Cães e gatos podem transmitir o novo coronavírus?

Entenda se a transmissão do vírus que causa a Covid-19 pode ocorrer dos pets para os humanos. E saiba os cuidados básicos com animais domésticos em tempos de pandemia

Redação

A preocupação com a Covid-19 não está acontecendo apenas em relação à contaminação e transmissão da doença em humanos. Também tem se debatido sobre a possibilidade de o vírus afetar aos animais de estimação. Mas existe a chance do coronavírus em cães e gatos? Se sim, será que os pets podem transmitir a doença?

Muito tem sido discutido a respeito da contaminação e transmissão do coronavírus em animais de estimação.  Entretanto, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há evidência de que os animais domésticos, como cães e gatos, tenham sido infectados e que, consequentemente, possam transmitir o Covid-19 para os humanos.

Por si só, essa informação já traz um grande alívio para os tutores ao redor de todo o mundo. Além disso, alguns estudos estão sendo realizados para entender como o organismo de diferentes animais pode reagir ao coronavírus. Inclusive, a própria OMS está monitorando essas pesquisas.

Contudo, é importante esclarecer o caso recente envolvendo um cachorro em Hong Kongque precisou ser colocado em quarentena por ter apresentado resultado positivo para o coronavírus.  Por que será que isso aconteceu? Há uma explicação!

O que foi informado pelas autoridades no assunto é que não há provas de que o animalzinho esteja, de fato, infectado pela doença.  É provável que o material encontrado na saliva do pet seja resultado de seu contato próximo com a dona (que estava contaminada pelo coronavírus), e não uma infecção completa, com replicação e transmissão do vírus.

E sabemos que o Covid-19 é transmitido por meio de gotículas de saliva, tosse, espirro, secreção nasal e afins. Além disso, é válido informar que o animal de Hong Kong apresentou um resultado positivo, porém, fraco para o teste de Covd-19. Isto é, foi um caso isolado.

Na verdade, os animais podem ser contaminados por outro subtipo de coronavírus (que não é o Covid-19), e a transmissão para humanos ou quaisquer outras espécies desse tipo de coronavírus dos bichos é bem incomum. Explicaremos melhor sobre isso mais adiante.

Assim, um grande alarde foi feito na população mundial por conta de informações erradas. Isso tudo só mostra o quanto é preciso ter responsabilidade sobre as informações e se evitar ao máximo a repasse de notícias falsas, afirma Livia Romeiro, veterinária do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Coronavírus canino: existe essa doença?

A resposta é sim. Cães e gatos sofrem de coronavírus, mas é muito importante ressaltar que não é o mesmo vírus associado à pandemia em que estamos vivendo atualmente. Esse tipo de coronavírus em cães e gatos não têm o costume de gerar problemas respiratórios como o Covid-19, por exemplo.

Assim, os coronavírus pertencem à família Coronaviridae. Ou seja, o alfa e o beta coronavírus geralmente infectam mamíferos, enquanto o gama e o delta coronavírus normalmente afetam pássaros e peixes. Nos cães, um dos sintomas desse coronavírus pode gerar diarreia leve. Já o coronavírus felino, pode causar peritonite infecciosa felina (PIF), são ambos alfa-coronavírus.

Dessa forma, é necessário reforçar: o coronavírus dos cães não é o mesmo do Covid-19. Mas, independentemente disso tudo, é sempre importante ter cuidados com a saúde e bem-estar dos animais de estimação.  No caso do Covid-19, existem alguns cuidados específicos.

Cuidados com os pets em meio ao Covid-19

Dar as vacinas obrigatórias, cuidar da alimentação, praticar exercícios e outros fatores, contribuem para uma boa imunidade e saúde no geral. E em meio ao Covid-19, é preciso ficar ainda mais atento.

De acordo com o Centro de Controle de Prevenção de Doenças (CDC), é indicado que se restrinja o contato com os animais enquanto o tutor está doente.

Apesar de não haver, até o momento, relatos de cães, gatos e outros bichos, doentes por causa da doença, recomenda-se que pessoas afetadas pelo vírus limitem o contato com seus pets por ora.

Os tutores precisam também tomar cuidados básicos de higiene ao manusear os seus pets.

Lavar as mãos antes e depois de tocar nos cães e gatos, seus alimentos ou suas fezes e urina;

Evitar beijar, lamber ou compartilhar alimentos com os pets;

Na hora dos passeios, evitar lugares aglomerados, como parques e outros lugares com muitas pessoas.

Se possível, é válido pedir para outra pessoa cuidar do pet enquanto o tutor está infectado pelo Covid-19.

Logo, precisa dar remédios para o cachorro ou limpar seus ouvidos, por exemplo? Veja se alguém pode te auxiliar nessas e em outras tarefas!

O principal a ser compreendido neste ponto é que o contato limitado entre tutores e pets é indicado para se evitar a transmissão do vírus entre os humanos.

Portanto, muito tem sido falado sobre coronavírus em cães e gatos. E, em casos de pandemia, é preciso que todos tenham responsabilidade ao repassarem notícias.

Antes de tudo, o ideal é que haja uma pesquisa prévia por informações seguras. Isso ajudará a não pôr em risco o bem-estar dos humanos e dos animais de forma desnecessária.

Assim, ter ciência de como o vírus é transmitido é primordial para ajudar no combate à abundância de informações equivocadas em meio à epidemia do Covid-19.