BBB 20 ajuda a quebrar o tabu em torno da hipnose

Redação

Quando falamos em hipnose, infelizmente é muito comum que se remeta à ideia de espetáculos e shows de exibicionismo, onde a dignidade muitas vezes passa longe. Muitas pessoas ainda desconhecem a verdadeira importância da hipnose no tratamento de questões psíquicas e emocionais do indivíduo

Muitos tabus acerca da hipnose ainda precisam ser desmistificados, principalmente, quando falamos de uma terapia capaz de ajudar ou auxiliar no tratamento de centenas de doenças. Ainda confundida com a hipnose de palco, aquela que foi usada por anos nos programas de televisão por mágicos e ilusionistas, a hipnose ganhou destaque na última edição do Big Brother Brasil, com o hipnólogo Pyong Lee. Justina – personagem da atriz Julia Stockler – na novela Éramos Seis, também passou pelo tratamento com hipnose para tratar de traumas de infâncias e distúrbios mentais.

Nós, especialistas, promovemos um trabalho muito extenso de prática clínica, pesquisas e cura através da hipnose clinica. Médicos, psicólogos, dentistas,  fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e enfermeiros, tem liberação dos conselhos de suas áreas para atuar com essa técnica milenar”, esclarece a psicóloga e hipnóloga Miriam Pontes de Farias.

A hipnose é uma técnica milenar, surgida no antigo Egito, que aparece hoje como “novidade” para uma grande parcela dos indivíduos. E, embora, não atenda a todos os quadros clínicos, tem ampla aplicabilidade e eficácia, nos casos que se propõe a tratar. Também foi regulamentada pelos Conselhos Federais de Medicina, Odontologia, Psicologia e Fisioterapia, como prática integrativa de saúde.
É importante que a pessoa que procura o tratamento com hipnose, supere os mitos que estão acerca da prática da hipnose, para isso, ela precisa repensar os seus conceitos e crenças“, afirma a psicóloga, que também é professora, pós-graduada em hipnose clínica e acupuntura, palestrante e conferencista internacional.
Segundo ela, muitas vezes, as pessoas não procuram o tratamento com hipnose por causa dos medos que têm em relação a essa prática.  A desinformação pode acabar afastando as pessoas de buscar essa verdadeira terapia do bem-estar, afirma Miriam. Há muitos mitos envolvendo a hipnose, segundo Miriam:
Há casos em que pacientes acreditam que, durante o transe, irão entrar em um estado de sono profundo, e quando acordarem o seu sofrimento terá desaparecido. Ou que a hipnose é um tratamento mágico e, que em apenas uma sessão levará à cura definitiva e a pessoa irá se livrar do sintoma para sempre e ficará curada. Há quem associe hipnose a questões religiosas, acreditando que a hipnose tem relação com práticas místicas. A hipnose é uma prática neuropsicofisiológica, e não tem nenhuma relação com espiritualidade”, pondera a especialista.

Mitos que envolvem a hipnose

Embora já aceita e muito utilizada, mitos ainda cercam essa prática. Um forte exemplo é o pensamento popular de que estar hipnotizado significa estar inconsciente. Na verdade, o transe hipnótico é caracterizado por uma dissociação consciente/inconsciente, onde a consciência está presente para participar no processo de cura.

Simplificando, quando a pessoa está hipnotizada ela não perde a sua capacidade de raciocinar, a consciência nem dorme. Pelo contrário, a pessoa fica o tempo inteiro atenta à voz e às induções do hipnólogo e consegue resolver problemas complexos, fazer improvisos e ainda manter uma capacidade crítica sobre o que lhe está sendo sugerido.

Gosto sempre de tranquilizar meus pacientes explicando que não há nada a temer, porque a hipnose é um processo eficaz quando é usada com profissionais que tenham conhecimento da mente humana, em se tratando de questão de origem emocional o mais seguro é procurar um psicólogo que  faça hipnose clínica.  O relaxamento que você vai experimentar será agradável e regenerador”, explica a psicóloga e hipnóloga.

Prática milenar que promove recuperação em um mês e meio

A hipnose clínica ou hipnoterapia, como é conhecida, é uma prática milenar, que induz a um estado intermediário entre sono e vigília. Ela atua em áreas do cérebro, principalmente no sistema límbico que é responsável pelas nossas emoções, regula o sistema parassimpático, que equilibra as funções do corpo e da mente. “É um estado onde a pessoa sente as sensações de bem-estar, equilíbrio, calma, relaxamento e tranquilidade, é uma técnica de atenção concentrada otimizando também o aprendizado“, dia Miriam.

Segundo ela, quando a pessoa tiver algum sofrimento emocional, as  técnicas de hipnose devem ser aplicadas em consultório por psicólogos com habilitação ou especialização na área. A hipnose introduzida na medicina é capaz de tratar e curar diversas enfermidades, sejam elas, físicas ou mentais. Na medicina, a hipnose clínica irá auxiliar os tratamentos de psiquiatria, anestesia e cirurgia, ginecologia e obstetrícia, controle de sangramento, tratamento de queimaduras, dermatologia, pediatria, em procedimentos invasivos, exames e controle da dor.

Já na psicologia seu uso abrange males mais comuns, como: tabagismo, emagrecimento, pânico, fobias, depressão, ansiedade, timidez, tristeza, estresse, estresse pós-traumático, problemas sexuais, doenças  psicossomáticas e dermatológicas, transtorno do sono, enurese noturna, compulsões, problemas de fala, tíques, dores crônicas, auto-estima baixa e dificuldade de aprendizado. Enfim, a hipnose trata qualquer questão de origem emocional.

A terapia com hipnose é focal e tem até 90% mais eficácia que as terapias convencionais, na solução de quadros complexos. O tratamento com hipnose é um processo psicoterapêutico. Segundo análise publicada na revista American Health Magazine, a recuperação acontece em 93% dos casos, num período de um mês e meio. Enquanto a psicanálise resolve 38% dos casos em cerca de 11 anos e a terapia comportamental 72%, em aproximadamente seis meses.
A consulta com hipnoterapia pode ser realizada com psicólogos que tenham especialização ou habilitação em hipnose clínica, e as consultas duram em média de 45 a 50 minutos e, geralmente, é realizada uma vez por semana. Para começar o tratamento com hipnose, é necessário conhecer bastante sobre o paciente, o que se faz na primeira sessão é um teste de suscetibilidade, para saber se o paciente responde bem à hipnose.

Como a técnica auxilia em diversos quadros

A hipnose é um tratamento breve e focal, sendo muito indicada nas questões emocionais, tais como: ansiedades, depressão, fobias, síndrome do pânico, estresse pós-traumático, tiques, timidez, tabagismo, dificuldade de aprendizado, transtornos sexuais, transtornos alimentares, transtornos do sono, entre outros. Além disso, recomenda-se o emprego da hipnose, para tratar: baixa autoestima, compulsões, estresse, tartamudez (gagueira), doenças psicossomáticas e dores de uma forma geral, sobretudo, enxaquecas.
Também pode auxiliar pessoas que não precisam de tratamento, mas que desejam melhorar seu desempenho social, profissional ou relacionamentos. É muito eficaz no auxílio a candidatos submetidos a provas e concursos.
A hipnose é para todos aqueles que procuram melhor qualidade de vida e até mesmo experimentar através de seus recursos internos a tão desejada felicidade. A terapia com hipnose, ainda segue envolta numa certa aura de mistério. Na prática, não passa de uma técnica simples, que leva a um estado de relaxamento profundo, finaliza Miriam.
Indicações da hipnose

Master em PNL e hipnoterapeutaMadalena Feliciano explica que o objetivo dessa técnica é resolver as principais questões psíquicas do indivíduo de forma mais imediata e sem sofrimentos. “Hipnose é algo que aprendemos a ver como sobrenatural, seja por falta de informação, boatos ou mentiras. Muitas pessoas acreditam em ideias equivocadas sobre o que é hipnose. Existem vários mitos e dúvidas, muitas vezes acreditam que hipnose é perder o controle, e ao contrário disso, Hipnose trata-se de assumir total controle sobre sua vida, emoções, pensamentos e sentimentos. Apesar de ser ainda um tabu, a hipnoterapia apresenta casos de sucesso em pouquíssimo tempo”, diz.

De acordo com a especialista, a hipnose pode ser indicada para praticamente todos os problemas oriundos de questões psicológicas e emocionais. “Essa técnica não apresenta contra indicação e pode ser utilizada para tratar dos mais diversos problemas. A hipnose é capaz de melhorar o autodesenvolvimento e o autoconhecimento do cliente, bem como tratar problemas de vícios e compulsões. Além disso, a maior vantagem dessa técnica em relação aos tratamentos convencionais está na solução dos problemas,” explica.

Madalena afirma ainda, que a hipnose é o método mais eficaz, visto que ela atinge o subconsciente do cliente de forma que nenhuma outra técnica é capaz. “O que poucas pessoas sabem é que de todas as nossas ações e pensamentos apenas 5% têm origem no nosso consciente, sendo 95% oriundos do subconsciente, lado que é o verdadeiro responsável pelos vícios, compulsões e outros problemas de origem psicológica e emocional. Esses 95% não apresentam a noção do que é positivo ou negativo, desejando apenas satisfazer sua compulsão ou vício.

Por isso, as pessoas costumam ter recaídas, pois alguém que por exemplo, deseja parar de fumar por conta própria, deseja apenas em seus 5% de consciência, enquanto seu vício tem origem, na verdade, nos seus 95% de subconsciência. É aí que entra a hipnose como o único método realmente eficaz para atingir o subconsciente do indivíduo de forma a influenciar e tratar seus problemas diretamente de sua origem”, alega.

Brasil é primeiro no ranking mundial da hipnose clínica

Fora do show e do entretimento, a hipnose tem dado Ibope também para a classe médica e odontológica, com crescimento de 20% entre os profissionais da saúde, índice que coloca o país no topo mundial do uso de Hipnose Clínica.

Primeiro foi a acupuntura. Agora, é a vez de a hipnose ser finalmente reconhecida e adotada pela Medicina. Fora do show e do entretimento, a hipnose tem dado Ibope também para a classe médica e odontológica, com crescimento de 20% entre os profissionais da saúde, índice que coloca o país no topo mundial do uso de Hipnose Clínica. O método começa a figurar entre o arsenal de recursos oferecidos por instituições de renome no mundo. Dados coletados na Pesquisa OMNI Brasil 2019 apontaram que 119 mil brasileiros já utilizaram a hipnose clínica como método de tratamento.
O Estado de São Paulo liderou como a região que mais tem pacientes de hipnoterapia, o que representa 37,9% dos entrevistados. Rio de Janeiro e Paraná empatam na segunda posição com 10,3%, Minas Gerais ocupa a quarta posição com 4,8%, Rio Grande do Sul e Distrito Federal ocupam o quinto lugar com 4,1%.

Dos entrevistados, 76,6% já procuraram ajuda para resolverem problemas emocionais, mas as doenças físicas também são as causas dos atendimentos. Insônia lidera o ranking nacional com 22,53%, na sequência aparecem redução de peso com 13,89 %, problemas digestivos 6,53%, bruxismo com 5,47%, intolerância ao glúten ou lactose com 3,37% e controle da diabetes com 2,11%.

Insônia é campeã do ranking nacional, com 22,53%. Na sequência aparecem redução de peso, com 13,89 %, problemas digestivos, 6,53%, bruxismo, com 5,47%, intolerância a glúten ou lactose, com 3,37%, e controle da diabetes, com 2,11%.

“A hipnose pode ser usada praticamente em qualquer tipo de caso, de uma forma ou de outra, ela vai ajudar. Alguns exemplos mais comuns são depressão, ansiedade, tabagismo, emagrecimento, enxaqueca, asma, alergia e até doenças autoimunes”, frisa Arruda.

As mulheres procuram mais o tratamento do que os homens. Hoje elas representam 62% dos pacientes e os tratamentos mais procurados são enxaqueca com 12,42%, problemas com aparelho reprodutor atingem 1,68% delas e endometriose 0,84%. A pesquisa online foi realizada nos meses de julho, agosto e setembro de 2019, com pessoas de todas as classes sociais dos 26 Estados brasileiros e Distrito Federal.

Alívio da dor é a principal indicação da hipnose

Conforme as técnicas de hipnose são desmistificadas, o aproveitamento dela cresce e beneficia pacientes e profissionais de saúde. O uso da hipnoterapia na Medicina registra resultados satisfatórios e atraem a atenção de médicos das mais diversas áreas de atuação graças a dezenas de estudos e pesquisas conduzidas que comprovam sua eficácia.

A hipnose conta com recomendações específicas nas áreas de medicina geral, psiquiatria, psicologia e odontologia. Uma das principais indicações da hipnose clínica na medicina é para alívio da dor. Durante o transe, a sensação de dor é transformada em uma sensação tolerável de calor ou formigamento. Essa técnica é aplicada em tratamentos de fibromialgia, artrite, mas foi entre pacientes de câncer que intensificou a técnica.

O uso para alivio da dor começou na década de 50 nos Estados Unidos, quando foi constatado que a hipnose aciona substâncias que o corpo produz naturalmente e que tem uma ação analgésica, isso explica o crescimento na demanda na área esportiva  e também para os pacientes de câncer. Outro dado importante registrado na pesquisa foi a procura da técnica para tratamento  infantil. Entre as crianças, a doença mais tratada é alergia que atinge 8% dos pacientes. Brasil passou a ocupar o primeiro lugar do ranking mundial dos países que mais utiliza a técnica, na sequência surgem a Suíça, Alemanha e EUA.

A OMNI Brasil é uma instituição de treinamento em hipnoterapia que possui um processo terapêutico com ISO 9001, presente em 26 países. Uma sessão de hipnose clínica com o processo OMNI dura de duas a três horas e, muitas vezes, é suficiente. No retorno, que ocorre entre 30 e 45 dias depois, verifica-se o estado do cliente, os resultados que ele atingiu e se necessário é feito um reforço. Em alguns casos é necessário um segundo retorno antes de encerrar o tratamento.

CEO da OMNI Brasil, Michael Arruda, explica que a hipnoterapia foge do padrão terapêutico convencional e tem foco em identificar e tratar a raiz do problema, não em minimizar os sintomas dos transtornos. “Resultados como o apresentado mostram que ela pode ser uma poderosa aliada de médicos, dentistas e outros profissionais de saúde, agindo diretamente na causa do problema em apenas três sessões”, afirma Arruda.

Hipnoterapia no BBB20

Hadson, um dos participantes do BBB20, perguntou para o hipnoterapeuta Pyong Lee, se ele poderia introduzir alguma técnica de hipnose para aliviar sua dor de cabeça, Lee explicou que aplicaria um método rápido e pediu que Hadson fechasse os olhos para trabalhar o sintoma de dor.
Durante o processo para relaxamento e solução do problema, Pyong mantém um diálogo de indução e pergunta onde exatamente ele sente essa dor. “De zero a dez, qual é o nível do seu incômodo?”. Hadson  respondeu: “Dez”. Lee explica sobre como medir a dor e continua: “Materializa a dor, que formato ela tem?”. Hadson explica que sente como um martelo. E o hipnoterapeuta segue com perguntas para entender a percepção da dor do outro brother.
Ao final da hipnose, Lee pede para que o colega de confinamento transforme o material da dor, dando sequência à técnica, Pyong diz: “Quando eu tocar no seu ombro, você vai explodir essa bolha, ela vai desaparecer e vai embora”. O brother pede para que Hadson abra os olhos e pergunta como ele está se sentindo. O brother se surpreende ao se sentir melhor.
Com Assessorias
In the news
Leia Mais