Fígado pode sofrer sérios danos com álcool em excesso

Médica explica funcionamento do órgão e como pode ser lesionado com abuso de bebidas alcóolicas nas festas de fim de ano

Redação

Com o final do ano se aproximando, começamos a nos preparar para as celebrações de Natal e Ano Novo, com consequente aumento dos índices de ingestão de bebidas alcoólicas. Mesmo durante a pandemia, muitas pessoas devem entrar em períodos de folga e férias e, em geral, realizar pequenas celebrações com consumo de bebidas alcoólicas.

Mas o que acontece no nosso corpo após a ingestão de grandes quantidades de álcool? Como o fígado metaboliza excessos? Estela Regina Ramos Figueira, médica responsável da Equipe de Transplante de Fígado do Hospital 9 de Julho, explica como funciona esse processo e como o fígado pode sofrer danos severos com a ingestão de álcool.

O fígado também tem a função de regular os níveis de açúcar no sangue, sendo responsável por administrar uma reserva de glicose, mas quando está ocupado metabolizando a bebida ingerida o órgão perde a capacidade de agir nesse sistema e tem sua reserva consumida pelo álcool, o que pode levar o indivíduo a ter uma crise de hipoglicemia (falta de açúcar no sangue).

Uma pequena parte do álcool ingerido já é absorvido pela língua e mucosa bucal, depois, ao entrar no estômago uma parte maior, sendo no intestino onde ocorre o maior volume de absorção. Essa absorção significa que o álcool cai direto na circulação sanguínea, passando imediatamente pelo fígado”, explica a Dra. Estela.

Segundo ela, no fígado, o álcool sofre ação das enzimas aldeídodesidrogenase (ADH), que o transforma em acetaldeído, enzima extremamente tóxica. O acetaldeído sofre ação de outras enzimas até ser depurado do organismo. Esse trabalho acaba sobrecarregando o fígado e, quanto maior a ingestão de álcool, mais o fígado é deteriorado pela agressão aguda e crônica das células hepáticas

“Para evitar a sobrecarga do fígado é importante limitar a ingestão de bebida alcoólica, beber devagar, uma vez que o órgão é capaz de metabolizar apenas 10 gramas de álcool por hora. Isso equivale a meia taça de vinho ou uma lata de cerveja. O consumo de por exemplo 40 gramas em 2 horas ou menos já pode levar ao aparecimento de gordura no fígado. Além disso, ingerir alimentos ricos em proteínas e carboidratos ajuda a diminuir a velocidade de absorção de álcool pelo intestino, dando tempo para o fígado metabolizar melhor o que vai sendo consumido”, afirma a especialista.

Outra dica é beber muita água antes, durante e depois de consumir álcool e, toda vez que for ao banheiro urinar, beber algo não alcoólico como água, suco ou refrigerantes, esses últimos com açúcar para ajudar a balancear o trabalho do fígado.

Se o consumo excessivo de álcool extrapola as festas ou o período de férias e se torna mais frequente, as lesões provocadas no fígado aumentam e o corpo passa a ter menos tempo e capacidade de regenerar as células e, assim, recuperar as lesões.

O consumo diário de mais de 30 gramas de álcool já aumenta o risco de doença do fígado, sendo que consumidores mais pesados, com ingestão crônica por mais de 10 anos de pelo menos 80 gramas de álcool apresentam um risco alto de doença do fígado (cirrose) de quase 100%.

In the news
Leia Mais