de iniciar e dar continuidade aos tratamentos psicológicos sem a necessidade da presença física, auxiliando os pacientes a terem um entendimento maior sobre as questões que os afligem.

Uma boa maneira de ter um tratamento psicoterápico, de forma rápida, simples e segura, é buscar plataformas certificadas, que conectam pacientes a especialistas. Com uma boa dose de esperança e vontade, é possível treinar nosso olhar a enxergar outras possibilidades e perspectivas nas mais variadas situações, locais e companhias. Por isso, invista no autoconhecimento e dê adeus não só ao ano velho, mas também às velhas formas de (sobre)viver!

Com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais