Com risco muito alto para Covid, Rio afrouxa restrições enquanto Niterói aperta

Mesmo em bandeira roxa, Rio permite bares e restaurantes até 21h. Já a vizinha Niterói impõe medidas mais rígidas

Vacinação da Covid-19 em Macaé (Foto: Ana Chaffin)

Apesar de estar no epicentro da pandemia do novo coronavírus no Estado do Rio de Janeiro, a capital decidiu flexibilizar as medidas restritivas adotadas para conter o colapso nos hospitais, em meio à alta de casos. O prefeito Eduardo Paes, que vinha adotando medidas mais severas do que no resto do estado, voltou a afrouxar as regras e nesta sexta-feira (9) determinou a reabertura de bares e restaurantes.

A 25ª Atualização do Mapa de Risco de Covid-19 do Estado indica que a Região Metropolitana 1, que reúne a cidade do Rio e municípios da Baixada, está classificada com a bandeira na cor roxa, de risco muito alto. Já a Região Metropolitana 2 aparece em vermelho, com risco alto, mas mesmo assim, a Prefeitura de Niterói decidiu apertar as medidas restritivas, proibindo até mesmo o funcionamento de restaurante para venda de comida.

O 14º Boletim Epidemiológico apontou queda nos atendimentos de casos suspeitos, mas também números expressivos de internações e óbitos na cidade do Rio de Janeiro. Por isso, segue em nível de risco muito alto, com suspensão da permanência em praias, parques e cachoeiras, das atividades econômicas e de esportes e exercícios coletivos nas areias até 19 de abril. Atividades físicas individuais estão liberadas. A ajuda de R$ 500 a quem deixa de exercer suas atividades foi renovada.

Boates, danceterias, salões de dança e casas de espetáculos, rodas de samba e afins também seguem com as atividades suspensas. É vetada a permanência nas vias, áreas e praças públicas do município no horário das 23h às 5h. O prefeito agradeceu a colaboração dos cariocas e previu que, “daqui a pouco, a gente começa a ter menos internação e óbitos”.

O relaxamento no novo período é para restaurantes, bares, lanchonetes e congêneres, que podem funcionar até as 21h, com tolerância de uma hora. Depois disso, é permitida entrega em domicílio e drive-thru. Clubes sociais e esportivos também abrem até 21h, com acesso às áreas de lazer e recreação só a partir das 11h.

Também estão liberados para o público, das 12h às 21h, museus, galerias, bibliotecas, cinemas, teatros, casas de festa, salas de apresentação, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil, parques de diversões, temáticos e aquáticos, pistas de patinação, atividades de entretenimento, visitações turísticas, exposições de arte, aquários e jardim zoológico.

É importante que as pessoas saibam que não liberou geral. Se houver abuso, a Secretaria de Ordem Pública vai agir com rigor e contundência. Os horários são restritos, há o escalonamento previsto. Quero dizer que, se esses dados mudarem, vamos tomar medidas mais duras”, advertiu Paes.

Média de óbitos mantém alta

Para os outros setores de prestação de serviços, o horário é do meio-dia às 21h. Para outras atividades comerciais, das 10h às 18h. Órgãos não essenciais da administração pública funcionam das 8h às 7h. Os shoppings, centros comerciais e galerias de lojas podem abrir, mas funcionamento precisa seguir as mesmas restrições de horário.

A cidade do Rio tem mais de um milhão de vacinados com a primeira dose, 14,9% da população. Em relação à população idosa (a partir de 60 anos), mais vulnerável à Covid-19, a cobertura é de 68%. Somando a segunda dose, foram aplicadas quase 1,3 milhão de vacinas.  “Estamos chegando a quase 70% dos idosos cariocas vacinados. Essa é uma notícia espetacular. A gente vai entrando em um cenário que vai permitir, cada vez mais, diminuir as restrições, que a vida vá voltando ao normal”, disse o prefeito.

O número de novos casos registrados na última semana apresentou leve queda, mas a média móvel dos óbitos mantém tendência de alta. Os mortos pelo novo coronavírus na cidade desde o início da pandemia chegam a 22 mil, em 235 mil casos, uma taxa de letalidade de 9,1% e uma incidência de 3,5 mil por 100 mil habitantes. A mortalidade pela Covid-19 na cidade é de 321,8/100 mil.

Com 22 vezes menos mortes que o Rio, Niterói fecha quase tudo

Em Niterói, que tem uma população sete vezes menor, o número de mortos por Covid-19 está em torno de mil, ou seja, 22 vezes menor do que o Rio. Mesmo assim, decreto assinado pelo prefeito Axel Grael neste sábado 10 adota regras ainda mais rigorosas na cidade.

A saída da residência deve se dar apenas por motivos de trabalho, compra de gêneros alimentícios, ida a farmácias, por motivos médicos o para ida a estabelecimentos cujo funcionamento esteja permitido, por conta de atividade permitida”, diz um trecho do decreto.

A entrada de táxis e veículos de aplicativos de outras cidades está proibida em Niterói. Bares e restaurantes só poderão funcionar para delivery. Aulas presenciais só estão liberadas para a educação infantil. Missas, cultos e demais atividades religiosas podem ser realizadas de forma presencial, com até 10% da capacidade, até que ela atinja o máximo de 100 pessoas.

Estamos vivendo o pior momento dessa pandemia, com número de óbitos chegando a níveis inesperados lá no início dessa crise. Não podemos esquecer que estamos passando por um momento muito difícil em Niterói. No momento, a taxa de ocupação nas UTIs públicas está em 82%, e 90% nas privadas”, disse o prefeito.

Está suspenso também o atendimento presencial de qualquer natureza em bares, restaurantes do tipo bufê ou self-service, cafeterias e congêneres, boates, danceterias, salões de dança e casas de festa, museus, galerias, bibliotecas, cinemas, teatros, casas de espetáculos e salas de apresentação. Os banhos de mar e de sol na orla seguem proibidos.

O mesmo vale, ainda em Niterói, para salões de cabeleireiro, barbearias, institutos de beleza, estética e afins, clubes sociais e esportivos, serviços de lazer, quiosques em geral, parques de diversões, temáticos e circos, academias de ginástica, lutas, danças, bancas de jornal.

Até supermercados entraram nas restrições solicitadas pelos cientistas e atendidas pelo prefeito de Niterói. Eles só poderão vender produtos essenciais, como alimentos e itens de higiene e limpeza. Nada de roupas, por exemplo.

Na quarta-feira, o Hospital Oceânico, arrendado pelo município para pacientes com Covid 19, atingiu 121 pacientes internados, o maior número desde o início da pandemia. A cidade tem 92% de taxa de ocupação de leitos de UTI e 83% nos de enfermaria. Segundo o Mapa de Risco por Município, a cidade está com bandeira roxa, a de mais alto risco para a doença.

Com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais