Mulheres, menos pressão, por favor!

Taxas de mortalidade de mulheres por AVC e Doenças Cardíacas Isquêmicas vêm caindo no Brasil. Campanhas alertam para os riscos da hipertensão arterial

Redação
A doença cardiovascular é a primeira causa de morte em mulheres no Brasil, segundo o Ministério da Saúde. De cada três mortes de mulheres no mundo, uma é por causa do coração, diz a Organização Mundial da Saúde (OMS).
Estudo americano recentemente publicado mostra um aumento das ocorrências de ataques cardíacos em mulheres jovens americanas (entre 35 e 54 anos), de 21% em 1995-1999 para 31% em 2010-2014, sendo a hipertensão arterial um dos principais fatores encontrados nestas mulheres.
Mas pesquisa divulgada na sexta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, traz ma boa notícia para as brasileiras. Entre 2010 e 2016, as taxas de mortalidade por Acidente Vascular Cerebral (AVC) e Doenças Cardíacas Isquêmicas, em mulheres, com idades entre 30 a 69 anos, caíram em 11% e 6,2%, respectivamente.

A constatação é do estudo Saúde Brasil 2018, realizado pelo Ministério da Saúde. No mesmo período, o índice para AVC caiu de 39,5 para 35,2 óbitos por 100 mil habitantes do sexo feminino. Já as Doenças Cardíacas apresentaram queda de 55 para 51,6 óbitos por 100 mil. Leia o conteúdo na íntegra em saúde.gov.br

A hipertensão arterial pode atingir as mulheres em qualquer fase da vida, inclusive na gestação, sendo responsável pelas principais causas de morte materna e repercussões para o feto. Esta matéria abre a série sobre Saúde da Mulher no portal VIDA & Ação esta semana.

Ações de prevenção no Rio e São Paulo

É muito importante que a mulher saiba como é a sua pressão arterial, e quais os hábitos saudáveis deve seguir para prevenir a hipertensão arterial. No Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (8), a Sociedade de Cardiologia do Rio de Janeiro (Socerj) e o Instituto Nacional de Cardiologia (INC) vão alertar as mulheres sobre as doenças cardíacas. 

A campanha “Mulher, presta atenção ao seu coração” acontece em frente ao INC, Rua das Laranjeiras 374, das 8h às 12h. Serão oferecidos exames gratuitos de aferição de pressão arterial com a equipe de enfermagem e peso e altura com a equipe de nutricionistas. Haverá orientação e aconselhamento com a equipe de cardiologistas, farmacêuticos, clínicos e residentes do INC.

Menos Pressão na Mulher! é o mote campanha de 2019 da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH) para alertar os cidadãos, em especial as brasileiras, sobre os riscos da hipertensão arterial.  O lançamento oficial ocorre em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, e as ações acontecerão em São Paulo a partir de 26 de abril,  Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hipertensão Arterial, até 17 de maio, Dia Mundial de Combate e Prevenção da Hipertensão Arterial.

Nessas datas, as pessoas poderão medir a pressão arterial gratuitamente, se informar e obter orientações nutricionais, para a realização de atividades físicas e apoio psicológico relacionado ao enfretamento da doença.

Diagnóstico precoce é fundamental

As campanhas desse ano têm como objetivo lembrar as mulheres que elas precisam cuidar da saúde.

A mulher acaba deixando de se cuidar porque têm que dar conta de outras responsabilidades. Entretanto, cuidar da saúde deve ser prioridade. Muitas acreditam não ter doenças cardíacas por acharem que é problema comum entre homens. Mas as doenças cardíacas são comuns tanto em homens quanto em mulheres”, afirma o cardiologista  Isaac Majer Roitman, presidente do Departamento o Departamento de Cardiologia da Mulher da Socerj.

A melhor forma de evitar qualquer doença é cuidar da saúde com práticas como não fumar, se exercitar e se alimentar bem. Dessa forma, é possível prevenir os fatores de risco tratáveis para as doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial, tabagismo, colesterol elevado, sedentarismo, obesidade ou sobrepeso e diabetes. Entre os fatores de risco que não podem ser controlados estão: idade, sexo, hereditariedade, raça, AVC ou infarto agudo do miocárdio prévio.

Rio homenageia mulheres que lutaram por direitos femininos

Aos 88 anos, Maria Prestes já viveu por muitos anos na clandestinidade, acompanhando o líder comunista Luiz Carlos Prestes, com quem foi casada. Ela é uma das 14 homenageadas na 16ª edição da entrega do “Diploma MulherCidadã Leolinda de Figueiredo Daltro” a mulheres que, de alguma forma, contribuíram com a luta pelas direitos femininos.

O diploma é oferecido pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) na segunda-feira (11). Antes, na  Praça XV, atrás do Palácio Tiradentes, a partir das 9h30, acontecerão apresentações de balé, dança, exposições e atendimento gratuito jurídico e de saúde em tendas montadas na praça. A ação vai até as 14h30.

Leolinda de Figueirdo Daltro, que dá nome ao Diploma Mulher Cidadã, foi educadora, ativista e fundadora do Partido Republicano Feminino, desempenhando um importante papel como precursora do feminismo. Foi graças a sua luta que as mulheres conseguiram direito ao voto. A cerimônia ainda contará com a mãe da vereadora assassinada Marielle Franco, Marinete da Silva, que deverá entregar um dos diplomas.

Beleza para mulheres com mais de 50

No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, a consultoria Hype60+ prestará uma homenagem às brasileiras com mais de 50 anos. O evento Beleza Pura reunirá, na Unibes Cultural, um festival com moda, beleza, comportamento, sexo e estilo de vida. Entre as palestrantes confirmadas está Janine Goossens, que abordará o tema La Beauté n’a pas d’age (A beleza não tem idade, em francês).

Com 81 anos, a cofundadora da marca Jacques Janine atendeu a clientela até passar dos 70 anos; implementou no País a profissão de esteticista e a cultura do “Dia da Noiva”. Foi pioneira, também, na maquiagem social e, com o marido, construiu a principal cadeia nacional de salões do Brasil. Hoje, atua como diretora da rede Jacques Janine. Mais informações e inscrições: http://belezapura.news/

EVENTOS TÉCNICOS

Cuidados para mulheres sedentárias e esportistas

Acontece em 11 de março de 2019, nO o Hospital e Maternidade Brasil, em Santo André (SP), o curso de Cuidados e orientações de exercício físico e esporte em mulheres sedentárias e esportistas, realizado pela Regional ABC da SOGESP (Sociedade de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo).

Voltado para médicos ginecologistas e obstetras sócios da SOGESP, tem como objetivo a atualização e educação continuada dos especialistas, visando à atualização prático-científica, o desenvolvimento profissional permanente e a consequente qualificação da assistência em saúde às mulheres.

Da Redação, com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.