Chocolate sim, mas depois uma escovação caprichada

Açúcar do chocolate colabora para a sobrevivência das bactérias que vivem na boca e ajudam a formar a cárie

Rosayne Macedo

 

Benéficos para combater o envelhecimento, um perigo para os dentes. Você sabia que os flavonóides presentes no cacau são compostos fenólicos que funcionam no nosso corpo como antioxidantes? Eles neutralizam os radicais livres, famosos por apressar o envelhecimento e provocar câncer. Segundo pesquisadores da Unicamp, 40 gramas de chocolate convencional teriam mais compostos fenólicos que uma maçã ou uma taça de vinho tinto.

Já pesquisadores espanhóis observaram recentemente que esses mesmos compostos fenólicos podem combater bactérias que provocam cáries e danos às gengivas. Os estudos foram publicados na revista americana Journal of Agricultural and Food Chems. No entanto, é necessário garantir a escovação correta logo depois de consumir chocolate.

De acordo com Luis Calicchio, sócio-diretor da Made Me A, clínica de odontologia estética do Grupo Ateliê Oral, o açúcar do chocolate colabora para a sobrevivência das bactérias que vivem na boca. Essas bactérias produzem ácidos que são os responsáveis pela formação do início da cárie.  O ideal para os dentes, segundo o especialista, é tentar controlar o consumo excessivo de chocolate nos dias que envolvem a Páscoa.  Se não é possível diminuir o consumo dessas delícias, pelo menos tente escovar os dentes ou fazer um bochecho sempre que colocar um pedacinho de chocolate na boca.

Escove os dentes com uma pasta dental com flúor entre 30 e 45 minutos depois, mas não se esqueça de passar o fio dental imediatamente ou, em último caso, pelo menos faça um bochecho com água após cada vez que comer chocolate para remover o excesso que fica parado nas superfícies dentárias entre os dentes”, diz o especialista.

Consumo de açúcar é um vilão da saúde bucal

Todo mundo aprende desde criança que o consumo exagerado de balas e doces causa cárie. De fato, o consumo de açúcar é um grande vilão da saúde buscal. Isso porque as bactérias que existem na boca e digerem alimentos e bebidas açucarados produzem ácidos que dissolvem lentamente o esmalte dos dentes. Segundo a MAPFRE Saúde, o que poucas pessoas sabem é que as cáries não são formadas apenas pela quantidade consumida de açúcar, mas pela forma como o ingrediente é consumido.

O maior problema é o tempo de permanência dos ácidos na boca. Ou seja, apesar de não ser indicado comer uma quantidade tão grande de chocolates por dia, para a saúde bucal é melhor comer dez bombons de uma vez e escovar os dentes, do que os ingerir aos poucos sem fazer a higienização correta imediatamente após o consumo.

Também é por esse motivo que dentistas têm orientado pais a não deixarem que filhos usem copinhos infantis por muito tempo. As crianças costumam permanecer longos períodos com esses objetos à mão com sucos adoçados, achocolatados e outras bebidas com açúcar, o que pode representar um longo tempo de consumo e, consequentemente, maior chance de cáries.

Neste caso, a recomendação de especialistas da MAPFRE Saúde é simples e já bem conhecida: além de optar por uma alimentação mais saudável, não esqueça de escovar os dentes sempre depois de comer, principalmente doces.

Dor nos dentes ao ingerir doces é sinal de sensibilidade

O surgimento de dor nos dentes durante a ingestão de alimentos açucarados como doces, bolos, tortas, balas, chocolates, refrigerantes e outros é sinal de alerta para a cárie dentária ou sensibilidade. “Essa dor se refere a exposição dos canalículos dentinários onde passam as terminações nervosas livres que estão na polpa dentária (no canal do dente). Quando as terminações ficam expostas na cavidade bucal, sentimos dor ao ingerimos os alimentos, como o açúcar”, explica Fábio Paes, responsável pelo sorriso de Eduardo Costa e Gustavo Lima.

Segundo ele,  há uma diferença de concentração entre o açúcar e as terminações nervosas livres. A água do interior da célula das terminações é por difusão absorvida para equilibrar o meio osmótico, causando a dor.  “O dente é constituído por 3 camadas: esmalte, dentina e polpa. O esmalte do dente é a camada externa, ele é altamente mineralizado e quase impermeável. Porém, se essa proteção é removida por alguma razão (cárie, fratura, bruxismo, acidente, restauração quebrada ou infiltrações por bactérias) e a dentina ( camada intermediaria) fica exposta, o paciente pode apresentar sensibilidade e dor”.
A exposição dentinária vai se tornando mais sensível à medida que ingerimos alimentos ácidos (vinagre, laranja, limão), pois potencializa estes efeitos, diminuindo o limiar de sensibilidade da célula nervosa e causando erosão na superfície dentária. O mais importante é procurar um cirurgião-dentista para determinar o fator causador da sensibilidade e tratar o problema. Se for cárie, é preciso fazer uma restauração; se for fratura ou erosão, reconstruir o dente.  No caso de retração gengival, converse com seu dentista para avaliar o melhor tratamento. Existe também no mercado pastas para dentes sensíveis. Esses cremes preenchem os túbulos dentinários ou bloqueiam a ação do nervo.
Da Redação, com assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.