Inverno e resfriado: quando levar o bebê ao pediatra?

No Dia do Pediatra, especialistas dão orientações que podem facilitar os cuidados e garantir que os pequenos permaneçam saudáveis no período mais frio do ano

No inverno, é muito importante que os pais fiquem ainda mais atentos à saúde dos bebês, que sentem os impactos das baixas temperaturas, das amplitudes térmicas e do clima mais seco. Muitas vezes, surgem dúvidas com relação ao momento de buscar um atendimento no pronto-socorro, ou manter os cuidados em casa, com a orientação de um pediatra.

O pneumopediatra Thiago Caldi lembra que as doenças mais comuns no inverno são resfriados, pneumonias, otites, sinusites, bronquites etc. Apesar de serem doenças com possibilidade de evolução para casos graves, por vezes, é possível manter os cuidados em casa, com o apoio de um profissional, e evitar novos contágios no pronto-socorro.

Dr. Caldi explica que essa decisão também depende da idade do bebê. No caso de recém-nascidos, entre 1 e 3 meses, qualquer quadro de febre já indica necessidade de buscar um médico, uma vez que, nessa faixa etária, o sistema imunológico ainda é muito frágil, e o cronograma de vacinação, muitas vezes, nem sequer foi iniciado.

“Nos casos de bebês maiores, após o início da vacinação e com o sistema imunológico fortalecido, os pais devem recorrer ao hospital, ao perceber sintomas como respiração ofegante, extremidades roxas, dificuldade para a ingestão de líquido, prostração e sonolência”, explica o especialista. “Caso a criança esteja com febre alta e brincando normalmente, os pais podem administrar os remédios em casa e evitar uma exposição desnecessária”, completa.

Dr. Caldi também explicou que crianças saudáveis, isto é, com o sistema imunológico funcionando normalmente, podem ter de oito a dez infecções por ano e, em cada uma delas, ter um quadro de tosse que pode durar até 21 dias.

“Apesar de o resfriado e outras doenças respiratórias serem um revés na rotina da família, não é necessário que os cuidadores fiquem extremamente preocupados em todas as ocorrências. A imunidade está em construção durante a infância. Assim, é normal que os pequenos tenham algum tipo de infecção com mais frequência do que nós, adultos”, ilustra o médico.

Para evitar as infecções, Dr. Caldi indica ações simples como a lavagem frequente das mãos, cronograma de vacinação completo, hidratação, lavagem nasal, preferência a locais abertos e manutenção de uma dieta equilibrada. Durante a live, o pneumopediatra também trouxe insights que desmistificam tabus relacionados à pneumologia pediátrica, com dicas práticas e eficientes para manter os bebês saudáveis e protegidos durante o inverno.

O pneumopediatra e influenciador digital na área da saúde respondeu e forneceu informações úteis sobre como curtir o friozinho em família de maneira segura, em uma live realizada no dia 18 de julho, moderada pela influenciadora Silvia Faro, jornalista e criadora do canal ‘Mãe de Primeira Viagem’. O bate-papo completo está disponível no Instagram da MAM Baby.

Pediatras: os primeiros a cuidar da saúde da criança

Nesta quarta-feira, dia 27 de julho, comemora-se o Dia do Pediatra. A data tem como objetivo homenagear os profissionais da área e foi escolhida por ter sido o dia da fundação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), instituição sem fins lucrativos que defende os interesses dos médicos de crianças e adolescentes, dos seus pacientes e famílias. Os pediatras são os primeiros a cuidarem da saúde do bebê e possuem um papel de grande importância durante seu desenvolvimento.

É muito recomendado que os pais escolham um pediatra antes mesmo do nascimento de seus filhos e que todos os envolvidos consigam construir uma relação de confiança e parceria. Afinal, este médico será responsável por acompanhar o bebê durante anos, avaliando seu crescimento e trabalhando para a promoção do bem estar e da saúde nas fases mais importantes de suas vidas.

Como presidente do Departamento de Imunologia da Sociedade Brasileira de Pediatria e Coordenador do Laboratório de Imunologia Humana do ICB-USP, Antonio Condino-Neto acredita que a função do pediatra é fundamental na vida das crianças e que o trabalho destes profissionais está diretamente relacionado ao seu, já que começam a cuidar da saúde dos bebês logo no início da vida.

Cuidados começam pelo Teste do Pezinho

Segundo Condino-Neto, o exame é feito em crianças recém-nascidas e realizado a partir das gotas de sangue coletadas do calcanhar do bebê. “O teste do pezinho permite identificar doenças graves assintomáticas ao nascimento e que podem causar sérios danos à saúde, caso não sejam diagnosticadas e tratadas precocemente”, explica.

As primeiras horas de vida de um recém-nascido são determinantes para a descoberta de enfermidades, em especial, doenças relacionadas à imunodeficiência primária. Por essa razão, o teste do pezinho deve ser feito entre o 3º e 5º dia após o nascimento do bebê, sendo possível ir até postos de saúde do município ou em laboratórios privados para a realização.

Para Condino-Neto, a união dos esforços de médicos de diversas áreas é fundamental para promoção da saúde dos bebês, que se tornarão crianças, adolescentes e jovens mais saudáveis e protegidos. Aliado a isso, também existem os avanços da medicina, como a recente ampliação do teste do pezinho, que será implementado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) durante os próximos quatro anos.

“Anteriormente, o teste do pezinho englobava apenas seis doenças e agora passou a envolver até 50 novas doenças raras, incluindo a triagem das imunodeficiências. A ampliação da triagem neonatal representa um grande avanço para a Saúde Pública dos Brasileiros”, finaliza o médico, que também é sócio-fundador da Immunogenic, laboratório especializado em triagem neonatal dos Erros Inatos da Imunidade.

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais