Como é a vida de um adulto com autismo?

Encontro no CCBB Rio discute autismo na vida adulta. Kinoplex adota símbolo em atendimento preferencial

Kinoplex oferece atendimento preferencial ao autista

Estudo divulgado pelo CDC (Center of Deseases Control and Prevention), órgão ligado ao governo dos Estados Unidos, revela que uma a cada 100 pessoas nasce com o Transtorno do Espectro Autista (TEA). A estimativa é de que no Brasil existam dois milhões de pessoas com autismo. A síndrome vem sendo cada vez mais estudada, mas o modo de vida de um autista é ainda pouco conhecido. Isso gera muito preconceito e consequente limitação a essas pessoas e a suas famílias e cuidadores.

Muito se fala sobre o autismo na infância, mas como é ser autista na vida adulta? O assunto será tema da sexta edição da Semana de Conscientização do Autismo, que acontece de 2 a 9 de abril no CCBB Rio. Na sexta-feira, dia 6 de abril, às 18 horas, uma mesa redonda reunirá especialistas para analisar as políticas de inclusão e assistência existentes para adultos autistas e como lidar com os afetos e expectativas das famílias e cuidadores. O evento acontecerá na na sala do projeto Educativo, no primeiro andar do CCBBRio.

Participarão da mesa “Autismo na fase Adulta: Quais perspectivas?” a educadora, consultora de acessibilidade da Sapoti Projetos Culturais e irmã de jovem autista, Fabiana Martelotte; a integrante da pesquisa “Circulando e traçando laços e parcerias: atendimento para jovens autistas e psicóticos em direção ao laço social” – UFRJ, ex-membro do Grupo Gestor do Movimento Psicanálise Autismo e Saúde Pública – MPASP e mestre Teoria Psicanalítica pelo Instituto de Psicologia da UFRJ, Kátia Alvarez e a psicóloga, psicopedagoga, mestranda em diversidade e inclusão na UFF; com experiência em inclusão e acessibilidade na escola e no mercado de trabalho, Debora Mascarenhas. A mediação será feita pela coordenadora pedagógica do Programa CCBB Educativo Camila Alves.

Na ação ‘Você Sabia?’ educadores do Programa Educativo irão distribuir fitas azuis da campanha de conscientização do autismo e informações serão dadas aos visitantes do CCBB para expandir o olhar sobre o tema.

Atendimento preferencial no Kinoplex

Uma lei estadual de 2014 obriga os estabelecimentos públicos e privados do Estado do Rio a inserir nas placas de atendimento prioritário o símbolo mundial do autismo – um laço de fita formado por quebra-cabeças coloridos. O objetivo é oferecer uma melhor experiência a pessoas com o transtorno e seus familiares. A lei ainda é pouco conhecida e ganha cada vez mais adesão. A rede de cinemas Kinoplex passou a incluir o símbolo na placa de atendimento preferencial. É que o ícone que representa o autismo, atendendo à lei 6807/14,. A ação está sendo implementada em todos os complexos da rede no Brasil.

É uma forma de conscientizar a sociedade dos direitos e necessidades que o portador do Transtorno do Espectro do Autismo tem. Um de nossos maiores objetivos é fazer com que o cinema seja para todos, por isso qualquer ação que promova acessibilidade será sempre muito benvinda”, diz Patricia Cotta, gerente de Marketing do Kinoplex.

A empresa também afirma que foi pioneira entre as redes de cinema do Brasil a promover sessões especiais para crianças diagnosticadas com o TEA, incentivando assim, pais e familiares de crianças com distúrbios sensoriais a irem ao cinema assistir a seus filmes favoritos em um ambiente seguro e  adaptado.

Fonte: CCBB Rio e Kinoplex, com Redação

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais