Diabetes pode causar a perda de dentes: saiba por que

Um em cada cinco casos de perda de dentes está relacionado ao diabetes. Um dos fatores que podem explicar essa relação é o fato de o diabético ser mais propenso às infecções bacterianas

Redação

O número de brasileiros diagnosticados com diabetes cresceu 61,8% nos últimos 10 anos, como aponta um estudo feito pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada pelo Ministério da Saúde. O que poucas pessoas sabem é a relação entre a doença e a saúde bucal. Uma pesquisa recente do jornal médico dos Estados Unidos, The Journal American Dental Association, alerta que um em cada cinco casos de perda de dentes está relacionado ao diabetes.

Um dos fatores que podem explicar essa relação é o fato de o diabético ser mais propenso às infecções bacterianas, apresentando uma capacidade diminuída no combate às mesmas. De acordo com o dentista Flávio Nader da Crie Odontologia, o diabetes interfere diretamente na circulação periférica, e provoca uma inflamação na boca, prejudicando a cicatrização. “Pacientes com diabetes costumam ter infecções mais agressivas, principalmente a doença periodontal, o que pode causar a perda de dentes de uma forma progressiva”, esclarece.

Vale ressaltar também que infecções bucais, como todas as infecções, podem elevar o açúcar no sangue e tornar o controle do diabetes mais difícil. Michelle Mendes, nutricionista funcional e oncológica da Aliança Instituto de Oncologia, explica que o diabetes pode apresentar sintomas que também favoreçam às doenças bucais.

“A xerostomia (boca seca) é um desses fatores. A saliva tem ação antimicrobiana e a redução na sua produção pode deixar a boca mais suscetíveis a cáries, feridas, fissuras, proliferação de bactérias, etc. Outros sintomas do diabetes também podem contribuir para doenças bucais como candidíase, mau-hálito, ardência bucal, etc”, afirma.

A relação conjunta com o médico responsável pelo tratamento do diabetes e o dentista é de extrema importância, como explica Flávio Nader. “É fundamental para que a qualquer sinal de descontrole da doença, o paciente possa ser tratado. A nutricionista Michelle complementa que “sem dúvidas, o acompanhamento com o dentista é de extrema importância também para a manutenção da saúde bucal, assim fica mais fácil evitar ou detectar problemas na boca”, conclui.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.