Anvisa reconhece direitos de LGBTIs em doar sangue

Guia da Anvisa traz detalhes sobre doação por este público, garantida pelo STF. Banco de sangue no Rio alerta para baixa de estoques

Redação
Doadores no centro de coleta da Fundação Pró-Sangue Hemocentro São Paulo (Foto: Divulgação)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou um guia com novos critérios para a triagem clínica e epidemiológica de candidatos a doação de sangue. A norma elimina, por exemplo, a restrição de doação de sangue por homens que tiveram relações sexuais com outros homens e/ou com parceiras sexuais destes nos últimos 12 meses antes do procedimento. 

Em vigor desde o dia 7 de agosto, o material atualiza as orientações aos serviços de hemoterapia. A Anvisa também coordena a elaboração de um informativo destinado à sociedade sobre a doação e a transfusão de sangue mais seguras, com participação de especialistas e de representantes da comunidade LGBTI+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, intersexo e outras orientações sexuais e grupos).

O fim da restrição de doação de sangue por homens que tiveram relações sexuais com outros homens e/ou com suas parceiras sexuais atende a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou a medida inconstitucional. No Estado do Rio de Janeiro, uma campanha de doações foi realizada para comemorar a vitória da comunidade LGBTI.

Além de formalizar novas recomendações para o setor, o guia será um instrumento para coleta de contribuições da sociedade sobre a proposta de inclusão dos novos critérios. Para isso, foi disponibilizado um formulário para o envio de sugestões”, informou a Anvisa. O prazo da consulta será de 180 dias, contados a partir desta segunda-feira (10), ou seja, até 5 de fevereiro de 2021.

Recomendações

Além da inclusão de novos critérios a serem aplicados, o guia traz sugestões de requisitos que possam ser avaliados na história da pessoa candidata à doação, independentemente dos grupos populacionais que represente, buscando a triagem de indivíduos de baixo risco na população geral para a doação de sangue.

Propostos na forma de recomendações, os critérios, segundo a agência, foram pactuados com especialistas da Rede Nacional de Serviços de Hematologia e Hemoterapia e já vêm sendo aplicados desde a formalização da decisão do STF, em junho deste ano.  

O objetivo é esclarecer e reforçar informações importantes para a pessoa que queira doar sangue, informou a agência. Acesse a íntegra do guia aqui. Para enviar sugestões ao conteúdo da publicação, basta acessar o formulário de contribuições.

Alerta: banco de sangue no Rio tem queda de 14% nas doações

Neste início do mês, o Banco de Sangue Serum registra uma queda no número de doações de sangue. Com baixa de 14% nos estoques sanguíneos, a unidade pede aos doadores saudáveis, para que doem sangue e salvem vidas. É uma situação que requer atenção, pois, com o quadro de pandemia do novo coronavírus que se instalou no Brasil – que normalmente refletiu em queda no número de doadores de sangue – agora, com as doenças respiratórias, típicas da estação, muitos doadores podem ficar inaptos para doarem.

Muitos sintomas de gripes e infeções respiratórias podem ser confundidos com a Covid-19 e, portanto, os doadores que apresentarem esses sinais devem ficar impossibilitados de doar por 30 dias. Agora, mais do que nunca, precisamos mobilizar novos doadores, para que nossos estoques se mantenham em um índice saudável”, diz Rodrigo Moreira, líder de captação do Banco de Sangue Serum.

De acordo com o líder de captação, são necessárias 100 doações por dia, para que os estoques sanguíneos estejam em um nível seguro, ou seja, para atender a todos os pacientes dos hospitais conveniados que necessitam de transfusões e outros procedimentos.

Requisitos básicos para doação de sangue

• Apresentar um documento oficial com foto (RG, CNH, etc.) em bom estado de conservação;

• Ter idade entre 16 e 69 anos desde que a primeira doação seja realizada até os 60 anos (menores de idade precisam de autorização e presença dos pais no momento da doação);

• Estar em boas condições de saúde;

• Pesar no mínimo 50 kg;

• Não ter feito uso de bebida alcoólica nas últimas 12 horas;

• Após o almoço ou ingestão de alimentos gordurosos, aguardar 3 horas. Não é necessário estar em jejum;

• Se fez tatuagem e/ou piercing, aguardar 12 meses. Exceto para região genital e língua (12 meses após a retirada);

• Se passou por endoscopia ou procedimento endoscópico, aguardar 6 meses;

• Não ter tido gripe ou resfriado nos últimos 30 dias;

• Não ter tido Sífilis, Doença de Chagas ou AIDS;

• Não ter diabetes em uso de insulina;

❗ Consulte a equipe do banco de sangue em casos de hipertensão, uso de medicamentos e cirurgias.

Critérios específicos para o coronavírus

• Candidatos que apresentaram sintomas de gripe e/ou resfriado devem aguardar 30 dias após cessarem os sintomas para realizar doação de sangue;

• Candidatos que viajaram para o exterior devem aguardar 14 dias após a data de retorno para realizar doação de sangue;

• Candidatos à doação de sangue que tiveram contato, nos últimos 30 dias, com pessoas que apresentaram diagnóstico clínico e/ou laboratorial de infecções pelos vírus SARS, MERS e/ou 2019-nCoV, bem como aqueles que tiveram contato com casos suspeitos em avaliação, deverão ser considerados inaptos pelo período de 14 dias após o último contato com essas pessoas;

• Candidatos à doação de sangue que foram infectados pelos SARS, ERS e/ou 2019-nCoV, após diagnóstico clínico e/ou laboratorial, deverão ser considerados inaptos por um período de 30 dias após a completa recuperação (assintomáticos e sem sequelas que contraindique a doação).

Serviço:
Banco de Sangue Serum

Endereço: Rua Riachuelo, 43, Centro – Rio de Janeiro
Dentro do Hospital da Ordem do Carmo, 3º andar
Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e aos sábados, das 8h às 16h.
Telefone: (21) 3233-5950 | WhatsApp: (21) 97231-4651
Estacionamento conveniado durante a doação – Landeiras Park, Avenida Gomes Freire, 769 – Lapa

Com Assessorias e Agência Brasil

In the news
Leia Mais