Idosos devem ter cuidados extras para enfrentar epidemia

Geriatra responde as principais dúvidas sobre riscos do coronavírus e nutricionista dá dicas de alimentos que ajudam a melhorar a imunidade

O poder de letalidade do novo coronavírus em idosos pode chegar a 15% a quem tem mais de 70 anos. A pandemia de Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus, exige cuidados especiais com os grupos de risco, entre eles as pessoas com mais de 60 anos. Além das ações de higiene (lavar as mãos constantemente, não partilhar toalhas e lençóis, evitar tocar os olhos, o nariz e a boca), é importante focar em uma alimentação equilibrada para fortalecer o sistema imunológico e a exposição diária ao sol.

O geriatra e cardiologista Marcelo Freitas, do Residencial Clube Leger, instituição de acolhimento de idosos de São Paulo, aponta uma necessidade de maior atenção com as pessoas dessa faixa etária. Segundo ele, a baixa imunidade, comum aos idosos, exige um trabalho preventivo ainda mais cuidadoso. Ele responde a algumas das principais dúvidas a respeito.

1) Por que os idosos formam o maior grupo de vítimas do novo coronavírus?

Dr. Marcelo – O coronavírus já conhecido há décadas, e causa em torno de 2% dos quadros similares a gripe no mundo inteiro, e também no Brasil. Esse novo coronavírus, é uma mutação que surgiu na China, e causa um quadro respiratório, gripal, mais agressivo. Naturalmente, os idosos são mais suscetíveis aos quadros infecciosos, virais ou bacterianos, por conta de sua decadência imunológica, e pela presença de doenças crônicas (DM, HAS, Artrites), especialmente após os 70 anos de idade. E, com esse novo coronavírus, não está sendo diferente, chegando à letalidade de até 15% nos maiores de 70 anos.

2) A que sinal de doença respiratória o idoso deve procurar atendimento médico?

Dr. Marcelo – Sempre sugerimos procurar uma unidade básica de saúde, aos quadros progressivos de febre, coriza, tosse, cansaço, falta de ar, mialgia e fraqueza. Mesmo sendo um quadro gripal mais simples, esses sintomas mais exagerados, com duração maior do que três dias, devem fazer procurar um pronto atendimento uma Unidade Básica de Saúde para realizar uma avaliação médica.

3) É comum que pessoas mais idosas apresentem pneumonia? Por que isso acontece?

Dr. Marcelo – Pneumonia é um quadro mais grave, pois acomete o pulmão. Pode ser de várias etiologias, sendo as mais comuns as bacterianas e virais. A incidência de pneumonias é maior no idoso por conta de sua imunidade estar em fase de decadência, ou seja, são mais suscetíveis a essas infecções também. A pneumonia é mais perigosa, pois, por comprometer o pulmão, pode levar a consequências mais severas, como insuficiência respiratória e até óbito. Sugere-se que os idosos, especialmente acima de 70 anos, recebe a vacina contra pneumonias bacterianas – Pneumovax.

4)Que cuidados extras com os idosos devem ser tomados agora?

Dr. Marcelo – Não só por conta do atual surto de coronavírus, mas devemos sempre adotar condutas de higienização de mãos, face, nariz e boca, pois, os vírus estão presentes nos chamados perdigotos (gotículas de saliva), e podem se depositar na boca, olhos, face, nariz e mãos. Também existem algumas substâncias que, notadamente, melhoram nossa imunidade, tais como Vitamina C, Vitamina D e Zinco. Não se trata de terapia, mas, melhoram o sistema imunológico, e nos deixam mais preparados para qualquer quadro infeccioso que possamos adquirir. Além disso, deve-se evitar a exposição dos idosos ao locais de aglomeração de pessoas, pois aumenta a chance de disseminação dos vírus..

5) Os idosos já devem adotar o uso de máscara cirúrgica no dia a dia?

Dr. Marcelo – Por ora, não faz sentido, e não se indica uso de máscaras no dia a dia, pois, como vemos aqui no Brasil, até hoje há dois casos confirmados, em uma população de mais de 200 milhões de habitantes. Caso haja um aumento de casos, o uso de máscara se fará necessário.

6) Idosos com passagem marcada para fora do país deve cancelar a viagem?

Dr. Marcelo – Aqui, devemos utilizar o bom senso. Por exemplo, não sugeriria ninguém a viajar para China neste momento, pois, é o centro de onde surgiu esse novo vírus, e onde temos maior números de casos confirmados. Porém, para os outros países, não há nenhum contra indicação absoluta, mas, obviamente, se puder adiar viagens para esses locais, é mais prudente fazê-lo, até um outro momento em que estabilize o surto.

7)  Idosos vindos de país com grande número de infectados devem tomar cuidado especial?

Dr. Marcelo – Não só os idosos, mas todos que chegarem de países com muitos casos, devem se manter em monitoramento com relação aos sintomas como febre, falta de ar, tosse e coriza. Essa etapa deve durar pelo menos duas semanas, que é o período médio de incubação do vírus. As pessoas podem estar com o vírus, sem manifestação de sintomas. Evidentemente, os idosos tem que ficar mais atentos ainda a esses aspectos, e, aos primeiros sinais, procurarem avaliação de um médico.

Idosos devem reforçar sistema imunológico

De acordo com Isabela Lorizola, consultora em nutrição da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (Abimapi)a vitamina D, que o organismo obtém por meio da radiação ultravioleta do sol, é essencial para os idosos.

O sol ajuda a prevenir a osteoporose, melhora a qualidade do sono e protege o organismo contra doenças, além de proporcionar sensação de bem-estar e ter ação antidepressiva. A especialista ressalta a importância do protetor solar que deve ter, no mínimo, fator 15 e evitar a exposição ao sol no horário entre 10h e 16h”, explica.

Quanto à alimentação, é eficaz deixar de lado as comidas gordurosas, que podem causar diarreia e desidratação. “Uma dieta balanceada ajuda o organismo a se manter preparado contra invasores, deixando o sistema imunológico em alerta e pronto para combater qualquer tipo de infecção”, diz Isabela. O ideal é investir em fontes que contemplem todos os nutrientes, mas existem alimentos que favorecem os glóbulos brancos, que são as células de defesa do nosso corpo.

Para os idosos que têm dificuldade para comer, é recomendável o uso de suplementos de vitaminas, mas só com prescrição médica, caso haja diagnóstico de algum nutriente em falta. “Não se esqueça que mesmo de quarentena tentar fazer com que os idosos mantenham uma rotina ativa, com atividades voltadas para mente e para o corpo, com a prática de alongamentos, por exemplo, garantem uma melhor qualidade de vida”, destaca a nutricionista.

Conheça os alimentos que fortalecem as células

• Proteínas: alimentos de origem animal (carne vermelha e branca, leite, ovos) e leguminosas (feijão, soja, ervilha). Ajudam reduzir os níveis de colesterol e contribuir para a saúde cardiovascular.

• Carboidratos: está presente em alimentos como: macarrão, biscoitos, lentilha, grão de bico, feijão, entre outros. É fonte de energia para o corpo e cérebro; possuem o papel de proporcionar bom-humor, pois liberam a serotonina.

• Magnésio: leguminosas, oleaginosas (nozes, amêndoas, castanhas) e verduras folhosas. É importante para os ossos, causa bem-estar, controla a pressão arterial e ajuda no controle do diabetes.

• Vitamina Aestá em fontes de gordura (queijo, gema do ovo) e em vegetais de coloração alaranjada, como manga, mamão e cenoura. É boa para os olhos e pele, evita infecções e tem ação antioxidante.

• Vitamina C: o micronutriente mais famoso quando citamos imunidade é ofertado por frutas cítricas (laranja, mexerica, maracujá, limão, abacaxi). Acelera a cicatrização, reduz a suscetibilidade a infecções, aumenta os níveis de anticorpos, potencializa o sistema imunológico e combate os efeitos dos radicais livres.

Com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais