Inca lança estudo sobre impacto do tabaco na saúde das crianças

Pesquisa será apresentada em evento que marca o Dia Mundial sem Tabaco (31). Rosayne Macedo, do ViDA & Ação, media debate sobre saúde pulmonar

Redação

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) e o Ministério da Saúde apresentam nesta sexta-feira (31 de maio), Dia Mundial Sem Tabaco, o estudo inédito “Legislação de Ambientes Livres de Fumaça de Tabaco e Mortalidade Infantil”. O estudo mostra o impacto entre ambientes livres de cigarro e mortalidade infantil, comparando estados com e sem o dispositivo legal, antes da promulgação da lei federal.

Pesquisadores do Inca, Imperial College London (no Reino Unido), Erasmus Medical Centre (da Holanda), The International Union Against Tuberculosis and Lung Diseases (sede na França) e Universidade de São Paulo (USP) trabalharam no estudo de 2000 a 2019. O trabalho será publicado em 31 de maio na Tobbaco Control, principal revista científica sobre tabagismo do mundo.

A apresentação do estudo ocorrerá durante solenidade que marca a data, na sede do Inca, na Praça da Cruz Vermelha, no Centro do Rio. O evento será aberto às 10h30 e reunirá mais de 150 pessoas, na maioria, profissionais de saúde e interessados no tema. O evento é gratuito e aberto ao público.

Tabaco e Saúde Pulmonar

Conscientizar sobre o impacto negativo que o uso do tabaco e a exposição ao fumo passivo exercem sobre saúde pulmonar, do câncer à doença respiratória crônica, além da importância dos pulmões na saúde geral das pessoas. Estes são os principais objetivos da campanha do Dia Mundial Sem Tabaco, cujo tema este ano é “Tabaco e Saúde Pulmonar”.

Às 11h45, também na sede do Inca, acontece o debate “Tabaco e Saúde Pulmonar” entre autoridades de saúde do Inca e de outros órgãos, com mediação da jornalista Rosayne Macedo, do portal Vida & Ação, e transmissão pelo Facebook da Rádio BandNews FM Rio. Com esta cobertura, ViDA & Ação também abre a série especial ‘Vida Sem Fumo’.

Participam da roda de conversa Mauro Zamboni, pneumologista e coordenador de Ensino do Inca; Liz Almeida, chefe da Divisão de Pesquisa Populacional do Inca; Cristiane Vianna, assessora técnica de controle de tabaco da The Union ( International Union Against Tuberculosis and Lung Disease), e Aline Borges, coordenadora em Alimentos da Subvisa (Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses), do município do Rio de Janeiro.

Instituído em 1987 pela OMS, o Dia Mundial sem Tabaco funciona como um alerta sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. No Brasil, o Inca é o responsável por sua divulgação e comemoração da data, de acordo com o tema estabelecido a cada ano pela OMS.

Praça Mauá tem teste do nível de gás em fumantes

Nesta sexta-feira (31), a Secretaria de Estado de Saúde promove, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal, ação de conscientização dos riscos do tabagismo para a saúde. A iniciativa acontece na Praça Mauá, ao lado do Museu do Amanhã, entre 10h e 12h.

Os participantes receberão orientações sobre onde buscar tratamento para o fumo e poderão realizar avaliação de monóxido de carbono exalado (COex) – único método não invasivo de baixo custo que fornece resultado imediato do nível de gás em fumantes.

Além da prevenção contra o fumo, o evento, que faz parte das comemorações do fim do Maio Amarelo, contará ainda com posto de doação de sangue do Hemorio, vacinação contra gripe e febre amarela e aula de educação no trânsito.

Ação na Central do Brasil e nos postos de saúde

Quem passar pela Central do Brasil poderá conferir a exposição ‘O Controle do tabaco no Brasil: uma trajetória, materiais informativos’ e demonstração da “boneca fumante” Altina, com a qual é possível visualizar os danos causados pelo cigarro.

O teste do monoxímetro, que mede o nível de monóxido de carbono contido no organismo de fumantes, também poderá ser feito no local. Serão oferecidas ainda orientações sobre o tratamento que auxilia pessoas que desejam parar de fumar e que está disponível na rede pública de saúde. A ação acontece das 6h30 às 10h.

As ações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para marcar o Dia Mundial sem Tabaco qcomeçaram no dia 20 de maio e seguem até 1° de junho, tendo como foco reforçar os males que o fumo faz à saúde, assim como oferecer apoio para quem deseja largar o hábito. A iniciativa é realizada em parceria com Inca, SuperVia e Casa de Oswaldo Cruz (COC/ Fiocruz).

As unidades da rede de Atenção Primária realizam diversos eventos com o objetivo de orientar a população sobre como parar de fumar. Os grupos de tabagismo das unidades irão às ruas para captar novos membros, assim como distribuir folders com orientações antitabagismo e realizar rodas de conversar para que ex-fumantes possam compartilhar seus relatos. Os eventos realizados com o Programa Academia Carioca contarão com caminhadas e atividades físicas diversas.

As ações fazem parte da Parceria por Cidades Saudáveis, uma rede global de cidades comprometidas com a redução de doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs), da Bloomberg Philantropies, liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e com o apoio da Vital Strategies e da ACT Promoção da Saúde na implementação do projeto.  Confira as ações clicando aqui!

Workshop para profissionais e estudantes em Furnas

Furnas cedeu seu auditório em Botafogo, zona sul do Rio, para a realização de um evento organizado pela Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas, que acontecerá durante todo o dia, aberto para profissionais e estudantes da área de saúde. O objetivo é apresentar ferramentas de avaliação, diagnóstico e técnicas para abordar especificamente a dependência de produtos de tabaco.
Serão discutidas as principais estratégias para auxiliar fumantes a deixar de fumar. Após o workshop o participante terá noções básicas sobre tabagismo, como problemas de saúde pública, tratamento farmacológico, técnicas psicoterápicas, motivadores e barreiras no tratamento, como abordar pacientes com comorbidades psiquiátricas e o modelo para empresas. Participam as psicólogas Sabrina Presman e Ana Café, os psiquiatras Analice Gigliotti e Gabriel Bronstein e o médico do trabalho Joaquim Melo.

EM SÃO PAULO

‘Bafômetro’ para medir a capacidade respiratória

Nesta sexta-feira, a Sompo Seguros S.A., empresa do Grupo Sompo Holdings sediada em São Paulo, vai promover ações para conscientizar seus colaboradores quanto aos malefícios do cigarro. Na ocasião, os colaboradores poderão fazer o exame de peak flow expiratório, que é um tipo de “bafômetro” por meio do qual é possível medir a capacidade respiratória, que sofre a influência dos efeitos do cigarro.

Também haverá o Boneco Cigarrão, que é um boneco que “fuma” enquanto são mostrados os efeitos do cigarro no corpo humano. Além disso, uma psicóloga vai dar orientações sobre os riscos, a dependência, vantagens e dicas para parar de fumar, evitar o ganho de peso e a recaída.

As atividades fazem parte da parte da semana #Cultive Bem-Estar, iniciativa por meio da qual os colaboradores da companhia são convidados a participar de atividades voltadas ao bem-estar e qualidade de vida sob pilares como Ergonomia, Saúde Mental, Saúde Nutricional e Tabagismo.

Ao longo de toda semana, os colaboradores tiveram oportunidade de participar atividades de Meditação / Mindfullness, Teste de Resiliência, Ergonomia e exercícios de ginástica laboral, nutrição (Quiz Nutricional + Mitos e verdades da Alimentação e Mindfullness Eating / Comer com atenção e Jogo de Hábitos Alimentares).

Tabagismo e seus efeitos em números

  • A epidemia global do tabaco mata quase 6 milhões de pessoas por ano.
  • Dessas, mais de 600 mil são fumantes passivos (pessoas que não fumam, mas convivem com fumantes).
  • No Brasil, 428 pessoas morrem por dia por causa da dependência de nicotina.
  • São 156.216 mortes anuais – principalmente, o câncer – poderiam ser evitadas.
  • Isso é o equivalente a quase duas vezes a lotação de estádios de futebol como o do Maracanã (RJ) ou do Morumbi (SP).
  • Das mortes anuais causadas pelo uso do tabaco, 34.999 correspondem a doenças cardíacas;
  • 31.120 mortes por DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica);
  • 26.651 por outros cânceres;
  • 23.762 por câncer de pulmão;
  • 17.972 mortes por tabagismo passivo;
  • 10.900 por pneumonia;
  • 10.812 por AVC (acidente vascular cerebral).
  • Cerca de 2,9 mil benefícios de auxílio-doença são concedidos mensalmente, em média, por conta de doenças como hipertensão, doença cardíaca hipertensiva, angina, infartos agudo e recorrente do miocárdio e doenças isquêmicas do coração (dados da Previdência Social)
  • Já as neoplasias (cânceres) resultam em outros 12,8 mil benefícios pagos mensalmente.
  • Estima-se que R$ 56,9 bilhões são perdidos a cada ano devido a despesas médicas e redução de produtividade.

Da Redação, com Assessorias 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.