Novembro Azul: campanha alerta para câncer de próstata

Anualmente são diagnosticados 61 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil, sendo o segundo tipo de câncer mais frequente em homens, atrás dos tumores de pele não-melanoma.

Rosayne Macedo
Centro de Tratamento do Homem atende pacientes pelo SUS (Foto: Maurício Bazílio - SES)
novembro-azul-LAL
E depois do Outubro Rosa, é a vez do Novembro Azul, dedicado ao câncer de próstata. Segundo o IBGE, os homens vivem em média sete ou oito anos a menos do que as mulheres. Além disso, muitos ainda preferem não buscar atendimento médico, por medo ou falta de informação. O resultado disso é o alto índice, por exemplo, de câncer de próstata, alvo das ações de conscientização e prevenção durante este mês de novembro.
A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino que pesa cerca de 20 gramas e se assemelha a uma castanha. Localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é a de produzir o esperma. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), anualmente são diagnosticados 61 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil, sendo o segundo tipo de câncer mais frequente em homens, atrás dos tumores de pele não-melanoma.

Em 2016, 13 mil homens morreram vítimas da doença (uma morte a cada 40 segundos), índice que pode ser reduzido a partir da conscientização, pois já foi constatado que ao ser diagnosticada precocemente, tem 90% de chances de cura. Os sintomas da doença podem demorar a se manifestar, o que torna os exames preventivos anda mais necessários, evitando sua descoberta em um estágio avançado e potencialmente fatal.

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas, e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Nesta fase, os sintomas identificados são: dor óssea; sangue na urina e/ou no sêmen; vontade frequente de urinar e dor ao urinar. No entanto, alertam os médicos, a falta de sintomas não garante que o indivíduo não tenha a doença. Por isso, a recomendação para que sejam feitos os exames preventivos e os cuidados com a saúde em geral (alimentação; atividade física, entre outros).

Homens da raça negra têm maior incidência desse tipo de câncer, assim como aqueles com histórico familiar da doença (pai, irmão ou tio) e os que estão com excesso de peso. Por isso, a recomendação para que homens com idade acima de 45 anos que façam parte desses grupos de risco e os acima de 50 anos, sem esses fatores, devem ir anualmente ao urologista e fazer o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como seu endurecimento e a presença de nódulos suspeitos, além de fazer o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico).

Centro de Atenção à Saúde do Homem

Centro de Tratamento do Homem atende pacientes pelo SUS (Foto: Maurício Bazílio - SES)
Centro de Tratamento do Homem atende pacientes pelo SUS (Foto: Maurício Bazílio – SES)
Para incentivar o diagnóstico e o tratamento das doenças tipicamente masculinas, como o câncer de próstata, desde 2011, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES) disponibiliza o Centro de Atenção à Saúde de Homem, que funciona na Policlínica Piquet Carneiro, na Tijuca, em parceria com o Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe).
“Os homens ainda não têm o hábito do acompanhamento médico e de prevenir as doenças. Um de nossos desafios é ajudar nessa mudança. Com os serviços contratualizados que oferecemos na Piquet Carneiro temos hoje profissionais de excelência que trabalham num Centro que realiza consultas, exames e cirurgias. No mesmo local, além de se submeter ao tratamento, o homem também pode fazer a prevenção de diversas doenças”, disse o secretário estadual de saúde, Luiz Antônio Teixeira Jr.
O projeto oferece prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), doenças da próstata, planejamento familiar, tratamento para disfunção sexual, além de pequenas e médias cirurgias. O atendimento é feito através da Central Estadual de Regulação (CER) e recebe pacientes de todo o Estado do Rio. Só em 2016, o serviço realizou quase 7 mil consultas e 850 cirurgias. Os atendimentos mais comuns são consultas com urologista e procedimentos como vasectomia e cirurgias da próstata.
“Infelizmente muitos homens não procuram o atendimento médico por medo. A mulher tem uma cultura de ir ao médico muito maior. Na policlínica, oferecemos atendimento voltado ao homem, também disponibilizamos um check-up, escutamos e orientamos ele a cuidar da saúde. Se ele quiser fazer um planejamento familiar, por exemplo, indicamos a ele as melhores opções”, explica Ronaldo Damião, professor titular de urologia da Uerj e coordenador do Projeto Saúde do Homem da SES.
No primeiro atendimento no Centro, o homem passa por uma consulta com a enfermagem, que identifica as necessidades do paciente e realiza uma triagem. Em seguida, ele é encaminhado para consulta médica, atendimento psicológico ou para o Serviço Social, de acordo com seu perfil. Os problemas mais detectados no atendimento são: hipertensão, diabetes, alterações para urinar, DSTs, disfunção erétil e problemas na próstata.
“O mais interessante é que muitas vezes os homens chegam acompanhados das esposas ou companheiras, pois na maioria das vezes são elas quem marcam a consulta e pedem ao marido para buscar ajuda. As mulheres têm um papel muito importante na saúde do homem”, explica Dr. Damião.
Entre os serviços disponibilizados estão: oferta de cirurgia de vasectomia para pacientes com perfil, distribuição de preservativos, atendimento com psicólogo, assistência de vários profissionais às questões de infertilidade, realização de cirurgias ambulatoriais, além de encaminhamento a outras áreas de saúde quando necessário.
O Centro de Atenção à Saúde de Homem fica na Policlínica Piquet Carneiro, na Av. Marechal Rondon, 381, no bairro São Francisco Xavier e funciona interligado ao Hospital Universitário Pedro Ernesto. Os pacientes chegam ao Centro pelo CER, através de encaminhamento de Clínicas da Família, Centros Municipais e Postos de Saúde.
Dicas para saber quando procurar um médico
O urologista Ronaldo Damião deixa algumas dicas e destaca qual é o momento ideal para procurar um médico. O homem deve ficar atento aos seguintes sinais:
– Mesmo que não apresente nenhum sintoma ou dor, todo homem deve procurar um médico para realizar um check-up após os 50 anos.
– Se houver algum caso de câncer de próstata na família, a consulta deve acontecer aos 45 anos, mesmo sem apresentar sintomas.
– O homem deve procurar um urologista se apresentar alguns desses sintomas: urinar com muita frequência, mais do que o normal; levantar mais de três vezes à noite para urinar; urinar sangue; observar feridas no pênis; apresentar dor nos testículos.
– As dificuldades na ereção, além de causarem transtornos da vida sexual, podem esconder outros problemas. O câncer de próstata muitas vezes é silencioso, por isso é importante estar atento.

Mais sobre a campanha

A campanha foi criada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL), pioneiro no Brasil na abordagem de questões relacionadas ao câncer de próstata, inicialmente com a campanha Um Toque, Um Drible, para promover uma mudança de paradigmas em relação à ida do homem ao médico. O Novembro Azul é inspirado pelo movimento internacional Movember, que incentivava os homens a deixar o bigode (moustache) crescer no mês de novembro (November) para aumentar a conscientização sobre problemas de saúde masculina, como câncer de próstata, câncer de testículos e suicídio.

Desde então, o LAL passou a promover, durante todo o mês, intensa programação dedicada à prevenção da saúde do homem, transformando o Novembro Azul em uma causa nacional, incorporada por outras ONG, empresas privadas e pela população em geral, engajando milhões de pessoas. Atualmente, é a maior campanha de combate ao câncer de próstata do Brasil.

Durante todo o mês, a agenda do Novembro Azul do Instituto Lado a Lado pela Vida promoverá rodas de conversa entre profissionais da saúde, pacientes e acompanhantes; eventos em locais de grande circulação para a realização de exames e distribuição de materiais informativos; iluminação na cor tema da campanha de prédios e monumentos; palestras; e mensagens de instituições e personalidades sobre a importância da realização de exames preventivos.

Palestra no Rio de Janeiro

A palestra ‘Novembro Azul: Atenção à Saúde Masculina’, com apresentação do oncologista Fábio Afonso Peixoto, é um dos temas do MED Talks, que o Americas Serviços Médicos promove, nesta quarta-feira (1º de novembro), às 9h. A segunda edição do evento terá ainda as palestras ‘Queda de Idosos em Casa’, ministrada pelo clínico geral Cesar Villela; ‘Acidente Vascular Cerebral’, com o neurologista Daniel Bezerra, além de ‘Dicas para o Crescimento Infantil Saudável‘, com a pediatra Maria da Glória Neiva.

O MED Talks é um ciclo mensal de palestras gratuitas e abertas ao público, ministradas por médicos que são referência em suas especialidades. Após o encontro, as apresentações são postadas na página do Americas Serviços Médicos. O evento será realizado no Centro de Treinamento Edson Bueno, localizado na Avenida Jorge Curi, 500, na Barra da Tijuca. As inscrições são feitas na hora.

 

Fonte: Instituto Lado a Lado e SES-RJ 
In the news
Leia Mais